Tudo o que devemos saber sobre as pintas

24 de julho de 2014
Devemos monitorar nossas pintas e consultar um especialista para descartar problemas diante de qualquer variação de tamanho, cor ou forma.

As pintas são pequenas manchas que aparecem na pele, são muito comuns e se apresentam geralmente durante a infância ou a adolescência. As pintas se formam mediante a ação das células encarregadas de produzir o pigmento da pele chamadas melanócitos.

Essas pintas também recebem o nome de nevus (ou nevos) e podem ter diversas formas, apresentam-se de forma espalmada, avultada, lisa ou verrugosa, igualmente, sua cor também pode variar e serem pardas, escuras ou pretas. Inclusive, em muitas ocasiões, podem ter o mesmo tom que a pele.

A maioria das pintas não representa nenhum perigo, portanto, não há a necessidade de extrai-las.

No entanto, quando uma pinta muda de cor, tamanho ou forma, é importante procurar urgente um dermatologista, além disso, quando uma pinta deixa de ser inofensiva, pode apresentar ardor, coceira, dor ou sangramentos.

Sobre as pintas

Os nevus displásicos, ou as chamadas pintas atípicas, são maiores que as pintas comuns, e podem chegar a medir mais de um centímetro.

Sua forma pode variar e também sua cor, indo desde um pardo claro até um tom muito escuro, situado em um fundo rosado.

Leia também: Como identificar as pintas perigosas?

Lunares

Existem muitas pessoas que podem chegar a ter cem ou mais pintas atípicas, e podem continuar surgindo com o tempo. Essas se localizam em qualquer parte do corpo, principalmente naqueles lugares que regularmente permanecem cobertos.

As pessoas que têm muitas pintas atípicas e que, além disso, têm familiares que sofreram com este tipo de pinta (ou ainda, com melanomas) devem ter muito cuidado, visto que têm grande possibilidade de sofrerem de câncer de pele, pois também é hereditário.

As pessoas que têm pintas atípicas devem estar sempre observando as mudanças que elas podem apresentar, e ainda mais se existem antecedentes familiares com histórico de melanomas. Portanto, ante qualquer suspeita, é preciso buscar ajuda profissional imediatamente.

Descubra: Como identificar os primeiros indícios do melanoma

Além disso, sempre se deve usar um bom protetor solar, já que os raios do sol aumentam o perigo de desenvolver o câncer de pele. 

Como saber se as pintas são anormais?

Melanomas

É muito importante aprender a identificar as pintas anormais.Para tal, é preciso examinar a pele com frequência e estabelecer a diferença que há entre uma pinta inofensiva e normal ante uma que está se tornando atípica, que pode culminar em uma pinta cancerosa. Temos que considerar:

  • Uma pinta suspeita não tem assimetria, isto é, uma de suas metades não é igual a outra, pode variar o tamanho, a forma, a cor, a espessura; não parece fazer parte da mesma pinta.
  • As bordas são muito irregulares, são manchadas, não têm uma forma definida.
  • A cor não é igual em toda pinta, pode ter várias cores de uma vez.
  • O tamanho de um melanoma pode ser entre seis milímetros de diâmetro ou um pouco menor. Seu tamanho varia.

Ante quaisquer destes sinais, o melhor é procurar uma atenção especializada, já que se deixar avançar, pode se tornar um problema de saúde complicado e perigoso.

Lembre-se de que o primordial em um caso como este é a prevenção e, no pior dos casos, se o melanoma já estiver presente, a atenção imediata é a melhor maneira de parar o desenvolvimento da doença.

Por nenhuma razão você deve se deixar vencer, nem por este mal nem por nenhum outro que possa estar se espreitando.