Dermatologista esclarece dúvidas relacionadas aos cuidados com a pele

21 Abril, 2020
A dermatologista Rocío Gil Redondo fala, na entrevista a seguir, sobre as mais novas técnicas de rejuvenescimento da pele e os cuidados que devemos levar em consideração em nossa rotina.
 

A pele é o órgão mais extenso do nosso corpo. Conta com quase dois metros de comprimento e tem objetivos muito básicos: proteger-nos da luz solar, temperatura, bactérias, manter a hidratação… A nossa pele nos permite sentir e experimentar; é um canal de sensações extraordinárias. No entanto, muitas pessoas costumam ter dúvidas a respeito de alguns cuidados demandados pela pele.

Todos sonhamos em ter uma pele perfeita; sua aparência é sinônimo de beleza e, portanto, procuramos os tratamentos mais recentes para manter a sua juventude, elasticidade e brilho. No entanto, há algo mais do que a aparência física por trás dessa questão.

Dermatite atópica, rosácea, acne, verrugas… Existem muitas condições de pele que nos preocupam e que exigem atenção adequada. O cuidado dermatológico implica, acima de tudo, proteção e prevenção.

Não podemos esquecer que a exposição ao sol é um dos nossos piores inimigos. O câncer de pele e o envelhecimento precoce estão associados a essa realidade.

Pele bonita é pele saudável. Para cuidar da sua saúde, precisamos da atenção e dos conselhos de bons especialistas. A Dra. Rocío Gil Redondo, dermatologista, esclarece na entrevista a seguir algumas das dúvidas mais comuns relacionadas aos cuidados da pele.

“O sol é uma das principais causas do envelhecimento, produzindo perda de elasticidade da pele, rugas, pigmentações indesejadas, como melasma ou manchas hepáticas e dilatações vasculares, principalmente na área do pescoço e no colo”.
– Dra. Gil Redondo –

 

Entrevista com Rocío Gil Redondo: dúvidas relacionadas aos cuidados com a pele de acordo com as suas características

A Dra. Gil Redondo é formada em medicina pela Universidade de Alcalá e é especialista em dermatologia pelo Hospital Universitário de Guadalajara. Ela realiza seu trabalho em vários centros médicos e também ministra cursos e conferências.

Algo que nos indica a partir da sua experiência é que, em relação à dermatologia, os remédios milagrosos não existem. Seja para acne ou outras condições, o mais relevante na maioria dos casos é ter hábitos adequados nos cuidados com a pele. A proteção soltar, rituais de limpeza e o uso da maquiagem adequada são aspectos que nunca devemos deixar de lado.

Além disso, outra realidade com a qual a Dra. Gil Redondo costuma trabalhar são as patologias pré-cancerosas. As revisões periódicas daquelas pintas que já temos há algum tempo ou que apareceram após o último verão também sugerem algo que vai além da mera estética; tem a ver com a saúde e o bem-estar.

P. Dra. Rocío Gil Redondo, é comum ouvir que os cuidados com a pele variam dependendo do tipo de pele. Quais são os principais tipos e o que devemos levar em consideração?

Existem principalmente quatro tipos de pele: a normal, a oleosa, a seca e a mista. Para classificá-la, é necessário levar em consideração características como suavidade, brilho, descamação… Apesar dessa classificação, cada pele pode se comportar de maneira diferente devido a fatores ambientais, como o clima.

 

P. Sabemos que existem áreas mais sensíveis da pele que precisam de cuidados específicos, quais são elas e o que devemos fazer?

As regiões mais sensíveis são aquelas com a pele mais fina, como as áreas periocular e perioral. Para cuidar delas, é necessário hidratá-las diariamente com cremes específicos para essas áreas e, acima de tudo, levá-las em consideração no momento de se proteger do sol.

Usar protetor solar

P. Hoje, os riscos decorrentes da exposição ao sol são particularmente preocupantes. Até que ponto os nossos cuidados com a pele precisam levar esse fator em consideração?

O sol é uma das principais causas do envelhecimento, produzindo perda de elasticidade, rugas, pigmentações indesejadas, como melasma ou manchas hepáticas e dilatações vasculares, principalmente na região do pescoço e no colo.

Mais importante do que isso é o risco envolvido no desenvolvimento de câncer cutâneo, que pode exigir excisões cirúrgicas com a consequente sequela estética, além da mortalidade associada ao aparecimento de certos tipos de câncer de pele, como o melanoma.

P. Por que a esfoliação e a hidratação da pele facial são tão importantes?

 

limpeza do rosto é importante para a remoção da sujeira ambiental depositada ao longo do dia, além dos restos de maquiagem. A hidratação é importante para a manutenção da textura da pele e para completar as suas necessidades, dependendo do tipo de pele.

Na esfoliação, é realizada a remoção das células da camada córnea, a camada mais superficial da pele, que já é naturalmente eliminada ao longo dos dias. Portanto, recomendamos a esfoliação nos casos em que ela é necessária, como em peles com poros com tendência a entupir, texturas irregulares…

Não aconselhamos esse procedimento em casos de pele mais sensível, devido à possibilidade de irritação.

P. Existe algum produto ou tipo de maquiagem que devemos evitar?

Em pessoas com pele propensa à acne, é importante evitar maquiagem e cremes comedogênicos para prevenir o aparecimento de mais lesões.

P. Existe uma preocupação crescente em evitar o envelhecimento da pele. Você poderia nos dizer quais são os tratamentos de rejuvenescimento mais inovadores oferecidos pela sua clínica?

Um dos tratamentos mais inovadores é a terapia biofotônica, um tratamento de luz que usa luz fluorescente para estimular a produção de colágeno e melhorar rugas finas e cicatrizes de acne, reduzir o tamanho dos poros, melhorar a textura e a qualidade geral da pele.

Outro tratamento é a radiofrequência, que provoca um aquecimento das camadas profundas da pele, estimulando a produção de fibras de colágeno e elastina, melhorando a flacidez corporal e facial.

 
Tratamentos para a pele

P. Dra. Rocío Gil Redondo, você poderia nos falar um pouco sobre a dermatite atópica? Sabemos que, atualmente, esta é uma doença de pele muito comum, principalmente em recém-nascidos, por quê?

dermatite atópica é uma das razões mais frequentes de consulta em dermatologia infantil. Até 10 a 20% das crianças com menos de 10 anos de idade podem ser afetadas por essa doença em diferentes graus, podendo afetar a qualidade de vida e o sono em casos moderados e graves.

É causada por uma alteração na barreira cutânea que apresenta predisposição genética e pode ser desencadeada por fatores ambientais. Isso desencadeia um processo inflamatório que causa vermelhidão, coceira e descamação.

P. Finalmente, você poderia nos dizer quais são os motivos mais comuns para a consulta dermatológica?

Algumas das consultas dermatológicas mais frequentes são devido à acne, rosácea, dermatite seborreica, revisão de pintas, psoríase, dermatite atópica e infecções virais, como verrugas virais ou molusco contagioso, este último principalmente na população pediátrica.

Patologias pré-cancerosas, como ceratose actínica e câncer de pele, principalmente carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular, são mais comuns em pacientes idosos.