Progesterona baixa: complicações, causas e mais

27 de dezembro de 2017
Caso você tenha os níveis de progesterona baixos, deverá consultar um ginecologista para saber qual é o tratamento mais adequado para você, levando em consideração suas características particulares.

A progesterona é um hormônio da sexualidade feminina produzido nos ovários depois da ovulação. É uma parte crucial do ciclo menstrual e do desenvolvimento da gravidez, mas o que você sabe sobre a progesterona baixa?

Mesmo que seja fundamental em seu ciclo de todo mês, sua principal função é engrossar o revestimento do útero e prepará-lo para um óvulo fertilizado. Se não existe um óvulo fertilizado, os níveis do hormônio caem e a menstruação começa.

A progesterona é fundamental para o desenvolvimento dos seios e da lactação. É complementar de alguns efeitos do estrogênio. Com relação à testosterona, se encarrega de ser o hormônio precursor dos hormônios suprarrenais.

Mesmo sendo um hormônio feminino, o corpo masculino a usa em pequenas quantidades para o desenvolvimento dos espermatozoides. Como você vê, é um hormônio importante.

Se você é uma mulher com progesterona baixa, é melhor conhecer as complicações que isso pode trazer.

Por que a progesterona baixa pode ser preocupante? 

Mulher grávida em consulta médica

Ela é especialmente importante em seus anos reprodutivos. Se você não tem progesterona suficiente, é possível que não consiga engravidar ou manter uma gravidez.

Quando o revestimento do útero não é suficientemente grosso, não pode manter o óvulo fecundado. Os sintomas da progesterona baixa em mulheres que não estão grávidas incluem:

  • Dor de cabeça ou enxaqueca.
  • Mudanças de humor, que incluem ansiedade ou depressão.
  • Desejo sexual baixo.
  • Sufocos.
  • Irregularidades no ciclo menstrual.

Durante a gravidez, a progesterona baixa pode fazer com que a gravidez não evolua, pois o útero não será forte o suficiente.

Os sintomas de deficiência deste hormônio durante a gravidez são:

  • Dor abdominal localizada.
  • Sensibilidade constante nos seios.
  • Fadiga implacável.
  • Frequência de açúcar baixa no sangue.
  • Secura vaginal.

Os baixos níveis de progesterona podem indicar a existência de pré-eclâmpsia ou uma gravidez ectópica, o que causa a morte do feto ou um aborto involuntário.

Por outro lado, quando a progesterona está baixa, o estrogênio pode causar estragos na saúde e fazer com que sofra diversos sintomas. Entre estes destacam-se:

  • Ganho de peso.
  • Redução do desejo sexual.
  • Ciclos irregulares e sangramento abundante.
  • Fibromas, endometriose.
  • Problemas da vesícula biliar.
  • Disfunção da tireoide.

Quais são os níveis adequados de progesterona? 

Casal na cama

Um exame de progesterona pode ajudar seu ginecologista a determinar se o seu nível é baixo. Basta um exame de sangue que não requer nenhuma preparação especial.

Este teste pode oferecer pistas sobre o que acontece com seu corpo, e talvez a causa pela qual você não consegue ficar grávida.

Costuma ser utilizado, além disso, para monitorar terapias de reposição hormonal e determinará como está a saúde da gravidez.

Os níveis de progesterona variam ao longo do ciclo menstrual, chegando a picos quando estamos a uma semana da menstruação, e pode variar no curso de um dia.

A progesterona aumenta normalmente durante a gravidez. Quando mais bebês, maiores serão os níveis.

No geral, homens, crianças e mulheres pós-menopausa são aqueles que apresentam baixa progesterona quando comparados com as mulheres de idade mediana.

Por tudo o que foi dito, os níveis de progesterona que podem ser considerados “normais” vão depender da idade, gênero e condições especiais como a gravidez ou a menstruação.

Posso fazer algo com relação à progesterona baixa? 

A progesterona baixa pode não causar nenhum sintoma, por isso talvez não precise de tratamento.

No entanto, se você quiser ter um bebê, a terapia hormonal para aumentar a progesterona pode ajudar a engrossar o revestimento do útero. Isso melhorará as chances de ter uma gravidez saudável e até o fim.

Por outro lado, as irregularidades menstruais podem ser consertadas também com terapias hormonais. Para os sintomas severos da menopausa, a terapia hormonal é uma combinação de estrogênio e progesterona.

As opções de tratamento mais comuns são:

  • Cremes e géis, que podem ser utilizados via tópica ou vaginal.
  • Supositórios, que são usados como tratamentos para os problemas de fertilidade.
  • Os anéis vaginais, como tratamento mais lento do que os medicamentos orais.
  • Medicamentos orais.

As terapias hormonais podem ajudar a levar uma vida plena e sem complicações. Estas terapias eliminam sintomas como os sufocos, os suores noturnos e a secura vaginal.

Algumas mulheres inclusive notam melhoras em seu estado de humor, além de reduzir o risco de sofrer de osteoporose e diabetes. A opção oral pode proporcionar um efeito calmante, por isso será mais fácil dormir.

Pergunte ao seu médico sobre a melhor terapia para o seu caso de progesterona baixa 

Mulher em consulta médica

Lembre-se de que qualquer tratamento deve ser realizado sob a supervisão de um médico. Em casos muito extremos, o tratamento hormonal pode aumentar o risco de acidentes vasculares cerebrais, coágulos sanguíneos e problemas da vesícula biliar.

Se você tem câncer de mama ou câncer de endométrio é provável que a terapia hormonal não seja a melhor opção. O único que pode ajudar a descobrir o melhor para a sua saúde é seu médico.

Recomendados para você