O que são grampos dentais?

Seu dentista disse que você precisa usar grampos dentais durante o tratamento? Não precisa se preocupar; comentaremos a seguir o que eles são.
O que são grampos dentais?

Última atualização: 17 Dezembro, 2021

Ao visitar um consultório odontológico, muitos utensílios estranhos podem atrair a atenção do paciente. Entre eles encontramos os grampos dentais, também conhecidos como clamps, pelo nome em inglês.

Eles são usados de forma simultânea com uma borracha especial e o chamado arco de Young nas intervenções em que é necessário isolar o campo clínico intraoral, ou seja, separar o dente a ser trabalhado do restante da boca. Como eles são? Quais são os usos? Detalharemos isso a seguir.

O que são grampos dentais?

Grampos ou clamps dentais são instrumentos odontológicos usados para isolar a boca. De forma específica, eles são pequenas abraçadeiras metálicas com um desenho especial, que permite que eles se adaptem à forma da coroa dos dentes. Dessa forma, eles circundam e abraçam o elemento dentário em sua porção cervical.

Os grampos são feitos de aço inoxidável temperado, cromado ou com alto teor de carbono. Eles têm a característica de serem resistentes e elásticos, o que facilita a colocação.

Para manipulá-los é necessário usar outro instrumento especial denominado “porta-grampos ou “portaclamps“. Trata-se de uma pinça que segura o grampo dental e o abre, para poder colocá-lo ao redor do dente e posicioná-lo no lugar correto.

Os grampos são usados para segurar uma borracha especial na boca, chamada de “dique de borracha”. Desta forma, é possível isolar o dente a ser trabalhado do restante das estruturas orais.

Por sua vez, o dique de borracha tem um orifício por onde passará o dente a ser isolado e o clamp o manterá no lugar. O restante do material é enganchado de forma estirada e com a tensão no arco de Young, o que manterá o local estável.

O que são grampos dentais?
Na odontologia, os grampos dentais facilitam a realização de algumas intervenções, como a endodôntica.

Função dos grampos dentais

A principal função dos grampos dentais é isolar o dente do restante da boca para proceder com a intervenção. Estes mantêm o dique de borracha no lugar, e este último, ao ser esticado pelo arco de Young, forma uma área limpa onde apenas o dente a ser tratado fica visível.

O isolamento dentário absoluto é um procedimento muito útil para o dentista, pois melhora a visibilidade e acessibilidade durante a intervenção, que se torna mais confortável, simples e limpa.

Trabalhar em um dente isolado garante um ambiente livre de umidade e reduz o risco de contaminação da área de trabalho pela flora bacteriana oral. Além disso, evita a interferência de outras estruturas orais como lábios, língua e bochechas, que podem dificultar o acesso à área de trabalho.

Os procedimentos em que esta ferramenta é utilizada são os seguintes:

O isolamento também atua como uma barreira que protege o paciente. Ele evita que caiam água, líquidos, materiais dentários ou pequenos instrumentos na boca do paciente.

Isso evita acidentes como engolir algum elemento pequeno ou uma agressão à mucosa com substâncias ácidas, cáusticas ou irritantes. Por exemplo, o contato com hipoclorito de sódio usado para irrigação de canais durante uma endodontia pode ser desconfortável para o paciente caso entre em contato com a boca.

Vantagens do isolamento dentário

Já dissemos como o isolamento com grampos dentais melhora as condições de realização de determinados tratamentos odontológicos. Isso influencia diretamente na duração do procedimento e no sucesso do mesmo. A seguir, mencionamos as principais vantagens de trabalhar em um dente isolado do restante da boca:

  • Melhora a visibilidade e acessibilidade do dentista ao campo clínico.
  • Evita a interferência da área de trabalho com outras estruturas orais, como a língua do paciente.
  • Reduz a contaminação da área de trabalho com saliva e sangue da boca.
  • Reduz a contaminação por microrganismos orais.
  • Fornece um campo seco. Evita o contato da saliva com o dente. Isso melhora a adesão dos materiais odontológicos.
  • Protege o paciente. Reduz o risco de acidentes evitando a eventual ingestão de corpos estranhos ou o contato de substâncias irritantes com as estruturas bucais.
  • Oferecem conforto e tranquilidade.

Tipos de grampos dentais

Existe uma grande variedade de designs de grampos odontológicos no mercado. Isso permite que o dentista tenha a possibilidade de escolher a alternativa que melhor se adapta às necessidades de cada caso clínico.

Os clamps se diferenciam de acordo com a forma oval específica que têm para se adequar à anatomia do colo dentário. Além disso eles possuem características diferenciadas, que tornam seu uso mais adequado em diferentes situações.

A seguir mencionamos algumas peculiaridades que os diferentes tipos de grampos dentais podem ter:

  • Com asa: possuem uma pequena borda externa na qual o dique de borracha pode ser colocado de forma extraoral. Além disso, eles permitem que os dedos possam ser apoiados no momento da colocação.
  • Sem asa: primeiro o clamp é colocado no dente e em seguida o dique de borracha é posicionado sobre ele.
  • De retenção: exerce força de maneira horizontal.
  • De retração gengival: exercem força em sentido apical, estendendo-se de forma subgengival. Eles podem ser colocados em uma posição mais profunda e, portanto, são ideais para tratamentos periodontais ou de dentes que não saíram completamente.
  • Borboleta ou cervical: são grampos dentários especiais para operações de cárie cervical em dentes anteriores e pré-molares.
  • Dentados com borda serrilhada: proporcionam uma maior retenção na superfície dentária.
  • Com o arco distalizado: facilitam o acesso dos instrumentos à área a ser tratada, e deixam a porção mesial do dente livre.

Os diferentes tipos de grampos são classificados de acordo com uma codificação universal que identifica o clamp. Esse código permite saber as características e em que dentes ele pode ser utilizado por meio de um número e uma letra.

Como os grampos dentais são usados?

Já mencionamos que os grampos dentais são usados em conjunto com o dique de borracha e o arco de Young no procedimento de isolamento dentário. Existem diferentes maneiras que o dentista pode escolher para a colocação do grampo.

Às vezes a borracha é colocada primeiro, seguida do grampo; em outros casos, se coloca o clamp primeiro e em seguida o dique. Por último, em outras ocasiões todos os elementos são colocados de uma vez. O método usado depende dos seguintes fatores:

  • O grampo escolhido.
  • Os instrumentos à disposição do dentista.
  • As necessidades do caso clínico.
  • As preferências do profissional.

Em qualquer caso, embora os momentos e a ordem de colocação variem, o resultado é semelhante. A seguir mencionamos as etapas necessárias para alcançar o isolamento oral com grampos dentais:

  1. Preparação do paciente: os aparelhos ou próteses são removidos. Se necessário, é realizada a anestesia do dente.
  2. Preparação do dique de borracha: levando em consideração a localização do dente a ser trabalhado, é feito um orifício na borracha com um perfurador especial.
  3. Colocação do arco de Young: as pontas da borracha são enganchadas nas pontas do arco. Ele deve ser estirado de forma que fique liso no sentido horizontal, mas folgado verticalmente, para alcançar confortavelmente o dente. A área aberta do arco fica voltada para cima.
  4. Seleção e teste do grampo: de acordo com a necessidade de cada caso, o grampo é escolhido e um pedaço de fio dental é amarrado para recuperá-lo em caso de acidentes. O clamp é preso com o portaclamp e experimentado na boca para verificar o encaixe correto no colo do dente.
  5. Colocação do grampo: ele é colocado no orifício do dique de borracha com a orientação adequada. Em seguida, todo o complexo clamp+ borracha + arco é preso com o portagrampos, e colocado no dente.
  6. Remoção do portagrampos do grampo, liberação das asas e reacomodação do dique, caso seja necessário.

Desta forma o isolamento estará pronto e o profissional tem um campo limpo e seco para começar a trabalhar com conforto.

Como os grampos dentais são usados?
Existem vários tipos de grampos dentais; no entanto, todos eles tendem a apresentar resultados semelhantes.

Benefícios para ambos

O isolamento absoluto da boca é uma ferramenta fundamental para prática de muitos tratamentos odontológicos. O uso não apenas significa um maior conforto para o dentista, mas também proporciona bem-estar e segurança ao paciente.

Além disso, os resultados dos procedimentos realizados nessas condições costumam ser melhor sucedidos. A qualidade e longevidade dos tratamentos aumentam se eles são feitos com isolamento.

A imagem de uma borracha, um arco e um par de grampos levados por uma pinça pode assustar um pouco. No entanto, agora você sabe que este procedimento permite um ambiente limpo, seco e seguro. Portanto, quando o dentista mencionar a necessidade de colocar grampos dentais para um tratamento na sua boca, não há motivo para se preocupar.

Pode interessar a você...
Por que os dentes são sensíveis à dor?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Por que os dentes são sensíveis à dor?

Os dentes são sensíveis à dor, e quando doem, muitas de suas funções são afetadas. Saiba mais detalhes sobre o tema neste artigo.



  • Quispe Santiago, J. S. (2021). Influencia del aislamiento absoluto en la ansiedad dental en niños escolares que acuden a la Clínica Estomatológica de la Universidad de Huánuco 2019.
  • Icaza Quiroz, J. A. (2021). Uso del aislamiento absoluto de los Odontólogos del Guayas Ecuador en diferentes procedimientos prostodónticos.
  • Romero, M. D. L. S., & Schneider, A. R. A. (2020). Eficacia de los tipos de aislamiento utilizados en clínicas de Odontopediatría UCSG, semestre B-2019. Journal of America health3(3), 59-69.
  • Policarpio Chuzón, G. R. (2019). Operatoria dental en odontopediatria.
  • Mandujano Pajuelo, H. E. (2018). Aislamiento del campo operatorio en odontopediatría.
  • Parra, A., & Maritée, E. (2020). Eficacia del sistema adhesivo previo a la colocación de sellantes de fosas-fisuras. Revisión Literaria.
  • Franco Antonio, Y. F. (2018). Aislamiento del campo operatorio.
  • González, R. A. B., Jiménez, Y. C. V., & Vargas, K. B. A. 9. Aislamiento absoluto. principios básicos de endodoncia clínica, 111.
  • Rolando, V. A. (2012). Aislamiento Absoluto. Revista de Actualización Clínica, 1056-1060.
  • Estrada Ríos, M. C. (2009). Comparación de permanencia del sellador fotocurable con aislamiento absoluto y relativo (Doctoral dissertation, Universidad Autónoma de Nuevo León).