O que toda mãe deveria saber antes de ter o segundo filho

Maternidade: a segunda vez é mais fácil?
O que toda mãe deveria saber antes de ter o segundo filho

Última atualização: 24 março, 2022

Quando a mulher descobre que terá um segundo filho, ela experimenta uma mistura de sentimentos. Ser mãe é encontro, comunhão, multiplicação. Nada é mais bonito do que a maternidade. Mas também significa, muitas vezes, se sentir perdida. É constatar que os seus planos não estão mais só nas suas mãos.

Passar por uma gravidez é uma experiência para mulheres corajosas, sobretudo quando assumem a responsabilidade de serem mães pela segunda ou terceira vez. A mulher experimenta a preocupação com o parto, as mudanças do corpo ao longo de 9 meses, o mal-estar, as mudanças de humor, a insegurança e, ao mesmo tempo, um amor avassalador.

A gravidez e o parto podem ser dolorosos e extenuantes, mas valem a pena quando se trata de trazer uma nova vida ao mundo.

Segundo filho: uma viagem diferente e cheia de descobertas

Aquela mãe de primeira viagem já não existe mais, ela é uma pessoa completamente nova. A maternidade é algo difícil de explicar, precisa ser vivido e sentido. Não importa quanta experiência você tenha a respeito, a sua segunda gravidez nem de perto será igual à primeira.

Estes são alguns aspectos interessantes que algumas mulheres podem vivenciar durante a segunda gravidez:

1. Você se sentirá mais cansada na segunda gravidez

É preciso ter em mente que cada gestação é única, o que significa que os sintomas apresentados podem variar. Porém, é importante frisar que as diferenças não representam necessariamente alguma preocupação com a saúde da mãe ou do bebê.

Na segunda gravidez, a mãe já tem um filho mais velho para cuidar e centenas de coisas para fazer em casa. Além disso, se ela trabalha fora, as coisas não serão muito tranquilas. O peso da barriga incomoda, a primeira criança exige atenção, as mudanças do corpo exigem mais no dia a dia. Você vai estar à beira não apenas da exaustão, mas também de um colapso nervoso.

E os efeitos da progesterona? Esse hormônio não apenas prepara seu organismo para todo esse processo de gravidez e parto, mas também gera fadiga como efeito secundário, náuseas e nojo de comida.

Contudo, esses sintomas podem ou não estar presentes nos primeiros 3 meses da primeira ou segunda gravidez. E algumas mulheres não apresentam nenhum mal-estar desse tipo.

2. Os movimentos do bebê

Esse é um momento muito esperado pelas mulheres. Para elas, é sinal de que seu filho está saudável.

Pois bem, na segunda gravidez eles serão sentidos possivelmente a partir da 13ª semana de vida do bebê, sendo que na primeira gravidez só começam depois da 16ª semana.

3. Sensibilidade nos seios

A extrema sensibilidade nos seios pode ser muito desconfortável para a mulher. No entanto, na segunda gravidez, provavelmente, ela não sentirá esse desconforto e os seios não ficarão tão grandes.

4. A barriga pode ficar maior

É verdade que a barriga cresce mais rápido e fica maior na segunda gravidez? A explicação para essa sensação é a de que a pele da região do abdômen, que já esticou bastante previamente, apresenta mais flacidez.

Por isso, a tendência é que a barriga do segundo filho apareça mais rapidamente do que a da primeira gestação. Mas, claro, não há regra para que isso aconteça.

5. A localização do bebê

Após a primeira gravidez e parto, os músculos abdominais e pélvicos perdem muito da sua força. É por essa razão que a barriga apresentará uma posição mais baixa durante a segunda gravidez. Isso não deve ser visto como um sinal de alerta, pois é apenas o processo do corpo feminino que já passou por uma situação “traumática”.

No entanto, há exercícios que podem ajudar a fortalecer os músculos pélvicos, assim você fortalecerá essa área do corpo e evitará os problemas consequentes.

6. As contrações

As contrações uterinas podem ser muito dolorosas e na segunda gestação elas podem ser ainda piores. Após cada gravidez e parto posterior, será pior o nível de recuperação ao qual o corpo é submetido.

Normalmente, depois do parto, o útero deve voltar à sua posição original. Para isso, ele se contrai, tal como quando temos cólicas menstruais. Esse esforço extra faz com que as dores sejam piores.

7. As costas doerão mais

Durante a gestação, há uma sobrecarga na musculatura que sustenta a coluna, sobretudo na musculatura da região lombar, e a mulher começa a sentir dores nas costas. Além disso, o corpo fabrica o hormônio relaxina, que promove maior flexibilidade das articulações pélvicas. Ele é importante na preparação do corpo para o parto.

Na segunda gravidez a dor é pior, isto porque seus músculos e articulações já estavam frouxos, o que gera um mal-estar maior.

8. O parto

Não existe uma regra geral. A primeira gravidez pode ter finalizado com um parto natural sem maiores inconvenientes e o segundo ser uma verdadeira odisseia. Há mulheres que precisam de uma cesariana. Também há segundos partos menos dolorosos, enquanto outros que são traumáticos.

Inclusive, há mulheres cujos primeiros filhos nasceram por cesariana e o segundo por parto natural. Embora as possibilidades sejam baixas, isso pode ocorrer.

Cada gravidez é única e cada parto também. Uma gravidez traz muitas alegrias, desafios e histórias para contar. Cada mulher que dá à luz um filho é realmente corajosa e forte, mas são essas dificuldades que nos marcam e ensinam para sempre. 

Se você está grávida do seu segundo filho, parabéns! Tudo o que você passou quando esteve grávida pela primeira vez servirá como experiência. Prepare-se para novos desafios e situações que você não conheceu enquanto gestava o primeiro filho.

Pode interessar a você...
A segunda gravidez e as diferenças com a primeira
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
A segunda gravidez e as diferenças com a primeira

Na segunda gravidez você não terá a possibilidade de descansar tanto quanto na primeira, porque há outra pessoa pequena que precisa do seu cuidado.