Por que fumamos?

Quando fumamos, estamos colocando em risco não apenas a nossa saúde, mas também a de todas as pessoas ao nosso redor. Além disso, nos expomos a um vício que pode ser difícil de combater.
Por que fumamos?

Última atualização: 02 Janeiro, 2021

O tabaco é um dos problemas de saúde mais importantes da atualidade. Estima-se que haja 1,1 bilhão de fumantes no mundo. No entanto, será que alguma vez já nos perguntamos por que fumamos?

Existem muitas razões que podem levar a isso. Na antiguidade, fumar era associado a um ato de masculinidade reservado apenas aos homens. Hoje em dia, porém, o número de fumantes está equilibrado entre homens e mulheres.

Quando fumamos, estamos nos submetendo a um vício que a sociedade aceita. Na verdade, pode-se até dizer que é um ato que nos permite sentir-nos mais à vontade ​​ou integrados em determinadas situações sociais.

No entanto, é importante saber que, hoje, o tabaco é responsável pela morte de quase 8 milhões de pessoas por ano. Está associado a muitas doenças e, infelizmente, quase 1 milhão de pessoas que as sofrem nem mesmo fumam diretamente.

Portanto, neste artigo iremos analisar as razões pelas quais fumamos. Dessa forma, podemos ficar atentos aos motivos que nos levam a esse hábito tóxico e, a partir daí, tomar medidas para começar a evitá-lo.

Por que fumamos pela primeira vez?

Mulher fumando cigarro
O tabagismo se espalhou pelo mundo todo. Muitas vezes, as pessoas começam a fumar porque sentem que, assim, a sociedade as aceitará.

Como já mencionamos, o tabaco está muito difundido em nossa sociedade. Até relativamente pouco tempo, havia muitos anúncios na televisão, nas ruas ou mesmo nos jornais patrocinando certas marcas ou indústrias.

Hoje, essa publicidade vem diminuindo. Mesmo assim, não é surpresa que em séries ou filmes existam personagens que fumam constantemente. Desse modo, o que se consegue é que as pessoas, desde muito jovens, vejam isso como algo normal.

O mais comum é que o hábito comece na adolescência, que é quando experimentamos o cigarro pela primeira vez. É muito comum em jovens menores de idade ter amigos ou familiares que fumam. Então, nesta idade, o jovem tem a sensação de “se igualar” aos adultos e de parecer mais “interessante”.

Muitos fazem isso para se sentirem mais aceitos socialmente. É típico dos adolescentes sentir o desejo de desafiar os pais ou sentir-se bem com a ideia de fazer algo “proibido” ou arriscado. Acreditam que isso os fará parecerem mais adultos.

Isso também está associado a querer ser mais interessante para as pessoas da sua idade. Tudo isso leva ao fato de que, neste momento da vida, fumamos quando estamos com pessoas, mas geralmente não fazemos isso quando estamos sozinhos.

O cigarro eletrônico em adolescentes

Hoje, a moda do tabaco mudou. O uso de cigarros eletrônicos tornou-se muito difundido. Muitos dos adolescentes, ao invés de fumar cigarros, preferem usar esses aparelhos.

O problema é que, quando fumamos um cigarro eletrônico, temos a sensação de que ele é inofensivo. Na verdade, às vezes os pais dão esses dispositivos a seus filhos adolescentes na tentativa de impedi-los de fumar o cigarro tradicional.

No entanto, embora eles possam ser usados ​​sem nicotina, é necessário saber que são tão nocivos quanto os cigarros tradicionais. Embora muitos estudos estejam tentando demonstrar seus efeitos negativos, ainda não se sabe exatamente como eles agem e quais são as consequências para o nosso organismo.

O que fica claro é que, quando fumamos um cigarro eletrônico, mesmo sem nicotina, estamos nos viciando nesse comportamento. Nos acostumamos a fazer o gesto e nos preparamos para sermos fumantes mais cedo ou mais tarde.

Por que fumamos pelo resto das nossas vidas?

Os adolescentes e o tabagismo
O cigarro contém substâncias altamente viciantes, como a nicotina. É por isso que os fumantes costumam ter dificuldade para largar esse hábito.

Quando fumamos, estamos ingerindo uma quantidade significativa de nicotina. A nicotina é uma substância viciante encontrada naturalmente no tabaco. Produz uma sensação agradável no organismo que leva quem a consome a querer repetir a dose.

A nicotina atua nos circuitos de recompensa do cérebro, fazendo com que a dopamina seja liberada. O que acontece, em resumo, é que à medida que sentimos prazer ao ingerir esta droga, o comportamento é reforçado. É o que mantém as pessoas fumando cada vez mais.

Embora muitas pessoas não saibam disso, quando não fumamos, também experimentamos uma síndrome de abstinência. As pessoas associam esse termo a drogas mais fortes como a heroína, mas este não é o caso.

Uma pessoa que fumou a vida toda, ou durante muitos anos, ao parar, sente ansiedade, irritação e tensão. Também pode apresentar alterações físicas como dores de cabeça, distúrbios do sono e ganho de peso.

Conclusão

Na maioria das vezes, fumamos por uma razão puramente social. A maioria dos fumantes começa a fazê-lo na adolescência, uma fase delicada da vida pessoal.

No entanto, é importante estarmos cientes do vício a que nos expomos quando fumamos. Isso ocorre, entre outras coisas, porque a nicotina presente no tabaco atua como uma substância altamente viciante no corpo.

Pode interessar a você...
8 falsas crenças sobre o cigarro que expõem a saúde do consumidor
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
8 falsas crenças sobre o cigarro que expõem a saúde do consumidor

Fumar continua sendo identificado como um dos maus hábitos mais praticados pelas pessoas. Conheça as falsas crenças sobre o cigarro!