Menopausa: reduza seus sintomas naturalmente

· 18 de outubro de 2014
É fundamental aprender a lidar com o estresse para não piorar sintomas como a insônia, a ansiedade ou a depressão. Além disso, pode-se tentar praticar atividade física, fazer exercícios de relaxamento ou ioga.

Se é uma mulher entre 45 e 55 anos, que está bem perto ou vive atualmente na menopausa, é possível que se surpreenda ao saber que a menopausa acaba no dia que os ciclos menstruais cessam durante um ano completo.

Todo o sufoco, mudanças de humor, ganho de peso, problemas para dormir e outros sintomas tão incômodos que são produzidos durante esta etapa da vida; de fato, ocorrem durante a perimenopausa, que é simplesmente o tempo prévio ao último período menstrual.

Como mulher, deve estar consciente de que praticamente qualquer mudança relacionada com o ciclo reprodutivo pode afetar física e emocionalmente e a menopausa não é diferente.

Enquanto algumas mulheres não experimentam absolutamente nenhum sintoma, outras têm que lutar contra uma série de sintomas graves de distração, às vezes difíceis.

Felizmente, somente cerca de 2% das mulheres experimentam sintomas da perimenopausa que são o suficientemente graves para poder debilitar, mas isso não significa que o resto não necessitará de um pouco de alívio.

Quais são as opções para reduzir os sintomas da menopausa?

Apesar do incômodo que se pode ter, é importante lembrar que a menopausa é uma etapa natural da vida, não uma doença. Como tal, não requer nenhum tipo de tratamento.

Claro que, se estiver sofrendo o repetido sufoco, insônia e mudanças de humor incontroláveis, é necessário buscar uma solução, especialmente quando a perimenopausa pode durar anos.

Além disso, pode-se experimentar os sintomas da “menopausa” durante meses ou anos depois. Isto inclui sintomas tais como:

  • Fadiga
  • Depressão
  • Irritabilidade e ansiedade
  • Dificuldade para dormir
  • Sufoco
  • Dor nas articulações e músculos
  • Perda da libido

Quando necessitar de alívio, a terapia de reposição hormonal (TRH) pode parecer uma opção viável. A maioria dos sintomas da menopausa se produz devido à flutuação dos níveis dos hormônios estrogênio e progesterona.

Quando a menopausa começa, os ovários deixam de produzir estes hormônios por completo, por isso que a TRH funciona mediante a reposição por alternativas sintéticas. No entanto, este tratamento pode apresentar problemas secundários.

Felizmente, existem opções naturais livres de efeitos secundários para reduzir os sintomas da menopausa. Estas são algumas:

1. Exercícios

ejercicio-peso

Caso não faça exercícios regularmente, agora é o momento para começar. Estudos demonstram que o exercício pode aliviar a sensação de estresse, a ansiedade e a depressão pós-menopausa; ao mesmo tempo em que ajuda a evitar o ganho de peso. Isto é importante, já que as pesquisas mostram que as mulheres com sobrepeso sofrem mais sufoco.

Recomenda-se realizar pelo menos 2,5 horas por semana de atividade física aeróbica moderada, 1 hora e 15 minutos de atividade aeróbica vigorosa ou alguma combinação dos dois, junto com exercícios de treinamento de força dois dias por semana.

O yoga, em particular, também tem apresentado melhoras dos sintomas da menopausa como sufoco e transtornos do sono.

Leia mais: 6 exercícios caseiros para melhorar a saúde

2. Dieta saudável

Uma dieta rica em verduras, proteínas e gorduras saudáveis é essencial para as mulheres que se aproximam da menopausa.

Além disso, os alimentos que contêm fitoestrogênios presentes na natureza, como as lignanas na linhaça ou as isoflavonas em grãos integrais e feijões, também podem ajudar a proporcionar algum alívio dos sintomas; ao atuar como uma forma fraca de estrogênio no corpo da mulher.

Deve-se limitar ou evitar os alimentos e bebidas que contenham açúcar, cafeína e álcool, já que podem exacerbar os sintomas ou desencadear os sufocos.

3. Acupuntura

As mulheres que receberam acupuntura tradicional chinesa sofriam sufocos menos severos e menos mudanças de humor que as mulheres que receberam um tratamento placebo.

Estudos recentes também descobriram que a acupuntura funciona tão bem quanto o medicamento Effexor, que com frequência é utilizado para tratar os sufocos e outros sintomas da menopausa.

Além disso, a acupuntura não causa efeitos secundários negativos (enquanto que o Effexor pode causar náuseas, fadiga, ansiedade, entre outros); no entanto, seus efeitos incluíram um aumento de energia, impulso sexual e a sensação de bem-estar que se prolongou durante 15 semanas.

Saiba mais: Acupuntura: quais os benefícios para a saúde?

4. Alivio do estresse

O estresse emocional pode causar estragos no equilíbrio hormonal em qualquer etapa da vida, enquanto que faz com que os sintomas como a insônia, a ansiedade e a depressão piorem.

É por isso que é importante seguir qualquer estratégia que ajude a reduzir o estresse. O exercício, o yoga e a acupuntura, junto com a respiração profunda, a meditação ou inclusive, relaxamento com um bom livro; todos podem ajudar a reduzir o estresse.

5. Remédios naturais

Um número de ervas vem sendo exploradas como possíveis tratamentos para os sintomas da menopausa. Entre as mais promissoras estão:

Cohosh negro

A pesquisa preliminar sugere que o cohosh negro pode ter certa atividade estrogênica no corpo; ainda que estudos posteriores tenham contradito esta versão.

No entanto, a evidência atual sugere que o cohosh negro possa ser uma alternativa segura aos hormônios sintéticos para melhorar as mudanças leves de humor, sufocos incômodos.

Os estudos clínicos na Europa descobriram que o cohosh negro pode proporcionar alívio sintomático dos calores da menopausa, transpirações noturnas, insônia, nervosismo e irritabilidade.

Ginkgo Biloba

Os estudos clínicos demonstraram que o ginkgo biloba apoia o estado de alerta mental.

Dong quai

Comumente conhecido como o “ginseng feminino”, o dong quai pode ser um grande apoio para o tratamento contra os sufocos.

Extrato de folha de sálvia

Pode ajudar a reduzir a transpiração noturna devido aos sufocos da menopausa.

  • Jales, W. (2009). Os Benefícios dos Exercícios Físicos No Climatério e Menopausa. Motriz2, S1-S456.
  • Rasia, J., Berlezi, E. M., Bigolin, S. E., & Schneider, R. H. (2007). A relação do sobrepeso e obesidade com desconfortos musculoesqueléticos de mulheres pós-menopausa. Revista Brasileira de Ciências do Envelhecimento Humano4(1).
  • Corrêa, K. M., Bittencourt, L. R. A., Tufik, S., & Hachul, H. (2014). Frequência dos distúrbios de sono em mulheres na pós-menopausa com sobrepeso/obesidade. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia.
  • Viñas, P., & de Felippe Junior, J. Plantas com efeito na menopausa.