Os produtos químicos de limpeza são prejudiciais para a saúde?

04 Maio, 2020
A ciência indica que os produtos químicos de limpeza que usamos em casa podem trazer riscos para a nossa saúde. Saiba mais informações sobre o assunto a seguir.
 

Em muitas ocasiões, ouvimos dizer que os produtos químicos de limpeza são prejudiciais para a saúde. Alguns elementos como clorofórmio, formaldeído e ftalatos podem causar doenças graves em crianças, adultos e até animais de estimação. A seguir, veremos uma lista dos compostos mais prejudiciais e como substituí-los.

Os dados científicos são categóricos: mais da metade dos produtos ofertados em supermercados e lojas tem ingredientes nocivos. As alergias e os problemas respiratórios são as principais consequências da exposição contínua a esses elementos.

O que a ciência tem a dizer sobre os produtos químicos de limpeza

Balde com produtos de limpeza

Em 2012, o Environmental Working Group (EWG) realizou uma análise dos produtos de limpeza mais comuns. Os resultados foram alarmantes. O grupo descobriu cerca de 65 substâncias de alta toxicidade que costumam ser associadas à infertilidade, distúrbios endócrinos, mal-estar e doenças neurotóxicas.

Na Noruega, o Departamento de Ciências Clínicas da Universidade de Bergen conduziu uma pesquisa com base no acompanhamento de 6 mil pessoas que usavam produtos químicos de limpeza diariamente. Nesse caso, a ênfase foi colocada nos danos ao sistema respiratório em pessoas expostas a esses elementos tóxicos.

 

Por sua vez, o estudo Nature Climate Change da Universidade de Harvard concentrou-se nos danos que essas substâncias implicam para o meio ambiente como um todo. Sintomas populacionais como anemia e deficiência de ferro resultariam da contaminação causada por produtos químicos de limpeza.

A Agência Americana de Proteção do Ambiente (EPA) também menciona o assustador número de 150 mil substâncias sintéticas altamente prejudiciais com as quais as pessoas convivem diariamente.

Você pode se interessar: Como preparar produto de limpeza ecológico com cascas de batata

Substâncias tóxicas presentes em produtos químicos de limpeza

  1. Ftalatos: compõem produtos de limpeza com perfumes sintéticos e seu principal risco é o de agirem como desreguladores endócrinos. São encontrados em máquinas de lavar louça, produtos de limpeza de pisos ou móveis, papel higiênico e até em itens de higiene pessoal.
  2. Percloroetileno: presente nos produtos de “limpeza a seco”. Este componente pode causar tonturas devido a irritações respiratórias e oculares, pois é considerado um agente neurotóxico. Pontualmente, integra limpadores de carpete, removedores de manchas, etc…
  3. Triclosan: característico das máquinas de lavar louça, é proibido nos Estados Unidos por gerar bactérias resistentes a antibióticos. Além disso, é extremamente prejudicial para os ecossistemas naturais.
  4. Compostos quaternários de amônio (QAC): assim como o triclosan, este é apresentado nos rótulos como um “antibacteriano”. A verdade é que seu uso prolongado pode ser responsável por condições como dermatite e alergias respiratórias. Nós o encontramos em amaciantes e vários desinfetantes.
  5. Butoxietanol: da família dos solventes, é apresentado como um limpador multiuso muito eficaz. Na prática, o uso diário afeta os pulmões, o fígado e os rins.
 

Leia também: 5 maneiras de usar bicarbonato de sódio e limão na limpeza da casa

Alternativas para limpar sem riscos

Esponjas e suco de limão

Em primeiro lugar, todos os produtos de limpeza com spray devem ser eliminados e a casa deve ser ventilada por um longo tempo após a limpeza. As luvas e máscaras são indispensáveis ​​para não sofrermos intoxicações.

Sem dúvida alguma, todas as precauções são válidas para impedir que o ar contaminado entre nos pulmões ou em contato com a pele. Além disso, não devemos esquecer que existem muitos truques eficazes que podemos aplicar nas tarefas domésticas.

Os produtos químicos de limpeza podem ser substituídos sem comprometer a limpeza da casa. Na verdade, a melhor opção são aquelas alternativas ecológicas livres de compostos tóxicos feitas de maneira caseira. Se a intenção for comprar produtos de limpeza sem elementos químicos, talvez seja necessário fazer um grande investimento.

Por outro lado, a maior parte do trabalho pode ser feita com um pano limpo, água e sabão. No entanto, se esses produtos não puderem ser evitados, é essencial lembrar-se de não usar produtos químicos de limpeza na presença de crianças, idosos ou pessoas mais vulneráveis, como mulheres grávidas.

 

Em conclusão, os produtos químicos de limpeza entram no organismo através do trato respiratório, da pele e dos olhos, principalmente. Portanto, seu consumo deve ser responsável, e é fundamental se manter informado sobre os seus componentes. A dica final: leia os rótulos e leve-os em consideração para proteger a sua saúde e a da sua família.

  • Nazaroff, W. W., & Weschler, C. J. (2004). Cleaning products and air fresheners: Exposure to primary and secondary air pollutants. Atmospheric Environment. https://doi.org/10.1016/j.atmosenv.2004.02.040
  • Al-Amoudi, A., & Lovitt, R. W. (2007). Fouling strategies and the cleaning system of NF membranes and factors affecting cleaning efficiency. Journal of Membrane Science. https://doi.org/10.1016/j.memsci.2007.06.002
  • Shugar, G., Ballinger, J., Application, I., Glass, A. O., Dilute, A. M., & Not, D. O. (1996). Cleaning procedures for glass substrates. Chemical Technicians’ Ready Handbook.