Você já se perguntou alguma vez para que serve chorar?

· 17 de setembro de 2017
Você sabia que chorar é necessário para manter sua saúde? Reprimir as lágrimas pode inclusive levar a problemas de ansiedade ou até a transtornos gástricos importantes.

O choro é geralmente associado à fraqueza ou à falta de caráter. No entanto, dar a nós mesmos a oportunidade de chorar quando precisarmos é bom para a saúde.

Neste artigo contamos a você como podem lhe servir as lágrimas e em que momento vale a pena fazer uso delas.

Chorar não é ser vulnerável

Vemos as lágrimas com certa reticência. Pensamos que, se alguém nos vê chorando, acreditará que somos fracos, sensíveis demais ou até instáveis.

Para alguns, chorar é um sinal de submissão ou de sentirmos vencidos. Mas também pode ser uma estratégia emocional para alcançar aquilo que queremos.

As lágrimas podem até fortalecer as relações e criar vínculos. Se choramos com alguém, alcançaremos uma conexão difícil de romper.

Entretanto, este comportamento emocional não funciona em certas áreas ou ambientes como, por exemplo, no trabalho.

No trabalho, se derramamos lágrimas quando alguma coisa não nos sai bem, seremos considerados “os fracos”, a quem não se pode exigir demais e nem esperar nada de notável.

É compreensível que nos escondamos para chorar e que só “convidemos” pessoas do círculo íntimo para compartilhar este momento conosco.

Segundo o doutor Juan Murube (Universidade de Alcalá de Henares) existem quase 500 emoções pelas quais um ser humano pode chorar.

Entre elas, as mais “conhecidas” são a ira, a angústia, a solidão e a admiração.

Poderia se dizer que todas elas se reduzem a dois grandes grupos: o de pedir ajuda e o de oferecer assistência.

Não se esqueça de ler: Conheça algumas curiosidades sobre as lágrimas e o ato de chorar

Chorar é libertadorMoça escorrendo lágrimas

Sigmund Freud foi o pioneiro nos estudos sobre o choro. O pai da psicanálise disse que chorar é um ato de liberação.

Logo se chegou à conclusão de que reprimir as lágrimas pode desencadear transtornos de ansiedade, asma ou úlcera intestinal. Não exteriorizar os sentimentos nos faz mais propensos à depressão e ao adoecimento.

Sob o ponto de vista emocional, chorar equilibra nosso estado de ânimo, nos faz sentir apoiados e queridos, permite que nos expressemos e retiremos o mal e aquilo que nos incomoda.

Se analisado sob o aspecto físico, por exemplo, o choro controla a respiração e causa um efeito calmante sobre o organismo.

Quando o choro surge devido a uma situação desagradável, conseguimos um período de calma até maior que o experimentado antes da situação que nos levou às lágrimas.

Por exemplo, chorar na cama por um desengano amoroso ou perda nos conduz a um sono reparador que talvez não poderíamos desfrutar de outra maneira.

Também podemos chorar quando vemos um filme e escutamos uma música triste… até mesmo quando não possuem relação com o nosso presente ou com a mensagem transmitida.

Chorar ordena as emoçõesMulher triste chorando

Assim como rir, chorar é uma expressão emocional muito importante e é uma das maneiras que os seres humanos têm para se comunicar. Através das lágrimas expressamos o que nos acontece.

Chorar pode ser terapêutico, porque alivia as tensões e aumenta a empatia com quem nos rodeia. É mais provável receber ajuda quando choramos do que quando estamos irritados, por exemplo.

O alívio, a calma, e o relaxamento são outras das consequências positivas do choro. Trata-se de uma atividade saudável, ainda que pensemos demonstrar fraqueza.

Entretanto, é importante saber diferenciar quando choramos para eliminar a depressão ou para conseguir algo.

Neste último caso, nos tornamos seres dependentes das lágrimas, vivendo em função delas para conseguir as coisas.

Diferentemente do choro dos bebês, que avisam que têm fome, sono ou que requerem troca de fralda, os adultos têm outras formas de se comunicar e alcançar os objetivos.

Não se esqueça de ler: Às vezes não choro por fraqueza, mas por estar cansada de ser forte

Por acaso chorar é coisa de mulheres?

As mulheres choram mais vezes (entre 30 e 64 vezes por ano, contra 17 dos homens) desde os 13 anos de idade (até esse momento não há diferenças entre sexos).

Além disso, o sexo feminino chora por mais tempo a cada vez: 6 minutos contra 3 dos rapazes. A herança patriarcal e a cultura obrigam os homens a se mostrarem mais fortes.

Um esposo ou um pai nunca pode ser inferior a uma mulher nesse sentido. Inclusive, os pais ensinam os filhos a não chorar porque “isso é coisa de menina”.Moça chorando

Questões sociais à parte, há uma questão hormonal que leva as mulheres a chorarem com mais frequência.

A expressão emocional feminina está muito relacionada com o choro, e empregam esta técnica como uma autoterapia. A incapacidade de demonstrar os sentimentos (alexitimia) é mais frequente nos homens.