Síndrome das pernas inquietas: 7 estratégias efetivas que irão ajudá-lo

· 13 de maio de 2018
Para melhorar ou aliviar a síndrome das pernas inquietas, a atividade física moderada pode ser muito útil, pois reativa a circulação e oxigena o corpo.

A síndrome das pernas inquietas é o pequeno, mas cansativo pesadelo sofrido por uma parte da população toda vez que tenta adormecer à noite.

Falamos sem dúvida sobre essa condição, também chamada de doença de Willis-Ekbom, que tem uma origem neurológica e é caracterizada por cólicas e formigamentos nas extremidades, especialmente nas pernas.

Esse desconforto desaparece quando a pessoa se move, quando ela se levanta e caminha.

No entanto, o simples ato de sentar-se em uma cadeira, no sofá ou algo tão comum quanto deitar-se na cama para dormir significa ter que experimentar essas sensações tão irritantes como invalidantes.

Além disso, devemos ter em mente que estamos lidando com um transtorno neurológico crônico.

Também sabemos que, embora em muitos casos a origem seja genética, uma parte dos pacientes evidencia esta condição como resultado de outras doenças associadas: insuficiência renal, déficit de vitaminas, gravidez, efeitos colaterais de certos medicamentos …

A abordagem terapêutica baseia-se, portanto, em dar ao paciente uma melhor qualidade de vida. Para isso, é realizada uma estratégia multifatorial.

Por um lado, os medicamentos mais adequados serão administrados à pessoa, que pode ser desde agonistas dopaminérgicos, antiepilépticos ou opioides.

A outra abordagem, a não-farmacológica, é baseada em muitas dessas dicas que queremos falar hoje em nosso artigo.

1. Compressão pneumática para síndrome das pernas inquietas

Compressão pneumática para síndrome das pernas inquietas

Talvez nunca tenham ouvido falar da compressão pneumática. No entanto, deve-se dizer que é uma das técnicas mais eficazes para o tratamento da síndrome das pernas inquietas.

  • É um dispositivo de compressão que é usado para melhorar a circulação sanguínea nas pernas e prevenir coágulos sanguíneos.
  • Uma das origens desse distúrbio é a baixa concentração de oxigênio nas extremidades. Graças a este dispositivo de compressão, o que fazemos é “reativar” a circulação, como se estivéssemos exercitando, mas em repouso.
  • É útil e vale a pena tentar. Deve ser suficiente aplicá-lo em nossas pernas entre meia hora e 45 minutos antes de ir dormir.

Podemos encontrar esse tipo de dispositivos de compressão em centros ortopédicos e farmácias especializadas.

Descubra como Como preparar um óleo reafirmante para as pernas

2. Vitaminas e minerais que devemos incluir na nossa dieta

Nossos médicos farão a análise e testes para descobrir se a síndrome das pernas inquietas tem origem em um déficit de minerais, como o ferro ou outros nutrientes como a vitamina D.

Além disso, tanto para prevenir e tratar este tipo de transtorno neurológico, é essencial que não negligenciemos a contribuição deste tipo de nutrientes essenciais:

3. O exercício aeróbico irá ajudá-lo se sofre de síndrome das pernas inquietas

Exerc~icio para tratar a s~indrome das pernas inquietas

O exercício aeróbico não esgota em demasia, não é intenso e, por sua vez, permite-nos desfrutar de atividades que enriquecem nosso sangue com oxigênio, o que aumenta a capacidade pulmonar e cuida do sistema cardiovascular.

Não hesite, portanto, em realizar todos os dias alguns desses exercícios simples:

  • Caminhe meia hora
  • Natação
  • Ciclismo
  • Danças
  • Zumba
  • Aeróbica
  • Tênis

4. Ioga, relaxante e adequada para alongamentos

A Ioga, como sabemos, permite trabalhar corpo e mente. Desta forma, podemos canalizar o estresse, a ansiedade, alcançar um estado adequado de calma interior para desfrutar de uma noite de descanso mais profunda.

Além disso, a importância do Ioga para tratar a síndrome das pernas inquietas é imensa.

Isso é verdade pelas seguintes razões:

  • O alongamento ativa a circulação e melhora o tônus ​​muscular.
  • Os exercícios são acompanhados por técnicas de respiração que nos permitem oxigenar melhor nosso corpo.

Não hesite, portanto, em realizar diariamente uma boa sessão de Ioga em casa ou para ir a um centro especializado onde, por sua vez, eles podem nos ensinar quais técnicas seriam as mais apropriadas para nosso caso particular.

5. Bandagens de compressão para os pés

Bandagens de compressão para tratar a s~indrome das pernas inquietas

Existem bandagens de compressão específicas para nossos pés que procuram um objetivo: aplicar pressão em certas áreas da planta do pé para estimular a circulação nas extremidades inferiores e reduzir o impacto da síndrome das pernas inquietas.

Será ideal se dormimos com este tipo de bandagens específicos para os nossos pés.

6. Tratamento térmico a frio

Sabemos que o tratamento com frio-quente é um clássico, mas não é menos eficaz. Vale a pena ter em conta.

Algo tão simples e econômico como aplicar os típicos sacos de gel frio, e depois quente, irá melhorar a oxigenação, aliviar cólicas, formigamento e fazer com que descanse muito melhor à noite.

7. Infusões para tratar a síndrome das pernas inquietas

Infusão para tratar a síndrome das pernas inquietas

Antes de optar por qualquer tratamento natural, como qualquer uma dessas infusões, é importante consultar um especialista.

Não podemos esquecer que o tratamento para a síndrome das pernas inquietas é muito específico, e medicamentos como a codeína podem interagir com algumas plantas medicinais.

Portanto, o ideal é tomar algumas dessas infusões sem exceder uma ou duas xícaras por dia. Uma delas, melhor antes de ir para a cama.

Estas são as infusões naturais mais interessantes para pernas inquietas.

  • Melissa
  • Valeriana
  • Tília
  • Espinheiro branco
  • Cavalinha 

Para concluir, apesar do fato de que esse tipo de transtorno ser crônico, não podemos esquecer que através de uma abordagem médica correta e estratégias adequadas, como as que se refletem aqui, podemos melhorar nossa qualidade de vida de forma notável.