4 razões pelas quais você não deve deixar de dançar

Mais além dos benefícios que nos oferece no plano físico, dançar também pode ser muito adequado para cuidar de nossa memória e inclusive para favorecer diferentes conexões hormonais.
4 razões pelas quais você não deve deixar de dançar

Última atualização: 16 Agosto, 2018

Dançar é uma das práticas que nos faz sentir completamente vivos como seres humanos. Quem não experimentou a imensa alegria que um bom passo de dança em uma festa proporciona? E inclusive em casa ou no banheiro!

Não importa se é feita completamente sozinho ou com alguma companhia. Dançar é um verdadeiro sinônimo de diversão e harmonia entre o corpo e o lugar onde nos dispomos a dançar.

A principal característica desta é que qualquer tipo de pessoa pode praticar. Por isso, não importa em que parte do mundo nos encontremos, sempre haverá a forma de desfrutá-la, de uma ou outra maneira.

A dança é considerada como uma atividade cultural e social arraigada ao ser humano desde tempos imemoráveis. De fato, as primeiras pessoas a viver no mundo se apoiavam na dança para realizar diversos rituais.

Através da história ela evoluiu para se transformar no que é agora. Cabe destacar que, a dança se divide em diferentes tipos e a maioria têm origem em diferentes regiões do planeta.

Porém, graças à globalização e outro tipo de conhecimentos, todos podem praticar a dança de acordo com os gostos relativos de cada pessoa.

Porque não devemos parar de dançar?

Mulheres dançando

Chega de tanta história. O divertido da dança é praticá-la, vivê-la em carne própria. Porém, não é demais saber porque o fazemos, mais além da diversão e da alegria.

Com base nisto vamos expor uma série de razões para não deixar de praticar. Não perca!

1. O coração sai fortalecido

Uma das atividades físicas mais recomendadas pelos profissionais médicos é a dança. Fazer esforço físico é extremamente relevante para o bem-estar do organismo, devido ao aumento do ritmo cardíaco.

  • É aqui onde entra em jogo a dança. Sua recomendação gira em torno de uma infinidade de benefícios que traz para o sistema cardíaco.
  • Fazê-lo de forma regular contribui para a prevenção de doenças coronárias e periféricas. Por outro lado, também se encarrega de fortalecer as artérias e veias.
  • Por último, ao melhorar o estado deste sistema, a oxigenação do organismo em geral é favorecida consideravelmente.

2. Melhora a memória

Não deve deixar de dançar se quiser combater o estresse

Os problemas de memória começam a se tornar visíveis com o passar do tempo e também pelos maus hábitos.

Por tal razão devem se refugiar em atividades que evitem os efeitos nocivos. Uma delas é o exercício físico, e a dança surge em primeiro lugar para exercer esse esforço.

  • Não só pelo incremento da oxigenação, mas sim pela diversão que ela favorece. A dança é uma forma excelente de proteger a saúde do cérebro.

Em conclusão, uma grande razão para não deixar de praticar esta excelente alternativa é a melhora da memória e a contribuição para realizar diferentes tarefas ao mesmo tempo.

3. Alivia o estresse

Sobre a felicidade e a diversão, foram feitas muitas referências ao longo do artigo, as quais podemos obter a partir da dança.

Para tirar qualquer dúvida, basta observar a atitude e o rosto das pessoas que praticam dança com regularidade.

A música presente em cada dança convida as pessoas a se moverem, sim ou sim. Os ritmos se apoderam das extremidades e do tronco (está claro que, depende dos gostos musicais, por isso, há para todo tipo).

A parte disso, cada movimento se encarrega de estimular a função hormonal, especificamente das endorfinas e da serotonina, as quais favorecem a felicidade.

Esta se encarrega de mitigar a ansiedade, a inquietude, o pensar excessivo e, por conseguinte, o estresse também vai sendo diluído.

4. Ajuda as capacidades físicas

Não deve deixar de dançar se quiser tonificar os músculos

As capacidades físicas são um pilar importante no desenvolvimento humano, e são determinantes desde o nosso nascimento até a morte. O problema é que algumas delas começam a se perder com o passar do tempo, para não dizer que todas.

Em si, estas devem ser trabalhadas ou potencializadas com a finalidade de torná-las um pouco mais duradouras.

Quais são estas capacidades?

As capacidades físicas se dividem em dois grandes grupos:

Capacidades físicas condicionantes

  • Força.
  • Velocidade.
  • Resistência.
  • Flexibilidade.

Capacidades físicas coordenadas

  • Ritmo.
  • Adaptação.
  • Equilíbrio.
  • Orientação.
  • Sincronização.
  • Reação.
  • Diferenciação.

Dançar com regularidade favorece todas estas, mas em especial o equilíbrio, a coordenação, a orientação e a flexibilidade. Tudo dependerá, está claro, do tipo de dança praticada.

Imagem principal oferecida por © wikiHow.com

Pode interessar a você...
Você conhece as vantagens da dança?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Você conhece as vantagens da dança?

Esta é uma das vantagens da dança mais procurada. Goste ou não, a imagem importa muito, especialmente a questão do peso. Como dissemos, nos livramo...



  • Keogh, J. W. L., Kilding, A., Pidgeon, P., Ashley, L., & Gillis, D. (2009). Physical benefits of dancing for healthy older adults: A review. Journal of Aging and Physical Activity. Human Kinetics Publishers Inc. https://doi.org/10.1123/japa.17.4.479
  • Quiroga Murcia, C., Kreutz, G., Clift, S., & Bongard, S. (2010). Shall we dance? An exploration of the perceived benefits of dancing on well-being. Arts & Health, 2(2), 149–163. https://doi.org/10.1080/17533010903488582
  • Merom, D., Grunseit, A., Eramudugolla, R., Jefferis, B., Mcneill, J., & Anstey, K. J. (2016). Cognitive benefits of social dancing and walking in old age: The dancing mind randomized controlled trial. Frontiers in Aging Neuroscience, 8(FEB). https://doi.org/10.3389/fnagi.2016.00026
  • Marich, J., & Howell, T. (2015). Dancing mindfulness: A phenomenological investigation of the emerging practice. Explore, 11(5), 346–356. https://doi.org/10.1016/j.explore.2015.07.001
  • Keogh, Justin & Kilding, Andrew & Pidgeon, Philippa & Ashley, Linda & Gillis, Dawn. (2009). Physical Benefits of Dancing for Healthy Older Adults: A Review. Journal of aging and physical activity. 17. 479-500. 10.1123/japa.17.4.479.