Ortorexia: a obsessão por alimentos saudáveis

08 Junho, 2020
Pessoas com ortorexia se concentram exclusivamente no que comem; a comida é o centro dos seus pensamentos e da sua vida.

Desde que o Dr. Steven Bratman publicou o livro “Health Food Junkies” em dezembro de 2000 e apareceu no The New York Timesessa obsessão por alimentos saudáveis ​​vem ganhando espaço na mídia. A ortorexia é um distúrbio do comportamento alimentar que consiste na obsessão em consumir alimentos que a pessoa afetada considera saudáveis.

Embora não pareça tão prejudicial assim, como todo extremo, pode ser perigoso. Neste artigo, você aprenderá mais sobre esse transtorno.

O que é a ortorexia ou a obsessão por alimentos saudáveis?

Trata-se de uma preocupação obsessiva em comer alimentos saudáveis. Isso leva a situações como isolamento social, sentimentos de culpa por ter ingerido alimentos não saudáveis ​​e até a preferência por jejuar para não consumir determinados alimentos

Embora o termo já esteja desfrutando de alguma popularidade, ele ainda não foi reconhecido como uma doença pela Organização Mundial da Saúde.

Os alimentos saudáveis como obsessão

O que é a ortorexia ou a obsessão por alimentos saudáveis?
Esse tipo de comportamento busca obsessivamente um estilo de vida saudável, rejeitando qualquer outra atividade que não esteja relacionada a ele.

O problema surge quando essa preocupação com a comida se torna uma obsessão, um comportamento patológico, por trás do qual podem surgir problemas subjacentes de adaptação psicológica e social. As pessoas que sofrem de ortorexia se concentram exclusivamente no que comem, sendo este o centro dos seus pensamentos e das suas vidas.

A insatisfação da pessoa é projetada em uma rígida disciplina alimentar que desencadeia um sentimento de culpa se não for seguida à risca. Por outro lado, desperta a realização e satisfação pessoal se for totalmente respeitada.

Características de uma pessoa com ortorexia

  • Começa com a tentativa de se alimentar de forma saudável e com o desejo de mudar os maus hábitos alimentares. A pessoa evita os alimentos ricos em gorduras e açúcares.
  • Qualidade e pureza são elementos-chave para a ortorexia, mas esse é o ponto em que o desejo positivo se torna negativo.
  • Pessoas com ortorexia nervosa estão constantemente preocupadas com comida. Elas passam horas do dia pensando em pesquisas, planejamento e preparação das refeições.
  • Afastando-se das regras impostas, eles se sentirão culpados.
  • Elas se orgulham da sua dieta, enxergando-a como uma opção saudável.
  • A mentalidade alimentar “saudável” pode isolar a pessoa afetada dos outros.
  • Quando a ortorexia piora, as pessoas podem excluir as suas outras atividades de interesse da sua vida.

Quem pode desenvolver a ortorexia?

Os alimentos saudáveis como obsessão
Há uma maior predisposição entre aqueles que tiveram algum outro tipo de distúrbio relacionado aos comportamentos alimentares.

Qualquer pessoa pode desenvolver essa inclinação patológica. No entanto, as mais vulneráveis ​​são aquelas que são muito exigentes consigo mesmas e com os outros, com caráter direto e rigoroso, que gostam de planejar e manter um controle exaustivo sobre sua vida e atividades diárias.

Mulheres e jovens também são mais propensos e, em geral, todos aqueles excessivamente preocupados com seu físico, uma vez que a decisão de comer “apenas alimentos saudáveis” está associada à obtenção de uma boa imagem corporal. Esse comportamento obsessivo lembra outros distúrbios alimentares, como a anorexia e a bulimia.

As pessoas que padecem de algum grau do transtorno obsessivo-compulsivo, assim como aqueles que sofreram de anorexia nervosa, também têm uma maior probabilidade de desencadear a ortorexia.

Tratamento e prevenção da obsessão por alimentos saudáveis

O tratamento visa substituir as deficiências nutricionais que o paciente sofreu ao excluir certos alimentos da sua dieta, bem como estabelecer hábitos alimentares corretos e tratar possíveis complicações orgânicas derivadas da má alimentação.

A colaboração do paciente é essencial. Nesses casos, costuma ser mais fácil obtê-la do que ao tratar outros distúrbios alimentares, como a anorexia, uma vez que a atitude do paciente em relação à comida não se deve ao desejo de perder peso, mas de ser mais saudável, o que realmente é o resultado de uma dieta equilibrada.

No entanto, é necessário modificar os comportamentos que a pessoa ortoréxica vem adotando ao longo do tempo, além dos pensamentos obsessivos, isolamento social e mudanças de humor.

Finalmente, a psicoterapia pode ajudar o paciente a modificar seu comportamento e aumentar sua autoestima, corrigindo sua visão distorcida direcionada a certos alimentos.

  • Scarff JR. Orthorexia Nervosa: An Obsession With Healthy Eating. Fed Pract. 2017;34(6):36-39.
  • Varga M, Dukay-Szabó S, Túry F, van Furth EF. Evidence and gaps in the literature on orthorexia nervosa [published correction appears in Eat Weight Disord. 2013 Jun;18(2):113. van Furth Eric, F [corrected to van Furth, Eric F]]. Eat Weight Disord. 2013;18(2):103-111.
  • Fidan T, Ertekin V, Işikay S, Kirpinar I. Prevalence of orthorexia among medical students in Erzurum, Turkey. Compr Psychiatry. 2010;51(1):49-54. doi:10.1016/j.comppsych.2009.03.001
  • Dunn TM, Gibbs J, Whitney N, Starosta A. Prevalence of orthorexia nervosa is less than 1 %: data from a US sample. Eat Weight Disord. 2017;22(1):185-192. doi:10.1007/s40519-016-0258-8
  • Varga M, Dukay-Szabó S, Túry F, van Furth EF. Evidence and gaps in the literature on orthorexia nervosa [published correction appears in Eat Weight Disord. 2013 Jun;18(2):113. van Furth Eric, F [corrected to van Furth, Eric F]]. Eat Weight Disord. 2013;18(2):103-111. doi:10.1007/s40519-013-0026-y