Tratamento natural para a lombalgia: 3 dicas básicas

· 21 de junho de 2016
Visto que a lombalgia costuma ser resolvida em um período de 3 a 6 semanas, devemos nos conscientizar para não fazermos esforços durante este tempo, mas também não é recomendável fazer repouso absoluto.

A lombalgia costuma afetar quase sempre a pessoas em idade muito ativa, entre 30 e 60 anos. Trata-se de uma doença muito comum, originada por distensões musculares na região lombar, e que resulta em dor e problemas de mobilidade.

Precisamos deixar claro que, além disso, cada pessoa é única e, ainda que a lombalgia se resolva geralmente entre 3 e 6 semanas, é preciso contar sempre com a supervisão de um médico.

Em algumas ocasiões, o problema costuma ter sua origem em uma hérnia ou em alguma doença e, como tal, é importante dispor dos conselhos de bons profissionais.

Por outro lado, nós, em casa, também podemos seguir algumas dicas simples e naturais que nos ajudarão a ter uma melhor qualidade de vida e acelerar o processo de recuperação. Confira as dicas a seguir.

1. Repouso, mas não total

A primeira coisa que sentimos quando surge a lombalgia é uma dor intensa e “quente” na região inferior das costas. Muitos pacientes descrevem como se estivessem sendo “partidos pela metade”. Encontramos uma grande dificuldade para nos movimentar, girar e inclusive sentar.

Leia também: quais são os 9 melhores relaxantes musculares

A lombalgia, assim como dissemos antes, costuma ser resolvida completamente em um período de 3 a 6 semanas. Ou seja, ela costuma incapacitar o paciente por até um mês.

Isso significa que é preciso fazer repouso durante todo esse tempo? A resposta é não.

  • O mais recomendável é manter um rigoroso repouso nos dois ou três primeiros dias. A dor é intensa e os nervos ficam muito inflamados, então nesse período é impossível fazer qualquer atividade.
  • Passado esse tempo, permanecer imóvel ou deitado fará com que os músculos comecem a enfraquecer, e músculos fracos pioram a saúde de nossa coluna vertebral.
  • É preciso fazer exercícios suaves, na intensidade que a própria dor ou o incômodo nos permitam. Nos dias após essas 48 horas, precisamos ser o mais ativos possível, pois se não fizermos isso, a dor durará por mais tempo.

Que tipo de exercício podemos fazer?

Podemos recorrer a um profissional de saúde vertebral, como um fisioterapeuta, um quiroprático ou um médico especialista em medicina física e reabilitação.

Contudo, em casa podemos fazer pequenos exercícios de alongamento suaves para fortalecer a região lombar.

  • Podemos caminhar de forma mais lenta ou usar uma bicicleta ergométrica.
  • Nadar um pouco todos os dias também é um dos melhores exercícios que podemos fazer para tratar a lombalgia.

2. Anti-inflamatórios naturais para a lombalgia

O-gengibre-500x334

2.1 Anti-inflamatório oral: gengibre

Será muito bom preparar duas xícaras de chá de gengibre por dia. É um dos melhores anti-inflamatórios naturais dos quais dispomos e que, por sua vez, pode substituir os analgésicos que tomamos para tratar o problema.

Basta fazer uma infusão com uma colher de chá de raiz de gengibre (5 gramas) para cada xícara de água (250 ml). Tome quente depois das refeições.

2.2 Anti-inflamatórios tópicos: óleo essencial de arruda, cavalinha e alecrim

Dentre as plantas mais recomendadas para aliviar essa dor, encontramos tanto o alecrim quanto a cavalinha. Neste caso, o que faremos será ferver um litro de água e adicionar uma colher de sopa e meia de cavalinha (15 gramas) e a mesma quantidade de alecrim.

Descubra: Para que serve e quais as propriedades da cavalinha?

Deixe a infusão ocorrer por 20 ou 30 minutos, para depois permitir que a água fique um pouco morna.

Umedeça uma gaze com essa mistura medicinal e aplique na região lombar enquanto faz meia hora de repouso. Se fizer duas vezes por dia, conseguirá algum alívio.

A arruda, por sua vez, além de ser um bom anti-inflamatório, se lança como um bom remédio natural para reduzir a dor e relaxar.

Por isso recomendamos que procure seu óleo essencial em lojas de produtos naturais, para poder fazer boas massagens utilizando-o. É um tratamento alternativo muito interessante.

3. Tratamento cognitivo-comportamental para a lombalgia

dor-nas-costas-e-emocões

Este dado, apesar de a primeira vista não parecer relevante, é muito importante e devemos considerá-lo.

Existe muita gente que, quando sofre de lombalgia, evita se mexer, focaliza um medo muito intenso do movimento porque o associa à dor e isso gera ainda mais tensão e sobrecarga muscular.

É um círculo vicioso: a dor causa medo, o medo causa a ideia de que não devemos nos mexer e, por sua vez, a imobilidade inflama ainda mais os nervos e enfraquece os músculos da região lombar.

  • Devemos nos conscientizar de que tratar a lombalgia requer tempo. Levará no mínimo um mês antes que o paciente se sinta realmente bem.
  • Durante esse tempo é preciso saber que você precisa harmonizar sua mente e emoções com o eixo das suas costas: mais tensão causará mais dor. Assim, mantenha a calma, relaxe e faça com que todos os seus movimentos sejam suaves. Afaste o medo de sua mente e pense que você se sentirá melhor a cada dia.
  • Saia para passear, mantenha um dia a dia relaxado, onde seja possível fazer movimentos suaves, distrair a mente e evite, acima de tudo, ficar quieto e abusar dos fármacos anti-inflamatórios.

É possível que em sua cidade existam clínicas que funcionam como escolas para corrigir a postura.

Ali eles ensinarão a higiene postural, ergonomia, como deve-se carregar pesos, quais tipos de exercícios são os mais adequados para prevenir futuros problemas e, em essência, a manter uma qualidade de vida melhor com a nossa coluna vertebral.