5 perguntas sexuais que você tinha medo de fazer

24 Abril, 2020
Quanto tempo deve durar uma relação sexual? O pênis pode quebrar? Confira as respostas para algumas das perguntas sexuais mais comuns.
 

Todos temos dúvidas relacionadas a diversos âmbitos cujas respostas podem ser descobertas com facilidade. No entanto, no que diz respeito ao sexo, elas envolvem vergonhas ou tabus. Por isso, fazer certas perguntas sexuais pode ser difícil para muitas pessoas. Por esse motivo, neste artigo apresentamos 4 perguntas sexuais que você sempre teve medo de fazer. Não se preocupe, pois também incluímos as respostas.

Perguntas sexuais que você tinha medo de fazer

Pergunta 1: Por que é tão difícil para a mulher alcançar o orgasmo apenas com a penetração?

Certamente você já se fez essa pergunta, e isso é normal. Na verdade, isso acontece com a maioria das mulheres. Mais de 65% das mulheres precisam de um estímulo direto do clitóris para atingir o orgasmo.

Além disso, o cérebro tem um papel fundamental no orgasmo feminino. No clitóris, existem mais de 8.000 terminações nervosas, e sua estimulação produz um bombardeio de sensações no cérebro, capazes de levar ao orgasmo.

Nesse sentido, para atingir o orgasmo não é necessária apenas a estimulação do clitóris, mas também um estado mental relaxado e livre de estresse.

Pergunta 2: A vagina aumenta de tamanho quando uma mulher faz muito sexo?

Saúde vaginal
A relação sexual fortalece os músculos do assoalho pélvico, favorecendo as contrações e dilatações da parede vaginal.
 

Um dos mitos sexuais mais difundidos é de que a vagina de uma mulher aumenta de tamanho se ela tiver muitas relações sexuais. Por isso, esta é uma das perguntas sexuais mais comuns. No entanto, esse mito quer apenas censurar as mulheres que vivem livremente a sua liberdade sexual.

A resposta é não. A vagina é perfeitamente capaz de se adaptar ao tamanho do pênis. Desta forma, pode alargar-se ou contrair-se, porque as suas paredes são muito elásticas e capazes de se adaptar a diferentes tamanhos. Imagine, por exemplo, como ela é capaz de dilatar durante o trabalho de parto.

Por esse motivo, não é verdade que se uma mulher faz muito sexo a sua vagina fica mais larga. A idade também não tem nenhum papel nesse sentido. De fato, a relação sexual melhora a elasticidade das paredes da vagina. Além disso, os orgasmos fortalecem e exercitam os músculos do assoalho pélvico.

Pergunta 3: O coito interrompido é um método contraceptivo seguro?

O coito interrompido é um método contraceptivo em que o homem retira o pênis da vagina e ejacula fora dela.

Uma das perguntas sexuais mais comuns é se esse tipo de método contraceptivo é eficaz. Pois bem, a verdade é que ele tem uma eficácia de apenas 72% para prevenir gestações indesejadas. Isso ocorre porque, em muitos casos, a retirada não é feita a tempo, além da presença de espermatozoides no líquido pré-seminal.

No entanto, a coisa mais importante é notar que o coito interrompido não fornece qualquer proteção contra doenças sexualmente transmissíveis. De fato, é um contato direto e, portanto, a exposição a tais doenças é total.

 

Recomendamos que você leia: Conheça os mitos e verdades sobre os métodos contraceptivos

Pergunta 4: Quanto tempo deve durar uma relação sexual?

Casal fazendo sexo
A duração das relações vai depender de cada casal e de cada situação.

Uma relação sexual satisfatória dura de 7 a 13 minutos. É o que indicam os estudos a esse respeito. Deste modo, a ideia de uma transa que dura horas é apenas uma idealização social que, além disso, cria expectativas que podem levar o indivíduo à insatisfação, ao estresse e à ansiedade.

De acordo com um estudo, uma relação sexual é desejável se durar de 7 a 13 minutos, muito curta se durar menos de 2 minutos, e “muito longa” se durar de 10 a 30 minutos. De qualquer forma, uma relação sexual deve durar o tempo que o casal quiser e gostar. Ambos os parceiros devem se sentir satisfeitos e desfrutar do sexo durante toda a sua duração.

Recomendamos que você leia: Melhore sua vida sexual e evite a incontinência urinária com exercícios Kegel

Pergunta 5: O pênis pode quebrar?

Existe realmente uma fratura peniana? Tecnicamente não, porque o pênis é um órgão que não possui ossos. No entanto, o que pode acontecer (geralmente conhecido como “fratura peniana”) é a ruptura da túnica albugínea, que envolve seus corpos cavernosos.

 

Esse tipo de trauma pode ocorrer em um pênis ereto. O trauma de um pênis em ereção pode causar a ruptura do revestimento de seus corpos cavernosos ao se dobrar subitamente enquanto ainda está ereto, por exemplo.

Trata-se de uma fratura realmente dolorosa, e pode até incluir um som parecido com a quebra de um osso, ou um hematoma na área.

Devemos indicar que uma fratura peniana deve ser tratada com urgência pelo médico que, de fato, pode proceder à cirurgia. Do contrário, se não for tratada, pode levar à deformação do membro ou a algum tipo de disfunção sexual (incapacidade de ereção).

Você ainda deve ter muitas outras perguntas, certo? Talvez seja a hora de nos libertarmos dos tabus e de aprendermos ainda mais sobre esse importante aspecto de nossas vidas.

 
  • S. Andrea Miller and E. Sandra Byers, “Actual and Desired Duration of Foreplay and Intercourse: Discordance and Misperceptions within Heterosexual Couples”, The Journal of Sex Research, Vol. 41, No. 3 (Aug., 2004), pp. 301-309
  • Gregory S Jack et al. “Current Treatment Options for Penile Fractures”, Rev Urol. 2004 Summer; 6(3): 114–120.
  • Ferrero G, La Pietra O., “[Coitus interruptus: unreliable method of birth control. A statistical study]” (en italiano), Sessuologia. 1968 Oct-Dec;9(4):163-8.