10 alimentos que nenhum especialista em comida comeria

Existem muitos alimentos que não devemos consumir, pois representam um grande risco de intoxicações e infecções. Nós contaremos a você quais são eles.
10 alimentos que nenhum especialista em comida comeria

Última atualização: 01 Março, 2021

Às vezes, alimentos que consideramos saudáveis ​​e que podem ser benéficos para nós podem ser prejudiciais à nossa saúde. Seja pela sua composição ou pela forma como decidimos consumi-los. Por exemplo, há muitos alimentos do mar que é preciso preparar e cozinhar bem antes de colocá-los na boca, senão podemos nos infectar e adoecer.

Informar-nos bem sobre o que vamos colocar no prato e como ele foi preparado é a melhor forma de evitar indigestão, intoxicação e outros incômodos semelhantes. A segurança alimentar é importante. Para ajudá-lo nisso, a seguir vamos desvendar alguns dos principais mitos e fatos dos 7 alimentos que podem ser prejudiciais à saúde.

1. Ostras cruas, um alimento potencialmente prejudicial

Ostras cruas, um alimento potencialmente prejudicial

Nos últimos anos, aumentaram os casos de pessoas afetadas pela vibriose. Esta doença é causada pela bactéria Vibrio vulnicus, encontrada nas áreas costeiras onde vivem as ostras.

Atuando como um filtro para a água do mar, as ostras podem hospedar essa bactéria e, mais tarde, nos infectar quando a comemos crua. E como elas não mudam de aparência ou sabor, não tem como saber quais estão contaminadas e quais não estão. Por isso, é necessário prepará-los e cozinhá-los adequadamente.

Em última análise, as ostras devem ser sempre cozidas. Cozidas, fritas ou assadas, elas ainda serão deliciosas. Uma boa opção para que não percam o excelente sabor é cozinhá-las e consumi-las com um molho apimentado.

2. Suco recém-espremido

Alguns especialistas consideram que o suco espremido na hora, apesar de fresco, pode facilmente se contaminar com vírus e bactérias quando a higiene adequada não é mantida (ou seja, quando as mãos e as frutas não são lavadas antes de começar a manuseá-las, ou quando várias coisas são preparadas ao mesmo tempo e ocorre contaminação cruzada, etc.).

Ao mesmo tempo, o suco contém muito açúcar, sem a fibra da fruta. Seu consumo habitual e excessivo pode causar patologias de natureza metabólica, de acordo com um estudo publicado na Critical Reviews in Clinical Laboratory Sciences.

3. Carne mal passada

Comer carne mal passada é comum em muitos países. No entanto, você deve saber que as carnes que não são expostas a temperaturas abaixo de 70 °C podem ser contaminadas com Echerichia coliSalmonella e outras bactérias. Vale lembrar que o surgimento da doença da vaca louca foi causada justamente pelo não cumprimento dos estatutos de tratamento da carne.

O cozimento adequado da carne e dos ovos evitará que você seja intoxicado por esses alimentos.

Especialistas da Organização Mundial da Saúde indicam o seguinte:

“Cozinhar em altas temperaturas ou com alimentos em contato direto com uma chama ou uma superfície quente, como churrasco ou frigideira, produz certos tipos de produtos químicos cancerígenos (como hidrocarbonetos aromáticos policíclicos e aminas aromáticas heterocíclicas).”

Cuidado com esses compostos. Os hidrocarbonetos, por exemplo, têm se mostrado muito prejudiciais.

4. Grãos germinados

Grãos germinados

De acordo com especialistas, a E. coli e a Salmonella são responsáveis ​​pela maioria das infecções associadas a grãos germinados nos Estados Unidos. Comer grãos infectados pode causar infecções intestinais e do trato urinário.

Portanto, opte por cozinhar o feijão adequadamente para apreciá-lo e, claro, evitar infecções.

5. Leite ordenhado recentemente 

Produtos não pasteurizados – como leite ordenhado recentemente – podem ser prejudiciais à saúde. Existe um alto risco de que eles sejam contaminados com bactérias como a Listeria monocytogenes. A listeriose, causada por essa bactéria, pode causar meningite, pneumonia e aborto espontâneo. Portanto, evite beber leite ordenhado recentemente e compre o leite pasteurizado que é vendido no supermercado.

6. Embutidos, alimentos prejudiciais

Uma pesquisa mostrou que os frios da mais alta qualidade contêm nitratos que causam câncer. Além disso, 1 quilo de embutido contém ─aproximadamente─ 40% mais sal e 50% mais gordura do que 1 quilo de carne crua. Portanto, é importante evitar consumi-los regularmente e em grandes quantidades.

Recomenda-se substituí-lo por carnes secas e terrinas caseiras. Esteja ciente de que a ingestão regular de produtos à base de carne processada tem sido associada a um risco aumentado de câncer.

7. Frutas e vegetais que são vendidos picados

Frutas
Além das frutas tropicais, ricas em várias vitaminas, existem outras opções muito saudáveis.

Em alguns países, frutas e vegetais vendidos lavados e picados prejudicam o manuseio e o meio ambiente. Não devemos esquecer que bactérias, vírus e fungos são microscópicos e que nem todos têm o mesmo hábito de higiene.

Compre frutas e vegetais intactos no mercado e lave-os bem quando chegar em casa. Você pode preparar uma boa salada sem o risco de ficar doente.

Garanta a higiene dos alimentos na sua alimentação

Como pode ver, existem vários alimentos que, embora a princípio possam parecer inofensivos, dependendo de fatores como a cozedura, a preparação e o manuseamento, podem não ser a melhor opção para nos alimentarmos.

Pode interessar a você...
5 alimentos que vão melhorar a sua saúde e organismo
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
5 alimentos que vão melhorar a sua saúde e organismo

Há certos alimentos que acreditávamos serem nocivos para a saúde e organismo e que, nos últimos anos, depois de se realizarem estudos, descobriu-se que não.



  • Stanhope KL., Sugar consumption, metabolic disease and obesity: the state of the controversy. Crit Rev Clin Lab Sci, 2016. 53 (1): 52-67.
  • Stec AA., Dickens KE., Salden M., Hewitt FE., et al., Occupational exposure to polycyclic aromatic hydrocarbons and elevated cancer incidence in firefighters. Sci Rep, 2018.
  • Zhao Z., Yin Z., Zhao Q., Red and processed meat consumption and gastric cancer risk: a systematic review and meta analysis. Oncotarget, 2017. 8 (18): 30563-30575.