Piorreia ou periodontite: o que é e como tratar?

A piorreia é uma doença dentária associada à má higiene oral. Uma intervenção oportuna é importante porque ela pode causar complicações. Saiba como tratá-la a seguir.
Piorreia ou periodontite: o que é e como tratar?

Última atualização: 02 Março, 2021

As doenças gengivais são relativamente comuns na população. Devido à sua constante exposição a bactérias, esse tecido mole pode ser afetado por problemas inflamatórios e infecciosos. Entre eles, a piorreia passou a ser um dos mais relevantes, sobretudo pelas complicações que acarreta. Em que consiste? Como é tratada?

A piorreia é uma complicação da doença periodontal crônica, mais conhecida como periodontite. Ocorre quando os ossos e ligamentos que sustentam os dentes são infectados devido à proliferação de bactérias. De acordo com informações publicadas pela Sociedade Espanhola de Periodontologia e Osseointegraçãoessa condição afeta 25% dos adultos entre 35 e 44 anos. Além disso, sua incidência aumenta após os 65 anos.

O que é a piorreia?

A piorreia é uma doença periodontal causada pelo acúmulo de placa dentária, derivada, por sua vez, da má higiene dental. Ela se manifesta com inflamação e sangramento das gengivas e também atinge os tecidos de sustentação do dente, provocando retração gengival e o aparecimento de espaços interdentais.

É caracterizada por uma infecção grave dos ligamentos ou tecidos próximos ao dente e é considerada perigosa, pois geralmente não provoca sintomas até causar complicações graves para a saúde bucal.

Sangramento na gengiva
A piorréia ocorre devido ao acúmulo de placa bacteriana nos dentes. Costuma estar associada à má higiene oral.

Causas da piorreia

principal causa da piorreia é o crescimento excessivo de bactérias no tecido oral. Isso, por sua vez, está associado à má higiene bucal, uso incorreto da escova de dentes, exposição constante ao estresse e tabagismo. Até mesmo fatores genéticos e anormalidades anatômicas influenciam o seu surgimento.

No entanto, deve-se ter em mente que a piorreia é consequência de uma gengivite que não foi tratada a tempo. As gengivas inchadas, embora indolores no início, são a principal causa do sangramento gengival durante a escovação. Outros fatores relacionados à sua aparição são os seguintes:

  • Tomar medicamentos que causam boca seca ou mudanças nas gengivas.
  • Deficiência de vitamina B e C.
  • Uso de drogas recreativas, como fumar maconha.
  • Alterações hormonais, como as que ocorrem durante a gravidez ou menopausa.
  • Doenças do sistema imunológico.
  • Outras doenças crônicas, como diabetes e osteoporose.

Sintomas da piorreia

Uma das coisas que mais preocupam na piorreia é a ausência de sintomas em determinados casos. Embora a maioria das pessoas afetadas já tenha apresentado alguma manifestação anterior de gengivite, nem sempre é esse o caso. Há quem não sinta desconforto até que seja desencadeada uma complicação séria. Além disso, alguns confundem o sangramento com ferimentos causadas por escovas de dente.

Em qualquer caso, convém estar atento a alguns sinais característicos desta condição. Os mais comuns incluem o seguinte:

  • Sangramento nas gengivas
  • Inflamação e vermelhidão das gengivas.
  • Dificuldades ou desconforto ao mastigar os alimentos.
  • Mau hálito (halitose).
  • Os dentes parecem móveis.
  • Aparição de espaços interdentais.
  • Retração gengival.
  • Sensibilidade dentária às mudanças de temperatura.
  • Os dentes não se encaixam da mesma forma na mastigação.

A presença desses sintomas indica que os tecidos gengivais estão se deteriorando. Em casos graves, quando não há intervenção adequada, isso pode levar à perda do dente. Por isso, é imprescindível consultar um profissional em periodontia e iniciar um tratamento.

Como a piorreia é tratada?

A escolha do tratamento contra a piorreia é feita considerando o seu grau de gravidade. Em geral, é classificada como leve, moderada ou grave. Um profissional de saúde bucal deve determinar o grau de afetação e as opções terapêuticas.

Dadas as complicações que isso acarreta, deve-se observar que não existem remédios caseiros que possam aliviar essa condição. Para impedir a deterioração dos tecidos afetados, é necessário melhorar os hábitos de higiene e seguir o tratamento médico prescrito.

Higiene

Sem dúvida, a primeira medida para prevenir e tratar a piorreia é garantir uma higiene dental adequada. Isso implica a correta escovação dos dentes várias vezes ao dia, além do uso de fio dental e outros produtos de limpeza complementares.

Hoje, diversas empresas oferecem uma ampla gama de produtos que atuam como adjuvantes no tratamento da gengivite e da doença periodontal. Opções como enxaguantes bucais diários ou géis de ácido hialurônico para as gengivas ajudam a dar uma proteção extra à boca.

Ambos os produtos possuem componentes que ajudam a impedir o crescimento excessivo de bactérias e a formação de placa dentária. Eles também fortalecem os tecidos lesados ​​e contribuem para a sua recuperação.

Uso de enxaguante bucal
Usar enxaguantes de ácido hialurônico ou géis para as gengivas pode ajudar a tratar a piorreia.

Tratamento periodontal básico

Na maioria dos casos, as pessoas com piorreia melhoram sua condição após receber o tratamento periodontal básico. Isso deve complementar a higiene bucal, pois inclui procedimentos que auxiliam na eliminação de bactérias acumuladas na superfície dentária e áreas próximas. Como isso é feito?

  • Em primeiro lugar, as áreas afetadas são intervencionadas por raspagem e alisamento radicular.
  • Em seguida, o profissional sugere tomar antibióticos para complementar a intervenção. A escolha entre uma opção ou outra depende do tipo de bactéria nos dentes.

Cirurgia periodontal

Quando a piorreia está muito avançada, o tratamento básico não é suficiente. Nesse caso, o dentista sugere uma intervenção conhecida como cirurgia periodontal. Consiste em acessar as bolsas periodontais profundas, onde os patógenos estão localizados.

Se a infecção já causou destruição significativa de tecido e osso, outras técnicas, como regeneração de tecido guiada, precisarão ser aplicadas.

A piorreia tende a reaparecer

Após a realização de um tratamento para a piorreia, é necessário monitorar a doença. Se os devidos cuidados não forem aplicados, ela poderá se manifestar novamente depois de um tempo.

Assim, além de garantir a higiene bucal ideal com o uso dos produtos recomendados, é imprescindível consultar um dentista periodicamente. O profissional poderá orientá-lo quanto aos bons hábitos de higiene e intervirá na limpeza ou profilaxia, caso seja necessário.

Pode interessar a você...
Não espere para ir ao dentista!
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Não espere para ir ao dentista!

Ir ao dentista, pelo menos uma vez por ano é extremamente importante. Quando foi a última vez que você marcou uma consulta com seu dentista? Leia mais.



  • Pihlstrom BL, Michalowicz BS, Johnson NW. Periodontal diseases. Lancet. 2005 Nov 19;366(9499):1809-20. doi: 10.1016/S0140-6736(05)67728-8. PMID: 16298220.
  • Saini R, Marawar PP, Shete S, Saini S. Periodontitis, a true infection. J Glob Infect Dis. 2009;1(2):149-150. doi:10.4103/0974-777X.56251
  • Mehrotra N, Singh S. Periodontitis. [Updated 2020 Jul 10]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK541126/
  • Dahiya P, Kamal R. Hyaluronic Acid: a boon in periodontal therapy. N Am J Med Sci. 2013;5(5):309-315. doi:10.4103/1947-2714.112473
  • Casale M, Moffa A, Vella P, et al. Hyaluronic acid: Perspectives in dentistry. A systematic review. Int J Immunopathol Pharmacol. 2016;29(4):572-582. doi:10.1177/0394632016652906