Por que a água com gás é perigosa na gravidez?

A água com gás é uma bebida com certos benefícios em pessoas saudáveis. No entanto, não é recomendada para mulheres grávidas com problemas de saúde do tipo renal, cardiovascular ou gastrointestinal.
Por que a água com gás é perigosa na gravidez?

Última atualização: 03 Janeiro, 2021

A água com gás é uma bebida que tem sido muito bem recebida por ser refrescante e agradável ao paladar. Além disso, não contém açúcares ou ingredientes que normalmente estão presentes em bebidas gaseificadas com sabor. Então, por que ela poderia ser perigosa durante a gravidez?

Surgiu um grande número de mitos sobre esse assunto. Na verdade, se é bom ou não tomar água com gás ainda é uma questão debatida. Em qualquer caso, é importante resolver essa questão, pois em alguns casos pode ser aconselhável evitá-la.

O consumo de água na gravidez

A água é o componente mais importante do corpo humano. De fato, representa aproximadamente metade do peso corporal. Por outro lado, em um lactente, a água pode constituir cerca de 75% do seu peso.

No entanto, durante a gravidez, ocorre uma redistribuição da água no corpo da mulher. Durante o período de lactação, cerca de 90% da composição do leite é água. Por isso, é necessário manter uma excelente hidratação para que o estado nutricional da criança e da mãe sejam bons.

Uma pesquisa publicada em Birth Defects Research determinou que o consumo ideal de água melhora a qualidade da dieta de uma mulher grávida e reduz o risco de defeitos congênitos.

Todas as bebidas são boas?

Nem todas as bebidas são recomendadas. Claramente, as bebidas alcoólicas, gaseificadas, açucaradas, energéticas, com cafeína ou teína e semelhantes não são saudáveis. O mesmo vale para sucos, vitaminas industriais ou chás e águas aromatizadas.

A água mineral sempre será a opção mais recomendada. No entanto, bebidas naturais preparadas em casa, com ingredientes frescos, sem qualquer adoçante adicionado, como sucos ou vitaminas caseiras, também podem ser consideradas adequadas.

Sobre a água com gás

A água com a qual satisfazemos a demanda do nosso corpo vem de diferentes fontes. Pode provir da ingestão de líquidos e alimentos (2300 ml por dia) ou da produção de água resultante do metabolismo celular (200 ml por dia).

Em geral, o consumo de água com gás não representa risco para as mulheres durante a gravidez quando consumida pontualmente. No entanto, existem condições particulares em que é conveniente limitar o consumo, como veremos a seguir.

O que é a água com gás?

Também conhecida como água gaseificada, é a água que contém ácido carbônico e minerais. Segundo informações da Wikipedia, o processo de carbonatação pode ser produzido de forma artificial ou natural, absorvendo o dióxido de carbono armazenado nas rochas.

Em alguns países, é consumida regularmente e considera-se que facilita a digestão, especialmente em pessoas com dispepsia. Além disso, dizem que estimula a secreção de suco gástrico e também neutraliza a azia.

Por que a água com gás é perigosa durante a gravidez?

A água com gás é uma bebida que pode ser consumida durante a gravidez com moderação, se a mãe for saudável. Contudo, caso sofra de alguma das seguintes doenças, é melhor evitar seu consumo.

Hipertensão

A água com gás pode fazer subir a pressão em gestantes
Fatores de risco como a dieta e o estilo de vida sedentário desempenham um papel importante no desenvolvimento da hipertensão.

O sódio está quase sempre presente em todos os tipos de água, e a água com gás não é uma exceção. Em vários estudos, concluiu-se que o sal (cloreto de sódio) é uma das causas mais importantes da pressão arterial.

Por sua vez, os riscos de aumento da pressão dependem de diferentes genótipos ou padrões hereditários. Portanto, se a gestante tiver hipertensão ou tendência familiar para pressão alta, ela deve evitar a ingestão de sal, incluindo a água com gás.

Distensão abdominal

Mulher grávida fazendo controle pré-natal

Quadros clínicos como o meteorismo, a aerofagia e as flatulências são alterações na mobilidade intestinal que não permitem a absorção dos gases produzidos no intestino. Como resultado, ocorrem dor e inchaço na área abdominal.

Geralmente, essas condições se devem a fatores como comer muito rápido, estresse ou consumir alimentos que causam gases. No entanto, a retenção de gases também é um dos primeiros sintomas da gravidez. 

Isso acontece devido ao aumento da progesterona, uma substância que relaxa os tecidos do corpo e retarda a digestão, causando gases, flatulência e inchaço.

Como mencionado anteriormente, a água com gás contém dióxido de carbono, que pode causar gases. Por essa razão, se você já sofre de alguma variante de distensão abdominal, refluxo gastroesofágico, cólon irritável ou inflamado, é recomendado evitar o consumo de água com gás para não agravar o desconforto abdominal.

Como você pode ver, a água com gás é um líquido saudável que oferece diferentes benefícios para homens e mulheres saudáveis. No entanto, as mulheres grávidas devem consumir esse produto com cuidado, principalmente se tiverem algum problema de saúde cardiovascular, renal ou gastrointestinal.

Pode interessar a você...
Opções para tomar água de qualidade em casa
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Opções para tomar água de qualidade em casa

Há várias opções para beber água de qualidade em casa que ajudarão a manter o seu corpo saudável, além de neutralizar a ação de agentes infecciosos externos.



  • Montgomery, Kristen S. “Nutrition Column An Update on Water Needs during Pregnancy and Beyond.” The Journal of perinatal education vol. 11,3 (2002): 40-2. doi:10.1624/105812402X88830
  • Alman BL, Coffman E, Siega-Riz AM, Luben TJ; National Birth Defects Prevention Study. Associations between Maternal Water Consumption and Birth Defects in the National Birth Defects Prevention Study (2000-2005). Birth Defects Res. 2017;109(3):193–202. doi:10.1002/bdra.23569
  • Cuomo, R., Grasso, R., Sarnelli, G., Capuano, G., Nicolai, E., Nardone, G., … Ierardi, E. (2002). Effects of carbonated water on functional dyspepsia and constipation. European Journal of Gastroenterology and Hepatology. https://doi.org/10.1097/00042737-200209000-00010