O que é a paroníquia e quais são os tratamentos disponíveis?

A paroníquia é uma patologia de origem infecciosa, bacteriana ou fúngica que afeta as unhas dos dedos das mãos e dos pés. É caracterizada por vermelhidão e inchaço.
O que é a paroníquia e quais são os tratamentos disponíveis?

Última atualização: 29 Janeiro, 2021

A paroníquia é uma infecção da pele ao redor das unhas das mãos ou dos pés. Segundo organizações médicas, esta patologia se manifesta na base (cutícula) ou nas laterais da unha. A área afetada fica vermelha, com uma bolha cheia de pus, e se torna mais sensível ao toque.

Como qualquer infecção de natureza bacteriana ou fúngica, existe um risco associado (embora muito baixo) de que o foco se espalhe para outros tecidos. Portanto, é essencial detectar a doença rapidamente e remediá-la com eficácia. A seguir, esclarecemos o que é a paroníquia e quais são os seus sintomas e tratamentos.

O que é a paroníquia?

Como já dissemos, essa patologia responde a um processo infeccioso ao redor da unha. Estudos indicam que a lâmina ungueal (um tecido córneo localizado na extremidade distal do dorso dos dedos) manifesta inflamação. Além disso, ocorre a destruição da cutícula (parte dura da unha), às vezes acompanhada de supuração.

Esta doença infecciosa pode ser classificada de diferentes maneiras, dependendo dos critérios médicos. Nós os apresentamos a seguir.

De acordo com o agente causal

O patógeno que gera a doença determinará sua permanência e severidade. Fontes oficiais, como a Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, relatam que existem dois tipos de paroníquia de acordo com o agente:

  • Aguda: de origem bacteriana, causada por estreptococos, estafilococos ou pseudomonas. Aparece repentinamente, não dura muito e costuma estar localizada em um único dedo, geralmente na mão.
  • Crônica: causada por fungos do gênero Candida. Ocorre em mais de um dedo e está associada a um período de recuperação mais longo com possíveis recidivas.
Inflamação no dedo
A inflamação ao redor das unhas pode ser de origem bacteriana ou fúngica, com diferentes graus de severidade.

De acordo com a sua gravidade

A classificação anterior é muito útil do ponto de vista epidemiológico, pois permite saber o que esperar da doença de acordo com o patógeno que a causa. Ainda assim, a partir de um prisma cirúrgico, é necessário distinguir a paroníquia com base na gravidade de seus sintomas. As fontes citadas acima incluem esta classificação:

  • Primeiro grau: quando as bactérias não penetraram muito profundamente. Uma bolha de pus localizada se forma.
  • Segundo grau: aparecimento de abscesso (acúmulo de pus) na bolsa ungueal devido ao aumento da penetração bacteriana.
  • Terceiro grau: quando o abscesso se estende ao tecido adiposo subcutâneo.
  • Quarto e quinto graus: afetações mais profundas, que podem chegar a atingir o osso ou se manifestar como necrose (morte do tecido).

Como vimos, essa infecção se torna mais séria quanto mais as bactérias penetram no tecido afetado. Por isso, é fundamental detectá-la rapidamente para evitar complicações raras, embora possíveis.

Sintomas e causas

Os sintomas da paroníquia dependem do micro-organismo que a causa e do nível de gravidade da infecção. Os portais oficiais reunem alguns dos sinais clínicos mais óbvios, entre os quais estão:

  • Dor, inchaço e vermelhidão na base de uma ou mais unhas.
  • Aparecimento de bolhas cheias de pus localizadas na área de infecção.
  • Alterações na cor da unha ou separação da mesma da ponta do dedo.
  • Em caso de disseminação da infecção bacteriana para o resto do corpo, o paciente pode apresentar febre, calafrios, mal-estar e dores musculares, entre outros sintomas.

Por que ela ocorre?

As causas dessa infecção estão ligadas à facilidade de entrada de patógenos, além das barreiras dérmicas externas. Danos mecânicos contínuos, como roer as unhas, chupar o dedo ou crescimentos atípicos com lesões, podem predispor ao aparecimento da doença.

Por outro lado, segundo estudos científicos, a exposição à umidade contínua promove o aparecimento de infecções fúngicas. Por esse motivo, pessoas com profissões ligadas ao manuseio de água (lavar louça ou limpeza, por exemplo) são mais suscetíveis à paroníquia crônica por Candida.

Outro fator de risco pode ser a diabetes, visto que análises clínicas observaram que, em pacientes monitorados, até 30% daqueles com infecções fúngicas nas unhas eram diabéticos.

Tratamento da paroníquia

Esse tipo de infecção costuma ser de autocura, ou seja, se resolve sozinho após alguns dias. Recomenda-se mergulhar a unha afetada em água morna várias vezes por dia, a fim de reduzir os sintomas.

Em caso de disseminação da área inflamada ou aparecimento de abscessos, a consulta médica é obrigatória. Antifúngicos ou antibióticos podem ser prescritos dependendo do agente causador. Se o abscesso for complicado, uma cirurgia localizada pode ser necessária.

Sapatos que machucam os pés
As unhas dos pés também são suscetíveis à paroníquia, que pode ser provocada pelo uso de sapatos apertados.

O que devemos lembrar sobre a paroníquia?

Como vimos, esta doença é caracterizada por sua natureza infecciosa localizada nas unhas. Caso seja provocada por bactérias, nem sempre é necessário um tipo especial de tratamento, mas as infecções por Candida  podem exigir intervenção médica.

Para prevenir este tipo de patologia associada às unhas é imprescindível não roê-las, cortá-las regularmente e ir ao podólogo em caso de crescimento anormal. A pele é nossa primeira barreira de defesa; é fundamental cuidar dela e não submetê-la a estresses desnecessários.

Pode interessar a você...

Remédios naturais para a dermatite seborreica
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Remédios naturais para a dermatite seborreica

Conheça alguns remédios naturais para a dermatite seborreica, uma condição caracterizada pelo aparecimento de manchas escamosas, pele avermelhada e caspa.



  • Langer, M. F., Lötters, E., Wieskötter, B., & Surke, C. Infecciones del surco ungueal de los dedos. Tratamiento de la paroniquia.
  • Paroniquia, Medlineplus.gov. Recogido a 22 de agosto en https://medlineplus.gov/spanish/ency/article/001444.htm
  • Paroniquia, Hospital San Diego. Recogido a 22 de agosto en https://www.rchsd.org/health-articles/paroniquia/
  • Alvarado, A., Hernández-Álvarez, G., Fernández, R., & Arenas, R. (2014). Onicomicosis por Candida en las uñas de las manos. Dermatología Revista mexicana58(4), 323-330.
  • Abad-González, J., Bonifaz, A., & Ponce, R. M. (2007). Onicomicosis because of Candida associated to diabetes mellitus. Dermatología Revista Mexicana51(4), 135-141.
  • Riquelme, Pablo Ruiz, and Esteban Urrutia Hoppe. “Manejo de la osteomielitis de la mano: revisión a propósito de un caso clÃnico.” ARS MEDICA Revista de Ciencias Médicas 44.2 (2019): 17-22.
  • Goettmann-Bonvallot, S., et al. “Patología ungueal.” EMC-Dermatología 51.4 (2017): 1-27.