Transtornos de movimentos estereotipados

18 de maio de 2019
O transtorno de movimentos estereotipados é detectado em idades precoces, ainda que suas causas sejam difíceis de detectar. Hoje descubra mais sobre esta doença.

De acordo com a Guia de consulta dos critérios diagnósticos do DSM-5, o transtorno de movimentos estereotipados é um comportamento repetitivo aparentemente guiado e sem objetivo. Este transtorno pode interferir nas atividades sociais e acadêmicas da criança que o sofre.

Causas do transtorno de movimentos estereotipados

Muitas vezes, as causas do transtorno de movimentos estereotipados não estão claras. De fato, às vezes, a sintomatologia que apresenta pode fazer com que se confunda com outros transtornos. No entanto, existem alguns motivos claros que podem trazer alguma luz sobre as causas que provocam o transtorno de movimentos estereotipados. A seguir veja algumas delas.

Efeitos fisiológicas de alguma substância

Criança com transtorno de movimentos estereotipados

Existem algumas drogas que podem ocasionar, durante um período breve, o mesmo comportamento que um paciente com transtorno de movimentos estereotipados apresenta. Lamentavelmente, as crianças cujos pais consomem drogas, podem ter acesso a elas com grande facilidade. No entanto, nestes casos, os sintomas não se prolongam no tempo, a menos que a exposição à substância seja contínua.

Talvez te interesse ler também: Quais são as drogas mais poderosas do mundo?

Transtornos associados

A síndrome de Lesch-Nyhan pode apresentar alguns dos sintomas do transtorno de movimentos estereotipados. Da mesma forma, ocorre se a criança sofre com uma incapacidade intelectual ou tem alguma lesão na cabeça.

O problema desse transtorno é que, às vezes, pode chegar a ser confundido com um sintoma do autismo, com o transtorno obsessivo compulsivo ou com a síndrome de Tourette. Por isso, antes de chegar a alguma conclusão, é necessário fazer os exames pertinentes.

Qual a sintomatologia desse transtorno?

O transtorno de movimentos estereotipados apresenta movimentos repetitivos que podem ir desde apertar-se as mãos, roer as unhas, colocar objetos na boca ou balançar-se, assim como numeroso tiques.

Um dos problemas é que o estresse, o aborrecimento ou a frustração podem fazer com que esses movimentos piorem. Em alguns casos, pode causar lesões na criança. Estes casos são muito graves e devem ser tratados com urgência.

Não deixe de ler ademais: Estresse infantil desencadeado pela pressa dos pais

Tratamentos disponíveis

Médico é quem diagnostica movimentos estereotipados

Dependendo do diagnóstico obtido (se o transtorno de movimentos estereotipados apresenta auto-lesões ou não) o médico optará por um tratamento ou outro. Alguns dos que estão disponíveis são:

  • Modificações no ambiente: se a criança se auto-lesiona, há que se tomar medidas para evitar que isso ocorra. Tudo dependerá do objeto que costuma usar para se auto-ferir.
  • Fármacos adequados: o médico levará em consideração a idade da criança para saber qual tipo de fármacos poderá receitar. Alguns deles podem ser neurolépticos ou depletores de catecolaminas.
  • Psicoterapia: é uma grande ajuda e juntamente com determinadas técnicas comportamentais pode-se obter grandes resultados. Além disso, a terapia pode ter o apoio das anteriores.

O maior problema deste transtorno é que interfere na vida normal da criança. Os movimentos que realizam são involuntários e, por mais que queiram, não os podem controlar. Caso seu filho tenha sido diagnosticado com este transtorno por alguma lesão, devemos entender que os movimentos podem ser permanentes. Com os tratamentos indicados pode ocorrer uma leve melhora ou um maior controle, mas nunca será eliminado totalmente.

Tem detectado este tipo de movimento em algum de seus filhos? Caso apresente algum movimento repetitivo, procure um pediatra de confiança. Ele fará os exames pertinentes para saber o que está acontecendo e como se pode resolver da melhor maneira.