4 razões pelas quais você não deve deixar de dançar

16 de agosto de 2018
Mais além dos benefícios que nos oferece no plano físico, dançar também pode ser muito adequado para cuidar de nossa memória e inclusive para favorecer diferentes conexões hormonais.

Dançar é uma das práticas que nos faz sentir completamente vivos como seres humanos. Quem não experimentou a imensa alegria que um bom passo de dança em uma festa proporciona? E inclusive em casa ou no banheiro!

Não importa se é feita completamente sozinho ou com alguma companhia. Dançar é um verdadeiro sinônimo de diversão e harmonia entre o corpo e o lugar onde nos dispomos a dançar.

A principal característica desta é que qualquer tipo de pessoa pode praticar. Por isso, não importa em que parte do mundo nos encontremos, sempre haverá a forma de desfrutá-la, de uma ou outra maneira.

A dança é considerada como uma atividade cultural e social arraigada ao ser humano desde tempos imemoráveis. De fato, as primeiras pessoas a viver no mundo se apoiavam na dança para realizar diversos rituais.

Através da história ela evoluiu para se transformar no que é agora. Cabe destacar que, a dança se divide em diferentes tipos e a maioria têm origem em diferentes regiões do planeta.

Porém, graças à globalização e outro tipo de conhecimentos, todos podem praticar a dança de acordo com os gostos relativos de cada pessoa.

Porque não devemos parar de dançar?

Mulheres dançando

Chega de tanta história. O divertido da dança é praticá-la, vivê-la em carne própria. Porém, não é demais saber porque o fazemos, mais além da diversão e da alegria.

Com base nisto vamos expor uma série de razões para não deixar de praticar. Não perca!

Leia: 5 benefícios de dançar

1. O coração sai fortalecido

Uma das atividades físicas mais recomendadas pelos profissionais médicos é a dança. Fazer esforço físico é extremamente relevante para o bem-estar do organismo, devido ao aumento do ritmo cardíaco.

  • É aqui onde entra em jogo a dança. Sua recomendação gira em torno de uma infinidade de benefícios que traz para o sistema cardíaco.
  • Fazê-lo de forma regular contribui para a prevenção de doenças coronárias e periféricas. Por outro lado, também se encarrega de fortalecer as artérias e veias.
  • Por último, ao melhorar o estado deste sistema, a oxigenação do organismo em geral é favorecida consideravelmente.

2. Melhora a memória

Não deve deixar de dançar se quiser combater o estresse

Os problemas de memória começam a se tornar visíveis com o passar do tempo e também pelos maus hábitos.

Por tal razão devem se refugiar em atividades que evitem os efeitos nocivos. Uma delas é o exercício físico, e a dança surge em primeiro lugar para exercer esse esforço.

  • Não só pelo incremento da oxigenação, mas sim pela diversão que ela favorece. A dança é uma forma excelente de proteger a saúde do cérebro.

Em conclusão, uma grande razão para não deixar de praticar esta excelente alternativa é a melhora da memória e a contribuição para realizar diferentes tarefas ao mesmo tempo.

3. Alivia o estresse

Sobre a felicidade e a diversão, foram feitas muitas referências ao longo do artigo, as quais podemos obter a partir da dança.

Para tirar qualquer dúvida, basta observar a atitude e o rosto das pessoas que praticam dança com regularidade.

A música presente em cada dança convida as pessoas a se moverem, sim ou sim. Os ritmos se apoderam das extremidades e do tronco (está claro que, depende dos gostos musicais, por isso, há para todo tipo).

A parte disso, cada movimento se encarrega de estimular a função hormonal, especificamente das endorfinas e da serotonina, as quais favorecem a felicidade.

Esta se encarrega de mitigar a ansiedade, a inquietude, o pensar excessivo e, por conseguinte, o estresse também vai sendo diluído.

Visite este artigo: Incríveis remédios naturais para aliviar o estresse

4. Ajuda as capacidades físicas

Não deve deixar de dançar se quiser tonificar os músculos

As capacidades físicas são um pilar importante no desenvolvimento humano, e são determinantes desde o nosso nascimento até a morte. O problema é que algumas delas começam a se perder com o passar do tempo, para não dizer que todas.

Em si, estas devem ser trabalhadas ou potencializadas com a finalidade de torná-las um pouco mais duradouras.

Quais são estas capacidades?

As capacidades físicas se dividem em dois grandes grupos:

Capacidades físicas condicionantes

  • Força.
  • Velocidade.
  • Resistência.
  • Flexibilidade.

Capacidades físicas coordenadas

  • Ritmo.
  • Adaptação.
  • Equilíbrio.
  • Orientação.
  • Sincronização.
  • Reação.
  • Diferenciação.

Dançar com regularidade favorece todas estas, mas em especial o equilíbrio, a coordenação, a orientação e a flexibilidade. Tudo dependerá, está claro, do tipo de dança praticada.

Imagem principal oferecida por © wikiHow.com

  • Keogh, J. W. L., Kilding, A., Pidgeon, P., Ashley, L., & Gillis, D. (2009). Physical benefits of dancing for healthy older adults: A review. Journal of Aging and Physical Activity. Human Kinetics Publishers Inc. https://doi.org/10.1123/japa.17.4.479
  • Quiroga Murcia, C., Kreutz, G., Clift, S., & Bongard, S. (2010). Shall we dance? An exploration of the perceived benefits of dancing on well-being. Arts & Health2(2), 149–163. https://doi.org/10.1080/17533010903488582
  • Merom, D., Grunseit, A., Eramudugolla, R., Jefferis, B., Mcneill, J., & Anstey, K. J. (2016). Cognitive benefits of social dancing and walking in old age: The dancing mind randomized controlled trial. Frontiers in Aging Neuroscience8(FEB). https://doi.org/10.3389/fnagi.2016.00026
  • Marich, J., & Howell, T. (2015). Dancing mindfulness: A phenomenological investigation of the emerging practice. Explore11(5), 346–356. https://doi.org/10.1016/j.explore.2015.07.001