Melhor Com Saúde
 

Quanto tempo um bebê prematuro deve ficar no hospital?

Um parto prematuro, por si só, gera estresse e dúvidas nos pais. O recém-nascido deve passar algum tempo no hospital até se recuperar, mas você sabe o que influencia a permanência hospitalar dos bebês prematuros? Descubra a seguir.

Quanto tempo um bebê prematuro deve ficar no hospital?

Última atualização: 22 Julho, 2020

As dúvidas dos pais sobre o parto prematuro são inúmeras. Por exemplo, qual é o tempo de hospitalização do bebê prematuro? Embora todo bebê seja diferente e exija um diagnóstico personalizado, também existem algumas diretrizes gerais.

Neste artigo, falamos sobre parto prematuro e quanto tempo o bebê prematuro deve ficar no hospital. Essas informações ajudarão a esclarecer algumas dúvidas para os pais que vivem essa etapa com medo e incerteza.

O parto prematuro

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o nascimento prematuro é o nascimento que ocorre entre 20 e 37 semanas de gestação. Pode ter consequências adversas para a saúde do bebê a curto e a longo prazo, com alto risco de mortalidade neonatal.

Alguns fatores associados ao parto prematuro são os seguintes:

  • Anemia
  • Altos níveis de catecolamina na urina materna
  • Tabagismo
  • Ruptura prematura de membranas (RPM)
  • Hipertensão arterial (TH)
  • Sangramento vaginal
  • Infecções do trato urinário
  • Atendimento pré-natal inadequado ou nulo
  • Mãe com menos de 20 anos ou mais de 35
  • Baixo volume de líquido amniótico (oligoidrâmnio)
  • Antecedente de aborto induzido
  • Pré-eclâmpsia
  • Gravidez múltipla

Quer saber mais? Então leia também: 7 cuidados que um bebê prematuro precisa ter

Cuidados do bebê prematuro no hospital

O que determina o tempo de hospitalização do bebê prematuro?
Após um parto prematuro, a permanência na incubadora do hospital permitirá que o desenvolvimento correto do recém-nascido seja concluído.

Os cuidados médicos são essenciais para a saúde e a sobrevivência do bebê prematuro. Isso foi demonstrado pelas diferentes estatísticas de acordo com os recursos de cada país. Quais são esses cuidados?

  • Lactação materna imediata e apoio à alimentação
  • Manutenção da incubadora para garantir o equilíbrio térmico e minimizar o risco de infecção
  • Cuidados higiênicos do cordão e da pele do bebê
  • Assistência respiratória ou reanimação, se necessário
  • Tratamento imediato em caso de complicações, como icterícia, infecções, etc

Hoje, graças aos avanços médicos, o vínculo entre pais e recém-nascido é facilitado com diferentes técnicas. Entre elas, destaca-se o Método Mãe Canguru, que detalhamos a seguir.

Método Mãe Canguru

O Método Mãe Canguru é uma técnica de cuidado para o recém-nascido prematuro, baseada no contato pele a pele com a mãe e em tudo o que ela pode proporcionar: alimentação (lactação materna exclusiva sempre que possível), estímulo e proteção. Aliás, o pai ou outro adulto também pode fazer isso.

Com essa técnica, apesar de estar no hospital, é alcançado um tratamento muito mais humanizado e natural do bebê prematuro. Suas necessidades de temperatura, alimento e proteção são cobertas, bem como as questões emocionais (segurança e amor). Ao mesmo tempo, os pais estabelecem um vínculo emocional com o seu filho.

O Método Mãe Canguru pode ajudar a reduzir a internação hospitalar. Posteriormente, essa técnica pode ser mantida em casa após a alta, dependendo do progresso do bebê, quase sempre com acompanhamento ambulatorial em casa pelo tempo necessário.

Leia também: 8 benefícios da amamentação para a mãe e o bebê

Qual é o tempo de hospitalização do bebê prematuro?

Incubadora para o cuidado do recém-nascido prematuro
Alguns dos fatores considerados para a alta são a temperatura e o peso do bebê.

Para os pais, esse tempo no hospital sempre vai parecer uma eternidade. Após o susto inicial de um parto que eles não esperavam tão cedo, as dificuldades do dia a dia e a impaciência aumentam. No entanto, deve ficar claro que o hospital é o melhor local para o seu filho nesta fase.

Existem muitos fatores que determinarão o tempo de hospitalização do bebê. Entre eles, a capacidade de respirar e comer, a temperatura e a evolução do peso. Nesse sentido, os 2 kg são uma referência de peso padrão que o recém-nascido deve atingir para receber alta. A maioria dos bebês o atinge em 2 a 4 semanas.

Em resumo, estes são os três fatores que determinam quando será possível levar o bebê para casa:

  • O bebê consegue manter uma temperatura estável sem uma incubadora por 1 ou 2 dias.
  • É alimentado sem sondas, seja através da lactação materna ou mamadeira.
  • Ganha peso regularmente e atinge os 2 kg.

Agora já sabemos um pouco mais sobre o parto prematuro e os cuidados necessários para o bebê que nasceu antes da hora. Entretanto, cada bebê é único e a sua evolução vai depender de muitos fatores. É importante que você tenha a assistência necessária em todo momento, tanto física quanto emocional.

Guia para os primeiros dias do bebê em casa

Guia para os primeiros dias do bebê em casa

Um bebê em casa pode trazer um pouco de incerteza para os pais. Após o parto, quando chegar a hora de ir para casa, chegam as dúvidas e inceretezas.