Quando a criança deve deixar as fraldas

8 de outubro de 2019
O momento adequado para uma criança deixar as fraldas depende de vários níveis de maturação, tanto físicos quanto emocionais. Reconhecer os sinais que a criança dá é a melhor estratégia.

Muitas vezes nos perguntamos qual é o melhor momento para nosso filho deixar as fraldas. É uma consulta frequente aos pediatras. Entretanto, com menos frequência, levamos em consideração se a criança está realmente preparada para deixar as fraldas.

No entanto, uma coisa são as razões que motivam os pais e outra é se a criança está preparada para dar esse importante passo em seu desenvolvimento. Estamos falando não apenas sobre se a criança está pronta para controlar seus esfíncteres, mas também sobre se é hora de deixar de ser bebê para ser mais independente.

Remover o costume que incentivamos

Mamãe trocando as fraldas do seu bebê

Os bebês chegam ao mundo sem fralda. Somos os pais que os acostumamos ao uso das fraldas e a depender desse pedaço de plástico. Colocamos na criança tecidos cuja composição não conhecemos, porque é o mais cômodo para o nosso estilo de vida. Então, de uma hora para outra, decidimos que o bebê deve deixar de usar as fraldas sem avaliar se está preparado para isso.

Mesmo que um bebê consiga deixar as fraldas antes dos 2 anos de idade, não devemos nem considerar essa possibilidade. No entanto, fazemos isso basicamente devido a pressões externas de pessoas que não conhecem o ritmo de desenvolvimento de nosso filho.

Muitas creches ou jardins pedem que a criança com 2 anos ou menos deixe as fraldas para poder ingressar. Assim, nas férias antes do início do ano letivo, as crianças são submetidas a práticas tortuosas e desrespeitosas, que podem até deixar sequelas de alguns traumas.

Para deixar as fraldas, apenas seja paciente. Não se trata de um dia: é um período sensível em que haverá avanços e retrocessos. Para saber que chegou a hora, devemos interpretar os sinais que a criança dá para indicar que alcançou a maturidade de que precisa.

Descubra: Como aliviar a infecção urinária em crianças naturalmente

Chegou a hora de deixar as fraldas

Criança deixando as fraldas

Entre 2 e 3 anos, a criança tem maturidade neurológica para deixar as fraldas. Para alguns, isso pode acontecer antes, para outros depois. O comum é que possa controlar o esfíncter anal aos 2 anos. A urina diurna pode ser controlada entre 2 anos e meio e 3, enquanto a urina noturna pode demorar um pouco mais.

No entanto, a maturidade neurológica não é suficiente. A criança também precisa amadurecer fisicamente e emocionalmente, o que pode não ocorrer necessariamente de forma simultânea. Para saber que chegou o dia, as seguintes situações devem ocorrer:

  • A criança começa a pedir para ir ao banheiro.
  • Dá sinais de que quer tirar as fraldas quando estão molhadas ou apenas quer andar sem elas.
  • Quando quer urinar ou defecar, gesticula, se abaixa, mostra que sabe o que está prestes a acontecer, mesmo que esteja com fraldas.
  • É capaz de dizer as palavras “xixi” ou “cocô” para nomear seus excrementos.
  • Começa a avisar que vai urinar ou evacuar.
  • Mostra interesse quando vê os pais no banheiro e os imita.
  • Quando você tira as fraldas após três ou quatro horas, percebe que estão secas. Isso indica que seus músculos estão se fortalecendo.
  • O controle do esfíncter ocorre após um avanço significativo no nível do desenvolvimento psicomotor. Por exemplo: a criança adquire bastante equilíbrio ou corre, entende ordens simples e seu vocabulário aumentou.

Leia este artigo: Bexiga hiperativa em crianças: causas e tratamento

Meu filho tem 4 anos e ainda faz xixi na cama

Criança no banheiro

Se o controle da emissão de urina durante o dia é difícil, à noite é mais complicado. É considerado normal uma criança continuar a molhar a cama até os 5 anos de idade. O problema é que basicamente não temos paciência e pressionamos.

Quando uma criança é pressionada com muita insistência para deixar as fraldas durante o dia, pode levar algum tempo para deixar as fraldas à noite. A pressão excessiva que pais e professores podem gerar para que a criança deixe as fraldas pode prejudicar o aprendizado associado ao controle do esfíncter. Além disso, passam maus momentos que são contraproducentes.

Os pais não devem se alarmar quando o aprendizado atrasa, fica estagnado ou tem períodos de retrocesso. No entanto, acontece: ficamos alarmados em vez de respeitar o ritmo de desenvolvimento do bebê.

Ter controle sobre o próprio corpo leva tempo. Se fôssemos mais pacientes, poderíamos ter melhores resultados. Novamente, isso dependerá do nível de maturação de cada bebê ou criança.

  • Espinoza, A. V. ValoraciÛn del reciÈn nacido. Anestesia obstÈtrica, 951.
  • Givaudan, M., & Athié, D. (2016). Mi bebé y yo: De 0 a 3 años. Alamah.
  • Orozco Villa, N. D. L. (2015). Control de esfínteres y su influencia en el desarrollo de autonomía en los niños de 2 a 3 años (Bachelor’s thesis, Universidad de Guayaquil Facultad de Filosofía, Letras y Ciencias de la Educación).