Mutismo seletivo: o que é e quais são as causas

· 7 de maio de 2019
O mutismo seletivo é um transtorno que pode afetar as crianças. Existem diversas causas para este problema. Descubra quais são.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais DSM-5 o mutismo seletivo é definido da seguinte maneira: “a criança geralmente manifesta habilidades para a comunicação de maneira adequada, apesar de que somente o faça em determinados contextos”.

Por que isso acontece? Qual é a causa pela qual uma criança fica muda em determinadas situações? Vamos contar aqui alguns dos motivos pelos quais pode surgir esse problema.

O mutismo seletivo nas crianças

Criança com mutismo seletivo

O mutismo seletivo é mais comum em meninos que em meninas e somente ocorre em crianças pequenas. Entretanto, é importante dar-lhe atenção especial já que pode ocasionar um grande sofrimento. Uma pessoa que tem medo das aranhas não pode evitar fugir ou gritar quando vê esse inseto.

Assim, uma criança que sofre de mutismo seletivo não pode evitar ficar calada em determinadas circunstâncias. O motivo é que o mutismo está amplamente relacionado com a ansiedade, apesar de que os casos são escassos e os motivos ainda não estão totalmente estabelecidos.

Iván Carabanho Aguado, médico adjunto do serviço de pediatria do Hospital Universitário 12 de Outubro de Madri, afirma que o mutismo seletivo é “uma variedade do transtorno de ansiedade que pode ser hereditário e pode comparar-se com uma timidez extrema”.

Podemos considerar o mutismo um transtorno, somente nos casos em que esse problema se mantenha durante mais de um mês. Aliás, de acordo com Carabanho, algumas vezes o mutismo continua presente na idade adulta, algo que pode ocasionar sérios problemas.

O mutismo que se prolonga até a idade adulta pode provocar muitas limitações e barreiras em todos os níveis. Isso pode ocorrer tanto ao relacionar-se com outras pessoas como no momento de tentar aceder a um trabalho.

Isso pode interessar você: Os 5 sinais mais comuns de autismo

Fatores que predispõem ao problema

Criança com problemas de comunicação

“O mutismo seletivo. Guia para a detecção, avaliação e intervenção precoce na escola” é uma guia desenvolvida pelo “Módulo de Conduta do Centro de Recursos de Educação Especial de Navarra (CREENA)”. Nesta guia são expostos alguns fatores que podem predispor uma criança a sofrer este transtorno:

  • Características da personalidade: se uma criança é muito tímida ou se inibe, será mais propensa a sofrer mutismo seletivo.
  • Déficits de aprendizagem: alguns exemplos podem ser a gagueira, algum atraso na linguagem, na fala ou a falta de habilidades sociais.
  • Entorno familiar: se existe um modelo de evitação em sua casa e o estilo que exerce um ou os dois progenitores é de superproteção ou autoritarismo, a criança pode desenvolver mutismo seletivo.
  • Contexto escolar: um professor autoritário ou condescendente que favorece a concorrência “nociva” e zomba da criança, pode favorecer que esta apresente mutismo.

Não deixe de ler também: Déficit de atenção em crianças: como detectá-lo a tempo

Também é necessário ter em conta possíveis eventos traumáticos que podem condicionar a criança a sofrer este transtorno. Então, se você suspeitar que seu filho esteja sofrendo de mutismo seletivo, leve-o a um profissional.

O que nunca devemos fazer perante uma situação na qual uma criança não quer falar é castigá-la ou repreendê-la. Isso só fará com que o problema se acentue. Devemos tentar entender e tratar a criança com carinho. Por outro lado, também devemos animá-la a interagir com crianças que não conheça e ajudá-la a ampliar seu círculo de amigos.

Então, este artigo foi útil para você? Sendo assim, continue conosco porque temos mais dicas para a sua saúde e bem-estar.

  • Ahne, V. (2009). Mutismo Selectivo. Mente y Cerebro.
  • Balbuena Teruel, S., Rueda Lozano, I., & López Herrero, P. (2012). Estudio de un caso de mutismo selectivo: evaluación e intervención en el contexto escolar. Análisis y Modificación de Conducta. https://doi.org/10.1364/OE.18.003011
  • Méndez Carrillo, F. J., Bermejo de las Heras, R. M., & Olivares Rodríguez, P. J. (2002). Mutismo selectivo: naturaleza, evaluación y tratamiento. In Manual de psicología clínica infantil y del adolescente : trastornos específicos.
  • Molina, M., Tomás, J., Baeza, E., & Sarlé, M. (1999). Mutismo selectivo. = Selective mutism. Revista de Psiquiatría Infanto-Juvenil.
  • Muñoz, S. (2005). El mutismo selectivo. Psicologia. Com.
  • Olivares Rodríguez, J., Piqueras Rodríguez, J. A., & Rosa Alcázar, A. I. (2006). Tratamiento Multicomponente de un Caso de Mutismo Selectivo. Terapia Psicologica.
  • Urban, C. C., Gallego, C. G., & Gallo, P. M. (2009). El mutismo selectivo. Guía para la detección, evaluación e intervención precoz en la escuela. Creena Centro de Recursos de Educación Especial de Navarra. https://doi.org/10.1080/03007995.2016.1206872