O que são vitaminas hidrossolúveis?

31 de outubro de 2019
A vitamina C é uma das vitaminas hidrossolúveis que intervém na formação das proteínas dos tecidos conjuntivos e na regeneração da cartilagem dos ossos. Dessa forma, uma deficiência causaria aberturas do tecido conjuntivo, hemorragias subcutâneas e dificuldade na cicatrização, entre outros problemas estruturais.  

As vitaminas são nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo. Dessa forma, uma deficiência causaria aberturas do tecido conjuntivo, hemorragias subcutâneas e dificuldade na cicatrização, entre outros problemas estruturais. Podem ser vitaminas lipossolúveis ou vitaminas hidrossolúveis, dependendo de como se dissolvem, como seu nome indica.

Ao contrário de alguns minerais, atuam em doses muito pequenas. Além disso, nosso corpo não é capaz de fabricá-las por si só, por isso é necessário incluí-las através da dieta.

Desta maneira, é fácil perceber a importância que apresentam esses nutrientes orgânicos para um completo estado de vitalidade celular e, finalmente, para o organismo. Daí a importância de incluí-las sempre na dieta ou na alimentação diária.

As vitaminas

Alimentos com vitaminas

Cada célula do corpo tem a função de transformar os aminoácidos, minerais e outros compostos em proteínas, hormônios e enzimas.

Algumas vitaminas fazem parte destes compostos resultantes, pelo que são indispensáveis para o correto funcionamento do corpo. Das 13 vitaminas diferentes que são conhecidas atualmente, podemos diferenciar dois grupos:

  • Vitaminas solúveis em água: dissolvem-se em água e o organismo não consegue armazená-las. Por essa razão, é necessário uma ingestão diária e controlada; o excesso é eliminado pelo suor e pela urina.
  • Vitaminas lipossolúveis: se dissolvem em gordura. Estas sim se armazenam nos tecidos adiposos do corpo e no fígado. Um excesso no consumo destas vitaminas pode ser prejudicial para a saúde, pelo que é necessário ter cuidado com os suplementos vitamínicos, e consultar sempre um médico ou farmacêutico antes de ingeri-los.

Vamos ver com mais detalhes as que pertencem ao primeiro grupo de vitaminas.

Vitaminas solúveis em água ou vitaminas hidrossolúveis

Este grupo de vitaminas, como vimos, pertence às vitaminas que se dissolvem na água e não se acumulam no corpo. Entre elas, encontramos:

Vitamina B1 ou tiamina

Esse é um tipo de vitaminas hidrossolúveis que se encontra nos frutos secos, grãos integrais, legumes, levedo de cerveja e germe de trigo. A principal função dessa vitamina é liberar a energia que os carboidratos contêm.

Um déficit pode produzir:

Leia também: 5 sintomas de deficiência de vitaminas que podem ser lidos em seu rosto

Vitamina B2 ou Riboflavina

Tem a função de catalisar a oxidação de gorduras, proteínas e carboidratos. Fontes ricas desta vitamina são o leite, o fígado, o feijão, as lentilhas, os queijos e frutos secos. Finalmente, um déficit desta vitamina solúvel em água levaria a transtorno visuais e inflamação da mucosa bucal e garganta.

Vitamina B3, niacina ou ácido nicotínico

Está presente nas leguminosas, frutos secos, cereais e levedura de cerveja, especialmente. Quanto à sua função, favorece a conversão dos alimentos em energia.

Além disso, vale ressaltar a doença causada pelo déficit de vitamina B3 : a pelagra, doença caracterizada pelo surgimento de manchas na pele, e distúrbios digestivos e nervosos.

Vitamina B5 ou ácido pantotênico

Faz parte do sistema imunológico, pois ajuda na defesa do organismo contra infecções. Além do mais, também intervém no metabolismo das gorduras, proteínas e carboidratos. Pode ser encontrada em todos alimentos de origem animal e nos vegetais, bem como na levedura de cerveja.

Uma deficiência dessa vitamina hidrossolúvel poderia levar a um enfraquecimento das defesas do organismo, o que favoreceria o desenvolvimento de infecções.

Você pode estar interessado em ler: 4 vitaminas que ajudarão a curar seus pulmões depois de parar de fumar

Vitamina B6 ou piridoxina

Vitamina B6

Está envolvida no metabolismo dos aminoácidos e na síntese da hemoglobina. A deficiência ocorre com maior incidência em problemas alimentares. Bananas, abacates, grãos integrais e vegetais em geral, são as fontes mais ricas de vitamina B6.

Vitamina B8 ou biotina

É encontrada em muitos alimentos vegetais e animais, por isso não costuma oferecer problemas alimentares. Por outro lado, se une a certas enzimas relacionadas à formação ou utilização de dióxido de carbono, por isso atua como uma coenzima.

Vitamina B9 ou ácido fólico

É essencial para a síntese do DNA nas células de tecidos novos, como nos fetos. Também intervém na síntese de glóbulos vermelhos. A sua falta induz à anemia. Encontra-se principalmente em lentilhas, feijão, legumes e fígado.

Vitamina B12 ou Cianocobalamina

Sua fonte principal é o fígado. Esta vitamina é essencial para a síntese de glóbulos vermelhos. Além disso, é a única vitamina que tem em sua estrutura um mineral, o cobalto; daí seu nome.

Além disso, não é produzida por qualquer planta ou animal, mas apenas por alguns microrganismos. A deficiência desta vitamina também provoca anemia.

Vitamina C ou ácido ascórbico

Vitamina C

Finalmente, a vitamina C está envolvida na formação de proteínas do tecido conjuntivo e na regeneração da cartilagem óssea.

Dessa forma, uma deficiência causaria aberturas do tecido conjuntivo, hemorragias subcutâneas e dificuldade na cicatrização, entre outros problemas estruturais.

Conclusão

Como você pode ver, as vitaminas são substâncias essenciais para desfrutarmos de boa saúde. Mencionamos apenas as propriedades das vitaminas hidrossolúveis, de modo que todas essas funções devem ser adicionadas às das lipossolúveis.

Finalmente, não se esqueça de adotar hábitos alimentares saudáveis para atender às necessidades nutricionais recomendadas.

 

  • López, G. (2010). Vitaminas hidrosolubles y liposolubles. Medicina Madrid.
  • MedLine Plus. (2016). Vitamina B6. Biblioteca Nacional de Medicina de Los EE.UU.
  • Godínez-Rubí, M., Valle-Anaya, M., & Anaya-Prado, R. (2012). Vitaminas hidrosolubles y su efecto sobre la expresión génica. Revista Latinoamericana de Cirugía.
  • Cameán, A. M., & Repetto, M. (2012). Las vitaminas: Toxicología alimentaria. In Las vitaminas: Toxicología alimentaria.