Tratamento da erisipela

· 24 de abril de 2018
A erisipela é uma infecção bacteriana que afeta principalmente a epiderme. É semelhante a outro distúrbio da pele conhecido como celulite, embora se desenvolva nas camadas inferiores. Conheça o tratamento dessa afecção.

A erisipela é causada pela bactéria Streptococcus do grupo A, deixando grandes manchas vermelhas na pele. Geralmente afeta a área do rosto e das pernas.

Sintomas

  • Febre
  • Frio
  • Arrepios
  • Mal-estar geral.
  • Lesão cutânea, que geralmente fica vermelha, inchada, com uma borda elevada.
    • As bolhas também aparecem na área afetada e quando a erisipela afeta a área do rosto, a zona inflamada geralmente inclui o nariz e as duas bochechas.

Por outro lado, a erisipela também se apresenta com inflamação das glândulas, o que é um grande incômodo para o paciente com essa condição, pois causa dor.

Leia também: 5 remédios eficazes contra verrugas

Causas

Bactérias envolvidas na erisipela

Quando a bactéria do estreptococo do grupo A penetra a barreira da pele externa, desenvolve-se a erisipela. Deve notar que essas bactérias normalmente vivem na pele e outras superfícies sem causar nenhum dano. No entanto, as bactérias podem entrar na pele através de um corte ou ferida e causar uma infecção.

As condições que causam rupturas na pele, como pé de atleta e eczema, às vezes podem levar à erisipela. Isso também pode acontecer quando as bactérias se espalham pelas passagens nasais após uma infecção no nariz e na garganta.

Qual o tratamento da erisipela?

Tratamento farmacológico

Os estreptococos causam a maioria dos casos de erisipela; portanto, a penicilina permaneceu como a terapia de primeira linha. A penicilina administrada por via oral ou intramuscular é suficiente para a maioria dos casos de erisipela clássica. Deve ser administrada por 5 dias, mas se a infecção não melhorar, a duração do tratamento deve ser prolongada.

Uma cefalosporina de primeira geração pode ser usada se o paciente for alérgico à penicilina. As cefalosporinas podem reagir de forma cruzada com a penicilina e devem ser usadas com precaução em pacientes com história de alergia grave à penicilina.

A clindamicina continua a ser uma opção terapêutica, embora os estreptococos do grupo B tenham sido considerados resistentes à clindamicina. A cobertura de Staphylococcus aureus geralmente não é necessária para infecções típicas, mas deve ser considerada em pacientes que não melhoram com penicilina ou que apresentam formas atípicas de erisipela, incluindo erisipela bolhosa.

Alguns autores acreditam que a erisipela facial deve ser tratada empiricamente com um antibiótico resistente à penicilinase, como dicloxacilina ou nafcilina. Isto para cobrir uma possível infecção por S. aureus, mas não há provas para apoiar esta recomendação.

A roxitromicina e a pristinamicina são extremamente eficazes no tratamento da erisipela. Vários estudos mostraram maior eficácia e menos efeitos adversos com esses medicamentos em comparação com a penicilina. A Food and Drug Administration (FDA) não aprovou estes medicamentos nos Estados Unidos, mas eles estão em uso na Europa.

A FDA aprovou 3 antibióticos, oritavancin (Orbactiv), dalbavancin (Dalvance) e tedizolid (Sivextro), para o tratamento de erisipela e infecções bacterianas agudas e da estrutura da pele. Esses agentes são ativos contra Staphylococcus aureus (incluindo os isolados resistentes à meticilina), Streptococcus pyogenes, Streptococcus agalactiae e Streptococcus anginosus, entre outros.

A maioria das pessoas com erisipela pode ser tratada em casa, mas algumas podem exigir tratamento de erisipela em um hospital. Dependendo da gravidade da sua condição, seu plano de tratamento pode incluir remédios caseiros, medicamentos ou cirurgia.

Cirurgia

A cirurgia pode ser um dos tratamentos da erisipela

A cirurgia só é necessária quando a erisipela progrediu rapidamente e causou a morte de tecido saudável (necrose). Uma operação cirúrgica pode ser necessária para cortar o tecido morto. Embora a maioria dos casos de erisipela se resolva sem sequelas após terapia antibiótica adequada, o tratamento de erisipela rápido é crucial.

Não sabia? O limão congelado poderia combater os tumores malignos

Além da administração de antibióticos, o atendimento ao paciente inclui o seguinte:

Tratamento sintomático da dor e febre

  • Compressas frias
  • Hidratação (ingestão oral, se possível).
  • Elevação do membro afetado. Recomenda-se para reduzir a inflamação e a dor.
  • Apósitos salinos úmidos, que devem ser aplicados a lesões ulceradas e necróticas e alterados a cada 2 a 12 horas, dependendo da gravidade da infecção.

Remédios naturais para erisipela

Óleopara tratar a erisipela

  • Óleo de amêndoas. O óleo de amêndoa prensado a frio é uma das maneiras mais eficientes de eliminar manchas vermelhas da erisipela anestésica. Após algumas aplicações com óleo de amêndoa, a pele se recupera completamente como se não tivesse havido manchas ou lesões.
  • Tratamento de absinto. Lave a área afetada com chá do absinto duas vezes por dia. Em seguida, tome o medicamento prescrito pelo seu médico. Provavelmente ele irá indicar antibióticos, que são muito eficazes na fase de surto da doença.
  • Remédio de alface verde. A aplicação de cataplasmas com alface é outro tratamento de erisipela natural surpreendente. Certifique-se de escaldá-la levemente antes de aplicar.
  • Cura de Malvavisco. Outra excelente compressa que você pode aplicar é com folhas e raízes de malvavisco fervido (decocção).

Dieta recomendada para erisipela

Recomenda-se comer uma boa quantidade de fruta (cerca de 20% de suas refeições por dia), bem como uma dieta que exclui completamente alimentos fritos e carne. Em vez disso, recomenda-se comer peixe e ovos. Esta dieta deve ser mantida por 6 meses com pequenos intervalos.

Referências

Erysipelas Treatment & Management, MedScape, https://emedicine.medscape.com/article/1052445-tratamento

Qual tratamento para erisipela? Tratamento de antibióticos: drogas e métodos de administração, PubliMed.gov. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11319362

Erysipelas: Causas, sintomas e tratamento, Medical News Today, https://www.medicalnewstoday.com/articles/317973.php

Erysipelas: causas, fatores de risco, sinais, sintomas, tratamento, prevenção, prognóstico, ePainAssist, https://www.epainassist.com/skin/erysipelas

Erysipelas, Organização Nacional para Distúrbios Raros NORD, https://rarediseases.org/rare-diseases/erysipelas/