Campos eletromagnéticos: o que são?

12 de dezembro de 2018
Ainda que vivamos cercados de aparelhos eletrônicos e que seja difícil escapar das ondas eletromagnéticas, existem formas de eliminar essa radiação diariamente, como caminhar descalço.

Computadores, celulares, tomadas, micro-ondas, wifi, entre outros. Todos estes aparelhos eletrônicos que usamos diariamente e que fazem nossa vida mais fácil, também geram ao seu redor campos eletromagnéticos que podem afetar negativamente nossa saúde; causando problemas como insônia, ansiedade, alergias, pele seca, etc.

Por isso, explicaremos o que são estes campos, como podem nos afetar e de quais maneiras é possível evitá-los, e mesmo assim seguir desfrutando do uso da tecnologia sem prejudicar a saúde.

O que são os campos eletromagnéticos?

Hoje em dia, existem campos eletromagnéticos por todo o lado; já que, mesmo se nós não possuíssemos aparelhos eletrônicos, as ondas dos vizinhos chegariam até nós.

Somente as pessoas que vivem muito longe de outras pessoas e sem nenhum tipo de conexão por cabo ou fio estão livres das ondas.

No entanto, estes campos não são visíveis para o olho humano, e por isso não damos a importância necessária a este assunto.

Escritório com vários aparelhos eletrônicos

Os campos eletromagnéticos são produzidos devido a acumulação de cargas elétricas que todos os aparelhos e conexões eletrônicas geram; desde as antenas de televisão ou estações de rádio e telefonia até uma tomada de parede ou uma máquina de raios X, passando por todo o tipo de aparelhos eletrônicos.

Se prestarmos atenção ao nosso redor veremos que em cada lugar haverá múltiplos aparelhos. Ao plugar um cabo elétrico em uma tomada são gerados campos elétricos no ar que rodeia o aparelho elétrico.

Além disso, quanto maior é a tensão, mais intenso é o campo elétrico produzido. E se conectarmos um computador a internet veremos a quantidade de redes de wifi que conseguimos detectar. Todas chegam até nosso organismo.

É importante destacar que também existem campos magnéticos naturais, causados pelas energias terrestres, e que também podem afetar a nossa saúde.

No entanto, a maior parte destes campos pode ser evitada com os conselhos que mostraremos a seguir.

Como os campos eletromagnéticos nos afetam?

Ainda não existem estudos a longo prazo que confirmem todos os efeitos negativos que a exposição contínua a estes campos eletromagnéticos provoca, pois esta exposição vem sendo muito incrementada durante os últimos anos.

De todos os modos, uma pessoa que passa um dia inteiro em um lugar muito carregado poderá comprovar por si só o que está acontecendo em seu corpo.

Muitas pessoas que trabalham em escritórios durante muitas horas já sentem estes problemas diariamente.

Leia mais: Sonoterapia: você sabe o que é?

Destacamos alguns deles

Transtornos do sistema nervoso: depressão, ansiedade, irritabilidade, etc.

  • Insônia
  • Alergias
  • Hipertensão
  • Problemas oculares
  • Pele seca
  • Problemas de concentração, vertigens, desorientação.
  • Enxaquecas
  • Cansaço
  • Esterilidade e problemas durante a gravidez
  • Doenças autoimunes
  • Arritmias

Vários estudos sugerem também que estes campos podem ser cancerígenos em longo prazo.

Como podemos evitá-los?

A opção mais utópica é ir viver isolado no meio da natureza, em uma casa ecológica e sem nenhum tipo de conexão elétrica.

Contudo, esta opção é praticamente impossível para a maioria das pessoas.

Casa ecológica sem acesso a campos eletromagnéticos

Além de tentar evitar ao máximo estar rodeado de aparelhos elétricos ou tentar usar internet a cabo, principalmente no quarto e nas zonas da casa onde se passa mais tempo; existem algumas maneiras de se descarregar diariamente desta poluição eletromagnética:

  • Caminhar descalço pela areia da praia ou pela grama por pelo menos uma hora.
  • Abraçar uma árvore durante pelo menos 15 minutos.
  • Dormir com uma manta de lã de ovelha natural debaixo da cama, já que atua como isolante.
  • Adquirir produtos isolantes de ondas eletromagnéticas (existem, por exemplo, alguns para telefones celulares).
  • Usar cobre para fabricar isolantes naturais (roupa com fio de cobre, pulseiras de cobre, etc.); já que o cobre possui propriedades protetoras destas ondas.

Saiba mais: Hábitos para combater a insônia e descansar

Você quer comprovar?

Por fim, para as pessoas mais céticas recomendamos fazer um experimento. A cada dia durante um mês ferva água no micro-ondas, e quando a água estiver morna, utilize-a para regar duas plantas similares; uma com a água esquentada no micro-ondas e posteriormente esfriada  e outra com a água direta da torneira.

Ao final de um período, verá como cada uma delas cresce. É possível que uma não sobreviva ou não se desenvolva da mesma forma que a outra.

Imagens por cortesia de Paladin27 e phototouring. 

  • Cabral, S. C. B., & Mühlen, S. S. (2005). Interferência eletromagnética no ambiente hospitalar. Revista MultiCiencia5, 44-49.
  • Dode, A. C., & Leão, M. M. D. (2004). Poluição ambiental e exposição humana a campos eletromagnéticos: Ênfase nas estações radiobase de telefonia celular. POLUIÇÃO ELETROMAGNÉTICA.
  • Anselmo, C. W. S. F., Bion, F. M., Catanho, M. T. J. D. A., & Medeiros, M. D. C. (2005). Possíveis efeitos adversos dos campos eletromagnéticos (50/60 Hz) em humanos e em animais. Ciência & Saúde Coletiva10, 71-82.
  • Balbani, A. P., & Krawczyk, A. L. (2009). Efeitos da exposição aos campos eletromagnéticos do telefone celular. RBM4, 87-96.