O que é uma subluxação?

A subluxação afeta o alinhamento normal da articulação devido ao alongamento do tecido mole que a compõe. Embora nem sempre cause dor, é importante tratá-la para que não leve a complicações graves.
O que é uma subluxação?

Última atualização: 10 Agosto, 2021

A subluxação é uma luxação incompleta causada pelo deslocamento de um dos dois ossos que constituem uma articulação. Essa situação afeta o alinhamento normal da articulação e compromete as funções do sistema nervoso, desencadeando diversos problemas físicos.

A lesão interfere no fluxo constante de energia e na comunicação entre o cérebro e o resto do corpo. Portanto, embora a princípio possa ser imperceptível e indolor, desencadeia sintomas e patologias que diminuem gradativamente a qualidade de vida.

É muito importante prestar atenção imediata a qualquer tipo de subluxação, pois sua falta de controle pode reduzir a mobilidade articular e as funções associadas aos nervos afetados. Portanto, é conveniente revisar suas principais causas e sintomas e o tipo de tratamento que elas requerem.

Qual é a diferença entre uma subluxação e uma luxação?

Como indica a literatura científica, uma subluxação é o deslocamento de uma articulação devido ao alongamento dos tecidos moles. Uma luxação ocorre quando dois ossos saem da sua posição normal. A diferença entre os dois é que, na subluxação, a perda de contato entre as superfícies articulares é apenas parcial, enquanto na luxação elas não têm nenhum contato.

Quais são as causas de uma subluxação?

As subluxações podem ser causadas por micro ou macrotraumas. Muitas vezes, a região que costuma ser afetada por essa condição é a coluna vertebral, comprometendo o eixo de sustentação e toda a estabilidade estrutural do corpo. Suas causas incluem:

  • Pancadas.
  • Acidentes
  • Posturas ruins.
  • Rotações ósseas.
  • Esforço físico excessivo.
  • Movimentos articulares inadequados.

Assim como acontece com outros tipos de lesões, existem alguns fatores que aumentam a predisposição à subluxação. Os mais comuns são alimentação inadequada, estilo de vida sedentário, práticas esportivas inadequadas e distúrbios do sono.

Sintomas de uma subluxação

Subluxação do ombro

Uma subluxação pode se tornar o principal gatilho para a interferência do nervo. Mesmo assim, muitos casos são difíceis de detectar em tempo hábil, pois nem sempre se manifestam com enfermidades ou sinais fortes. Em outros casos, seus sintomas podem incluir:

  • Uma junta que parece deformada ou deslocada a olho nu.
  • Inflamação e dor intensa na área afetada.
  • Dormência e formigamento
  • Imobilidade articular.
  • Descoloração e aparência machucada.

O atendimento imediato diante de qualquer suspeita de subluxação é essencial para o tratamento oportuno e bem-sucedido. Embora nem sempre gerem um grande desconforto, é fundamental corrigi-las o mais rápido possível. Quando o fluxo nervoso é restaurado, o processo degenerativo é interrompido.

Você pode estar interessado em ler: Exercícios para manter suas costas saudáveis

Diagnóstico de uma subluxação

Para diagnosticar uma subluxação, o médico começa fazendo uma avaliação física do paciente. Então, para confirmá-lo, ele pode sugerir um exame de raios-X que também permite ver se há outro dano na articulação. Por último, ele pode solicitar uma ressonância magnética para analisar os danos aos tecidos moles.

Tratamento

Luxação no cotovelo

No início, é difícil distinguir entre um osso deslocado e um fraturado. No entanto, como ambas as condições são emergenciais, é importante prestar os primeiros socorros e ir a um centro médico o mais rápido possível. As primeiras etapas a serem executadas são as seguintes:

  • Ligue para a emergência ou dirija-se imediatamente ao hospital.
  • Verifique a respiração e a circulação do paciente.
  • Imobilize-o se a lesão for na perna, nas costas ou na cabeça.
  • Se a lesão tiver a pele rompida, não sopre ou cutuque a ferida. Em vez disso, enxágue e cubra com curativos esterilizados antes da imobilização.
  • Para imobilizar a articulação afetada, evite movê-la da posição em que foi encontrada. As talas devem ser colocadas acima e abaixo da ferida.
  • Se a pele não estiver rompida, aplique pressão ao redor da articulação afetada para verificar a circulação.

A imobilização da articulação antes de receber atenção médica é relevante. Isso pode evitar mais danos aos músculos, vasos sanguíneos, ligamentos e nervos. Quando o médico avaliar a lesão, ele poderá determinar os medicamentos e terapias apropriados.

Tratamento médico

Medicação para dor: zaldiar

Em alguns casos, o médico dará ao paciente um medicamento para anestesiar a área afetada. Então, depois de avaliar a gravidade da lesão, ele pode sugerir:

  • Redução: um processo no qual o médico faz uma manobra para colocar o osso de volta ao lugar.
  • Imobilização da articulação: após a colocação do osso, o profissional coloca um gesso na articulação para imobilizá-la por algumas semanas.
  • Medicamentos: Se a dor persistir, recomenda-se o uso de relaxantes musculares e analgésicos
  • Cirurgia: Este procedimento só é sugerido quando a pessoa já sofreu várias subluxações ou a lesão envolve músculos, vasos sanguíneos e nervos.
  • Reabilitação: em todos os casos, são sugeridas terapias quiropráticas ou fisioterapêuticas para corrigir as subluxações e restaurar o movimento e a força da articulação.

Qualquer tipo de subluxação desencadeia distúrbios dolorosos e propensos a complicações. Portanto, mesmo que pareça um problema superficial e indolor, é imprescindível buscar atendimento médico o quanto antes.

Pode interessar a você...
Tudo sobre a lesão no ligamento cruzado posterior
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Tudo sobre a lesão no ligamento cruzado posterior

A lesão no ligamento cruzado posterior ocorre com menos frequência do que as lesões no ligamento cruzado anterior. Saiba mais a seguir.



  • Ferran, N. A., Oliva, F., & Maffulli, N. (2006). Recurrent subluxation of the peroneal tendons. Sports Medicine. https://doi.org/10.2165/00007256-200636100-00003
  • Gale, D. R., Chaisson, C. E., Totterman, S. M. S., Schwartz, R. K., Gale, M. E., & Felson, D. (1999). Meniscal subluxation: Association with osteoarthritis and joint space narrowing. Osteoarthritis and Cartilage. https://doi.org/10.1053/joca.1999.0256
  • Horn AE, Ufberg JW. Management of common dislocations. In: Roberts JR, Custalow CB, eds. Roberts & Hedges’ Clinical Procedures in Emergency Medicine. 6th ed. Philadelphia, PA: Elsevier Saunders; 2014:chap 49.