Porque fazer tatuagem pode ser perigoso?

22 Maio, 2020
Se não tomarmos as medidas higiênicas adequadas, poderíamos contrair doenças como a AIDS ou a hepatite.
 

Um bonito desenho na pele pode ser muito atrativo, mas também perigoso por seus efeitos secundários, efeitos esses dos quais nem sempre somos informados. Antes de fazer uma tatuagem é necessário conhecer o processo e suas consequências para a saúde.

Normalmente utiliza-se uma máquina elétrica com agulhas descartáveis que injetam a tinta na camada inferior da pele, a derme. A camada superior ou epiderme perde a tinta com facilidade ao produzir “escamas” sobre as feridas; por isso, utiliza-se a camada interior, na qual a tinta permanece indefinidamente.

Dessa forma, tratamentos para apagar uma tatuagem são tão demorados e mais complexos.

E porque fazer tatuagem pode ser perigoso?

Primeiramente é muito importante procurar um estúdio habilitado pela vigilância sanitária, com profissionais qualificados para que tanto os instrumentos quanto os produtos usados sejam de qualidade.

Além disso, é bom se certificar de que todas as medidas higiênicas sejam tomadas para evitar contágios de doenças como HIV, tétano, hepatite e/ou qualquer outra infecção de fácil contágio pelo sangue.

Ainda mais, as tatuagens podem produzir diferentes complicações na pele, como granulomas (grão vermelhos) e queloide; que surgem repentinamente pela inflamação ou reações alérgicas, inclusive anos depois da realização da tatuagem.

Também não é conveniente se tatuar onde existam pintas ou verrugas para não impedir análises posteriores em casos de complicações ou suspeitas de doenças como o câncer, por exemplo.

 

Leia mais: Tatuagens para “apagar” as feridas da vida

Como prevenir as complicações da tatuagens?

Photon-tatuagem

Como citado anteriormente, o primeiro ponto a ser avaliado é se o estúdio de tatuagem tem o funcionamento autorizado pela vigilância sanitária; comprovando que o mesmo se enquadra nos padrões para evitar contaminações.

Além disso, é necessário se assegurar de que as agulhas sejam descartáveis e que se utilize uma agulha nova para cada cliente.

Ademais, confirmar que toda a sujeira é retirada depois do uso de tintas e pigmentos individuais, pois esses materiais também são uma fonte de infecção.

Ainda mais, o estabelecimento deverá ter uma autoclave, para esterilizar suas ferramentas, e as superfícies de trabalho devem ser limpas com desinfetante.

O tatuador também deve manter a higiene, lavando-se com sabão antibacteriano e usando luvas de látex descartáveis.

No fim de cada trabalho deve entregar uma guia de como se deve agir para evitar infecções e manter a tatuagem intacta. Seria interessante conversar sobre todos esses pontos antes de contratar o serviço.

Saiba mais: Hábitos que provocam doenças

 

Considere também

Antes de fazer uma tatuagem é bom considerar, que caso enjoe um dia, eliminá-la será custoso e doloroso. Além disso, é muito possível que fique uma cicatriz no lugar onde estava a tatuagem.

Muitas pessoas procuram centros de saúde pra eliminar antigas tatuagens devido à complicações que surgem ao longo do tempo.

Também se deve considerar que ganhos de peso significativos podem gerar estrias, que seguramente acabarão com o desenho.

Outros fatores podem estragar uma tatuagem, como futura maternidade, por isso é conveniente que principalmente as mulheres, não escolham tatuar regiões como os seios ou a barriga.

Alternativas modernas

luis-fernandez-clinica-tatu

Caso queira uma tatuagem, mas não sabe se esse desejo mudará mais tarde, está com sorte. Atualmente a indústria tem desenvolvido tintas biodegradáveis menos tóxicas e mais fáceis de eliminar do que as tradicionais.

O único inconveniente é que é muito mais cara do que a tinta comum, por isso não é muito usual.

É muito importante considerar a qualidade das tintas, já que, às vezes, o barato sai caro, principalmente nesse caso.

Se necessitar atendimento médico ou inclusive para eliminar a tatuagem por complicações; saiba que as tintas e pigmentos podem se  contaminar por diversas causas:

 
  • O uso de ingredientes contaminados ao fabricar as tintas;
  • Processos de manufatura que introduzem contaminantes;
  • Práticas anti-higiênicas que contaminam as garrafas de tinta;
  • Uso de água não esterilizada para diluir as tintas;
  • Uso de tintas com validade ultrapassada.

Imagens oferecidas por Renato y Luis Fernandez.

  • CASTELAZO, M. D. L. G., & SANTILLÁN, C. P. (2016). Lo nuevo primitivo: El tatuaje cosmetico. TIinta y carne.
  • Mattei, G. (2017). Marcas en la piel: aspectos culturales y sanitarios del cuerpo tatuado.
  • Suárez González, F. J. (2017). Tinta, sentido y sangre: el tatuaje como resignificador del dolor, la memoria, la identidad y las prácticas de género.