5 conselhos dos dermatologistas para se proteger do sol

· 20 de outubro de 2018
Ainda que nosso sonho seja mostrar uma pele bronzeada, é fundamental seguir os conselhos dos dermatologistas para proteger a pele do sol e assim evitar riscos desnecessários.

Você sabe lidar com o sol da maneira correta? Os raios ultravioletas podem nos causar queimaduras e diversos problemas na pele que podem derivar em um câncer de pele. Por isso, hoje te convidamos a descobrir alguns conselhos dos dermatologistas para se proteger do sol que, certamente, serão de grande ajuda.

Ainda que seja importante seguir estes conselhos dos dermatologistas para se proteger do sol, também ressaltamos a necessidade de visitar este especialista, pelo menos, uma vez por ano. Será fundamental, principalmente, se sua pele for branca, com muitas pintas ou se apareceu alguma nova.

A pele tem memória e, ainda que agora você se proteja bem do sol, pode ser que no passado não o tenha feito e em qualquer momento pode surgir uma pinta que se transforma em um melanoma. Vigiar a pele pode ajudar a detectar qualquer problema antes de que este piore.

1. Escolha o filtro solar adequado para se proteger do sol

Use protetor solar para se proteger do sol

O primeiro dos conselhos dos dermatologistas para se proteger do sol é escolher o filtro solar adequado para sua pele. Porque não é o mesmo ter uma pele muito branca, sensível e cheia de pintas, que uma pele morena e sem nenhuma pinta.

No primeiro dos casos deveríamos optar por um fator de proteção 50 (FPS 50). No segundo, poderíamos optar por um fator de proteção mais baixo, por exemplo 30 ou 15. Tudo dependerá de como costuma reagir nossa pele ante a exposição solar.

Os dermatologistas recomendam, também, que durante os primeiros dias que tomemos sol usemos um protetor solar mais alto que o de costume. O motivo é que a pele leva tempo sem se expor ao sol e tem mais chances de reagir negativamente.

Também, não importa se estivermos morenos e acreditamos que não precisamos de protetor solar. Este é indispensável sempre, já que sem ele não terá nada que proteja nossa pele dos raios ultravioleta (UV), o que aumentará o risco de sofrer um câncer de pele no futuro.

Saiba mais sobre A importância do uso do protetor solar 

2. Saia sempre na rua com protetor solar

Outro dos conselhos dos dermatologistas para se proteger do sol é que não só é necessário utilizar o protetor quando está na praia ou na piscina. Quando passeia pela rua ou caminha pela cidade sua pele também está exposta à radiação. Agora, isso não significa que devemos aplicá-lo somente no rosto. Existem outras partes do corpo que podem estar expostas ao sol.

No verão, não devemos nos esquecer das pernas se usarmos shorts, ou dos braços. Também, quando andamos de carro, o sol pode incidir em algumas partes de nosso corpo. Proteger qualquer área que possa ser exposta ao sol é indispensável para nossa saúde. Além disso, levá-lo também permitirá repor a proteção no caso de precisarmos.

3. Evite as horas de mais calor

Esconda-se debaixo do guarda sol para se proteger do sol

O terceiro dos conselhos dos dermatologistas para se proteger do sol é evitar as horas de mais calor. Poucas pessoas levam isso em consideração, mas entre o meio dia e as 4 horas da tarde a exposição ao sol se torna duplamente perigosa. Estas são as horas nas quais os raios UV incidem com maior força.

Ainda que não utilizemos uma proteção alta, é melhor ficar debaixo de uma sombrinha ou utilizar algum complemento como óculos de sol, um chapéu e alguma camiseta leve para conseguir uma maior proteção. Isso nos trará uma maior segurança e evitará qualquer possível queimadura na pele.

4. Proteja as áreas de maior exposição

Certamente você tem que proteger o corpo e o rosto, mas alguma vez você já queimou os pés ou as orelhas? Não se esqueça de colocar proteção solar em algumas zonas do corpo que estão mais expostas. Por isso, veja algumas as quais não costumamos prestar a devida atenção:

  • Pés, orelhas e mãos: passar o protetor solar nestas áreas é indispensável. Certamente que, em mais de uma ocasião, você os queimou.
  • Couro cabeludo: ainda que tenha cabelo, o couro cabeludo não está protegido do sol. Utilizar um boné ou um chapéu será a melhor forma de fazê-lo.
  • Decote: é uma área muito sensível que devemos cuidar passando o protetor a cada duas horas, mais ou menos, para evitar queimaduras graves.

Confira essas 5 recomendações na hora de tomar sol

5. Depois da exposição temos que hidratar a pele

Independentemente de termos queimado ou não a pele, sempre temos que hidratá-la depois do sol, já que esta ficou exposta ao sol. Da mesma forma, devemos evitar o sol se a pele avermelhou ou se estiver descascando devido a uma queimadura. Isso a tornará muito mais sensível aos raios UV.

Quais destes conselhos dos dermatologistas para proteger a pele do sol sempre ignorou? Convidamos a colocá-los em prática a partir de hoje. Uma boa proteção evitará problemas graves na pele no futuro.