Namoro entre crianças: como agir nessas situações

17 de novembro de 2019
É normal sentir-se paralisado quando as crianças falam conosco sobre seu primeiro amor de infância, mas é algo que devemos saber como orientar. O namoro infantil oferece uma bela oportunidade de construir confiança com seus filhos.

Você já ficou paralisado com o comentário de um de seus filhos: “Eu tenho namorado ou namorada”? É possível que, naquele momento, você tenha sentido suas pernas tremerem e algo semelhante a um desmaio parecer acontecer. No entanto, o namoro entre crianças é normal e frequente.

Mas não fique tão alarmado, pois não é nada grave. Pelo contrário, é uma grande oportunidade para o crescimento emocional da criança e dos pais. As crianças vêm com um repertório de aprendizado para os pais.

Para assimilar essa fase, primeiramente respire e, em seguida, continue a leitura até o fim. Aqui deixamos informações sobre como agir nas situações que surgirem. O namoro entre crianças é uma daquelas lições que oferece grandes oportunidades. As questões fundamentais são: como lidar com isso? E, o que fazer?

Diante do namoro entre crianças haja com naturalidade

namoro entre crianças

É bom não exagerar quando o assunto é namoro entre crianças. Lidar com isso de maneira errada pode trazer consequências emocionais futuras.

Ouvir atentamente o que a criança tem a te dizer é essencial para elaborar o “plano de voo” desse assunto. Aqui está uma série de recomendações para você agir adequadamente diante do namoro entre crianças:

1. Dê orientação sobre o assunto (namoro), evite rodear

Os namoros entre crianças são iguais à orientação dos pais. Porque? Por ser um tema desconhecido para as crianças que apenas os pais podem definir, esclarecer e encaminhar. Evitar o problema não faz sentido, por mais que você o ignore, está acontecendo.

É possível que o menino ou a menina lhe dê a notícia de seu “namoro” e, na verdade, a criança só ache que sentar ao lado de seu melhor amigo ou amiga na sala é “ser namorado”.

É importante que as crianças saibam as diferenças entre amigos e namorados. Conversar sobre namoro entre crianças permitirá que você introduza tópicos sobre a sexualidade da criança. A ocasião será muito útil para estabelecer uma referência para falar fluentemente.

2. Mantenha uma observação constante

Depois de conversar com seu filho e orientá-lo sobre o namoro, você deve estar em constante observação, sem ser invasivo ou castrador. Por exemplo, se o namoro traz problemas de atenção ou deterioração na criança, você deve estar atento.

É necessário saber o que está acontecendo na escola ou em outro local onde o namoro ocorre. A idade da criança é decisiva para saber até que ponto observar e até que ponto intervir.

Também pode te interessar: Fortaleça as relações familiares

3. Observe o tipo de “namoro” que a criança mantém

Menina escrevendo com caneta em um caderno

As crianças repetem o que veem em casa. Por isso, o relacionamento que elas veem em casa sempre será transferido para a sua própria vida. Se papai e mamãe têm um relacionamento saudável, os pequenos vão querer repetir o mesmo e ser “namorados” de alguém.

Para as crianças, o relacionamento entre os pais gera sentimentos agradáveis ​​que elas imitarão. Assim, o exemplo que você dá ao seu filho sobre como leva o seu relacionamento é a primeira fonte de inspiração (ou rejeição).

4. Crie confiança na criança

Assumir o namoro entre crianças com a orientação apropriada resultará em uma evolução emocional saudável. Isso terá impacto no desenvolvimento de um futuro adulto seguro e feliz.

A criança que tem a possibilidade de dizer aos pais que ela tem um relacionamento amoroso, sem que eles ajam de maneira exagerada ou desproporcional, será uma criança completa que aprenderá a confiar nos pais porque é o mais natural.

Você também gostará de ler: Crianças e redes sociais: quais são os perigos

5. Favoreça uma bela lembrança

Menina deitada na grama com uma flor na mão, gerando lembranças de namoro infantil

Os primeiros amores sempre trazem lembranças agradáveis ​​que geram bem-estar. É o mesmo para as crianças, portanto, o tratamento dado ao assunto trará belas lembranças quando as crianças se tornarem adultos.

Você se lembra do seu primeiro amor infantil? Certamente, o sentimento e as sensações que você sente são lindos, pois o levam de volta à sua infância e o conectam à sua inocência adormecida. Ninguém será melhor que a mãe ou o pai para incentivar essa bela lembrança a permanecer nas crianças.

6. Deixe que expressem seus sentimentos

Como mencionamos, a confiança sempre gera bons resultados na autoestima das crianças. Então deixe que elas expressem seus sentimentos livremente e faça de você parte disso.

Lembre-se que o namoro é um jogo de exploração para crianças. Portanto, é um estágio em que os sentimentos estão em plena floração, pois é um caminho desconhecido para eles. Pegue-os pela mão e entenda que essa dinâmica tem a ver com uma simulação do que eles veem entre mãe e pai.

Reflexão final

Por fim, segundo psicólogos e pedagogos, as crianças não têm a capacidade de se apaixonar até atingirem a puberdade. Use o namoro infantil para conhecer melhor seus filhos. Esse é o desafio e a oportunidade que você tem a partir da confissão infantil: “Mãe, eu tenho um namorado ou namorada”.