Sempre vou preferir ouvir a verdade, ainda que doa

· 6 de março de 2016
É possível que pensemos em ocultar a verdade por medo do que os outros podem pensar de nós. No entanto, levando em conta o respeito com nós mesmos e os demais, sempre será melhor sermos sinceros e expressar a nossa opinião verdadeira.

A verdade é, sem dúvida, convicção e equilíbrio interior, principalmente nas relações amorosas. Há quem não a pratique nem sequer para si mesmo, mas é necessário que no dia a dia possamos oferecê-la, sempre com respeito, para favorecer a convivência com os outros.

Há quem deseje meias verdades. Há quem prefira mentiras que consolam. No entanto, viver na falsidade ou com meias mentiras traz, pouco a pouco, uma sensação de infelicidade.

“Quero a verdade, ainda que doa”. Estamos certos de que você também já disse isso em voz alta em algum momento e que, mesmo que tenha interiorizado isso, devemos sempre pensar que a verdade nos ajudará a avançar com mais segurança para saber onde devemos nos deter.

Por isso, hoje, em nosso espaço, iremos refletir sobre isso.

A verdade para fechar ciclos, etapas pessoais

Pensemos no exemplo mais comum: você vive uma relação amorosa onde intui que o carinho já não é o mesmo, que os gestos já não são mais autênticos.

Às vezes, nos limitamos a seguir com esta relação por medo da solidão, por temor de enfrentar a realidade: agimos como se nada estivesse acontecendo, esperando que a situação mude. Que melhore.

Entretanto, intuir, ver e sentir algo negativo e não ser capaz de dizer isso em voz alta é um erro.

Dessa forma, é preciso pedir sempre a verdade, e mais ainda em temas afetivos. É a única forma de manter a integridade pessoal e enfrentar a situação:

  • As pessoas precisam da verdade nas relações para que possam lutar por elas ou, caso contrário, para que possam cortar o vínculo, curar a ferida e avançar;
  • Preferir falsas verdades ou palavras que consolam só vai prolongar uma situação que, cedo ou tarde, irá piorar. E isso pode ser muito negativo para a nossa saúde emocional;
  • A verdade nos coloca frente a frente com uma evidência que é preciso assumir. E é algo que devemos enfrentar com força interior e, ainda que doa, podemos traçar estratégias próprias para seguir vivendo com valor e integridade.
Dente de leão representando a verdade e a transparência

Leia também: 10 dicas para viver em equilíbrio físico e mental

Há um aspecto que devemos levar em conta. É conveniente ser sincero em todos os momentos? É obrigatório falar sempre a verdade?

O segredo está no equilíbrio e em mostrar respeito. Certamente você também conhece alguma destas pessoas que se vangloriam por serem muito sinceras, diretas ou por nunca esconderem nada.

Mas, será?

Isso faz com que a verdade, às vezes, se transforme em uma faca de dois gumes:

  • É necessário entender a verdade como um instrumento de convivência que nos permita crescer, assumir a realidade e fomentar respeito;
  • A verdade não pode ser utilizada como uma forma de agressão. Ninguém pode andar pelo mundo revelando quem são as pessoas de quem não gosta, quem está com um odor desagradável, quem não suporta, quem ela acha ridículo, etc;
  • Também devemos ter em conta que, em certos âmbitos, cada um de nós dispõe da nossa própria verdade. “Eu acho que o partido político X é o melhor” (quando, na realidade, ele pode ser o melhor para você, mas não para os outros).

Em alguns momentos a verdade tem muitas nuances, pois longe de ser uma entidade universal, é algo muito particular. E por isso devemos usá-la com respeito, equilíbrio, e sobretudo mantendo a integridade.

Mulher que sempre diz a verdade com pássaros voando de sua cabeça

Este é outro elemento essencial: para manter uma boa autoestima, nunca caia no erro de dizer o contrário do que você pensa para agradar os outros. É uma forma de cair na infelicidade.

Temos claro que a verdade NUNCA deve ser utilizada como instrumento de agressão e que, em algumas ocasiões, é conveniente “maquiá-la” um pouco e utilizar as palavras adequadas:

Em vez de dizer a um companheiro de trabalho “cada vez eu suporto menos você, você é um egoísta que não pára de falar o dia inteiro e não deixa ninguém trabalhar”, podemos substituir por “te peço por favor que nos concentremos mais na tarefa e menos nos temas pessoais. Ultimamente estou tendo dificuldade de trabalhar e queria ter um pouco mais de silêncio”.

Assim, a ideia segue sendo a mesma, mas agimos com respeito enfatizando uma necessidade: manter distância e se concentrar.

Medo

Os psicólogos nos dizem que se as pessoas recorrerem à mentira, é basicamente por medo:

  • Medo de revelar alguma informação que possa incomodar os outros;
  • Medo de perder o que temos neste momento;
  • Medo de possíveis consequências;
  • Medo de que os demais descubram que não somos como eles esperavam.
Mulher vendo sua imagem de verdade refletida em um lago

Leia também: Autoestima, chave para a nossa felicidade

Todas estas são situações, mantidas no tempo, podem prejudicar muito a nossa autoestima e autoconfiança. Sendo assim, se você não gostar da comida que seus sogros fazem todos os finais de semana, diga a eles com respeito ou você acabará com uma indigestão.

Se você não gostar da forma como seu chefe te trata, reaja, ou cedo ou tarde pode ser que ele piore ainda mais a forma de tratamento, pois verá que a sua resistência é muito alta.

E mais, se você não amar o seu parceiro, não prolongue uma situação que cedo ou tarde causará mais mal a ambos os membros do relacionamento.