Remédio de babosa, mel e azeite de oliva para acalmar a tosse crônica

06 Janeiro, 2020
Além de aproveitar as propriedades deste remédio natural para combater a tosse crônica é fundamental evitar o cigarro, bem como as alterações bruscas de temperatura.

Estamos falando sobre tosse crônica quando a tosse dura mais de 8 semanas em adultos ou 4 semanas em crianças. É um sintoma que pode reduzir a qualidade de vida, pois tende a interromper o período de descanso e deixa uma forte sensação de exaustão. Como combater isso?

Por ser um problema multifatorial, como doenças respiratórias, refluxo ácido ou tabagismo, é importante consultar um médico e receber um diagnóstico. O profissional, após determinar sua causa, oferecerá o melhor tratamento.

Agora, como um complemento para isso, você pode experimentar alguns remédios naturais que ajudam a acalmar a tosse. Embora sejam soluções que ainda carecem de apoio científico, elas podem servir como adjuvantes em alguns casos. 

A seguir, compartilharemos uma opção com babosa, mel e azeite de oliva. Não deixe de experimentar!

Viver com tosse crônica

A inflamação e irritação crônicas não só afetam a mucosa nasal e os seios da face, mas também a faringe e a laringe. Assim, ativa uma estimulação a nível nervoso. O resultado é uma tosse, que pode ser específica, no caso de uma inflamação, ou crônica, se persistir com o tempo.

A tosse crônica não é um distúrbio sério. No entanto, de acordo com a Clínica Mayopode levar a outras complicações respiratórias e, além disso, piora bastante a qualidade de vida do doente.

Esse tipo de tosse pode impedir a realização das atividades cotidianas ou de trabalho e dificultar o descanso noturno. Dessa forma, a pessoa sofre fadiga, desânimo, nervosismo ou irritabilidade, entre outros sintomas.

Babosa, mel e azeite de oliva para aliviar a tosse crônica

Os remédios naturais contra a tosse crônica não são um tratamento de primeira linha contra esse problema. Como mencionamos, por ser uma condição com muitos gatilhos, os tratamentos podem ser diversos. Geralmente, o médico sugere tomar medicamentos e realizar mudanças no estilo de vida.

No entanto, podemos recorrer a certas preparações naturais que servem como complemento para acalmar esse sintoma e reduzir a irritação que ele causa em áreas como a garganta. Neste caso, vamos propor um remédio simples com babosa, mel e azeite de oliva. O que acha de experimentar?

Babosa

Remédio com babosa

O gel contido nas folhas da babosa é conhecido em todo o mundo por suas aplicações medicinais. De fato, nos últimos anos, tem sido amplamente estudado. 

Em uma investigação recente, publicada na Pharmacognosy Reviewssua capacidade antioxidante, anti-inflamatória e antimicrobiana é reconhecida. Todas essas propriedades juntas poderiam favorecer o alívio da tosse.

Conheça: Como usar a babosa para tratar a diabetes

Mel de abelhas

O mel é geralmente apresentado como o complemento perfeito para adoçar qualquer suco ou receita caseira. Desta forma, não só evitamos os efeitos nocivos do açúcar, mas também adicionamos as suas propriedades medicinais.

Há evidências para apoiar seu uso como parte do tratamento para a tosse. Um estudo publicado na Cochrane Library sugere que o mel é mais eficaz que a difenidramina e o placebo no combate aos sintomas da tosse em crianças. No entanto, mais pesquisas são necessárias.

Azeite de oliva

Azeite de oliva para tratar a tosse crônica

Você sabia que, com um ingrediente tão básico e habitual na cozinha de muitos países, é possível aliviar a tosse crônica? O azeite é uma das melhores opções para cozinhar e temperar os nossos pratos, mas também para a nossa saúde.

Em um estudo publicado pela Clinical and Experimental Allergy, o azeite mostrou efeitos positivos contra doenças como a asma. Especificamente, o ácido oleico diminui o risco desta doença.

Descubra: 7 dicas para fortalecer o sistema imunológico

Remédio com babosa, mel e azeite de oliva

Ao combinar a babosa com o mel e o azeite, obtemos um remédio natural que ajuda a acalmar a tosse e seu desconforto. No entanto, devemos estar cientes de que seus efeitos podem variar em cada organismo, dependendo da causa da tosse. Portanto, sempre será necessário consultar o médico.

Ingredientes

  • 1 xícara de suco de babosa (250 ml)
  • 3 colheres de sopa de mel de abelha (75 g)
  • 3 colheres de sopa de óleo de coco extravirgem (45 ml)

O que fazer?

  • Se o mel for de boa qualidade e não foi submetido a altas temperaturas, deveria estar sólido. Neste caso, a primeira coisa que faremos é aquecê-lo em banho-maria.
  • Em seguida, misture o mel com o suco de babosa e o azeite de oliva. É preciso emulsionar bem, uma vez que são texturas muito diferentes. Podemos também optar por bater tudo.
  • Guarde na geladeira em um frasco fechado.

Como tomamos?

  • Para acalmar a tosse e os seus sintomas associados, podemos ingerir a preparação 3 vezes ao dia. A dose é de uma colher de sopa (15 ml). Guarde a mistura restante em local fresco e seco.

Você tem tosse persistente? Você não consegue aliviá-la com os cuidados básicos? Se as suas respostas forem sim, consulte seu médico de confiança para saber mais sobre as opções de tratamento disponíveis.

  • Rahmani AH, Aldebasi YH, Srikar S, Khan AA, Aly SM. Aloe vera: Potential candidate in health management via modulation of biological activities. Pharmacogn Rev. 2015;9(18):120–126. doi:10.4103/0973-7847.162118
  • Bogdanov, S. (2016). Honey as Nutrient and Functional Food. In Book of Honey.
  • Bogdanov, S., Jurendic, T., Sieber, R., & Gallmann, P. (2008). Honey for nutrition and health: A review. Journal of the American College of Nutrition. https://doi.org/10.1080/07315724.2008.10719745
  • Cicerale, S., Lucas, L. J., & Keast, R. S. J. (2012). Antimicrobial, antioxidant and anti-inflammatory phenolic activities in extra virgin olive oil. Current Opinion in Biotechnology. https://doi.org/10.1016/j.copbio.2011.09.006
  • Cazzoletti, L., Zanolin, M. E., Spelta, F., Bono, R., Chamitava, L., Cerveri, I., … Ferrari, M. (2019). Dietary fats, olive oil and respiratory diseases in Italian adults: A population-based study. Clinical and Experimental Allergy49(6), 799–807. https://doi.org/10.1111/cea.13352