Medo do fracasso ou atiquifobia: causas e como superá-lo

O medo do fracasso ou atiquifobia é paralisante. Por causa dele, a pessoa deixa de iniciar projetos por medo de errar. Como superar isso?
Medo do fracasso ou atiquifobia: causas e como superá-lo

Última atualização: 06 Outubro, 2021

O fracasso é uma parte natural da vida das pessoas. Em maior ou menor grau, todos nós cometemos certos erros ao longo dos nossos estágios evolutivos. Embora o ideal seja ter a capacidade de enfrentá-los e aprender com eles, há quem tenha medo do fracasso, também conhecido como atiquifobia.

O que isso significa? Em geral, todas as fobias envolvem um medo irracional; neste caso, o foco do medo é cometer erros. Na maioria das vezes, isso tem a ver com estilos parentais. Ou seja, crianças que crescem em ambientes hostis e que desenvolvem uma rejeição exagerada ao fracasso. No entanto, é importante aprender a canalizar este medo.

Muitas pessoas não enfrentam esses medos e vivem limitadas pela angústia que eles provocam. Portanto, é conveniente saber por que esse quadro se desenvolve e como lidar com ele para que não afete a qualidade de vida. Aqui estão algumas recomendações.

O que exatamente é a atiquifobia?

O medo do fracasso ou atiquifobia é uma fobia específica que faz com que as pessoas experimentem um medo paralisante diante da ideia do fracasso. Pode ocorrer em qualquer área da vida e afetar o bem-estar geral.

Se alguém não consegue enfrentar a ideia do fracasso em sua vida, tem limitações para iniciar qualquer projeto. Na verdade, muitas vezes você opta por não fazer algo pelo qual é apaixonado para evitar a possibilidade de falhar.

Embora não querer errar seja normal, sofrer excessivamente é patológico e é classificado como fobia. Em outras palavras, é normal querer evitar o fracasso, mas sem fugir dessa possibilidade. O ideal é fazer as pazes com as derrotas e aprender a sair mais forte delas.

Lidar com o medo
O medo do fracasso se torna um impedimento para iniciar novos projetos. Ele é paralisante e pode afetar a qualidade de vida.

Como o medo do fracasso se manifesta?

Assim como o resto das fobias específicas, a atiquifobia se manifesta com sintomas psicológicos e físicos. O pensamento por trás do medo do fracasso é de que não existirão outras oportunidades. Ou seja, as pessoas presumem que, depois de cometer um erro, não terão novos começos.

A ideia de perder oportunidades para sempre é desagradável e produz um intenso desconforto. Entre os sinais físicos que se manifestam encontram-se cefaleias, sudorese excessiva, dores de estômago e tremores.

Quanto às expressões de desconforto psicológico, destaca-se a irritabilidade. A razão para isso é que as pessoas precisam de uma maneira de expressar a sua frustração. Portanto, quando alguém perde uma oportunidade, está predisposto a um comportamento hostil.

O que causa o medo do fracasso ou atiquifobia?

O medo do fracasso geralmente começa na infância devido a estilos parentais inadequados. Quando os pais educam seus filhos de forma excessivamente rígida, isso lhes causa um estado de angústia que pode durar vários anos.

A personalidade é amplamente formada por meio das experiências de vida. Portanto, se uma pessoa aprendeu a funcionar a partir das demandas dos outros, ela acaba se acostumando com o sentimento de medo; medo de não corresponder às expectativas dos outros.

Consequências da fobia de fracasso

Entre as consequências da atiquifobia estão o estresse, a ansiedade e a insatisfação com a vida. Em casos extremos, pode ocorrer depressão. Nesse sentido, todas essas consequências fazem com que os pacientes prefiram se isolar.

Se conhecemos pessoas exigentes que preferem ficar sozinhas, temos motivos para pensar que seja um caso de medo do fracasso. Às vezes é difícil oferecer apoio porque as pessoas não querem lidar com o problema.

Como superar o medo do fracasso ou da atiquifobia?

Para deixar de lado a angústia do fracasso, é necessário mudar nossa percepção dos erros. Isso significa reestruturar nosso sistema de crenças para ser mais adaptativo. Se pudermos entender o fracasso como uma parte natural de um processo, paramos de temê-lo.

A recomendação é começar a correr riscos controlados. Dessa forma, as pessoas aprendem a assumir riscos sem eliminar completamente o cenário de falha. Um risco controlado é quando avaliamos os cenários possíveis. Sabemos que temos boas chances de sucesso, mas o fracasso é possível.

Um bom exemplo pode ser um investimento financeiro. O ideal é avaliar o risco para não perder dinheiro; no entanto, sabemos que o risco existe e não o deixamos nos paralisar. O pensamento adaptativo seria depois de avaliar os possíveis riscos, decidi fazer este investimento.”

Como superar o medo do fracasso?
Assumir riscos controlados é uma estratégia útil para começar a superar o medo do fracasso. Porém, às vezes é necessário recorrer à terapia.

Quando é necessário buscar ajuda profissional?

Para alguns, não é tão fácil assumir riscos controlados. Há quem não consiga sair da zona de conforto. A ajuda profissional fornece os recursos necessários para que os pacientes possam se expor gradativamente aos riscos.

Os terapeutas são capazes de fazer com que as pessoas encontrem as melhores respostas para si mesmas. Uma vez que o paciente reconhece a irracionalidade do seu medo, ele está no caminho certo para superar a atiquifobia.

A importância de fazer as pazes com o medo

Considerando que não podemos escapar do medo, é melhor fazer as pazes com ele. Sentir-se confortável em situações em que podemos falhar nos ajuda a relaxar. Os erros não são uma sentença para nossas vidas, mas servem como professores para melhorarmos para o futuro.

Pode interessar a você...
10 pessoas de sucesso que não se deixaram afundar pelo fracasso
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
10 pessoas de sucesso que não se deixaram afundar pelo fracasso

Frequentemente o fracasso faz com que percamos força para continuar. Porém, o certo é que as realizações só se conseguem com perseverança.



  • Sagar SS, Stoeber J. Perfectionism, fear of failure, and affective responses to success and failure: the central role of fear of experiencing shame and embarrassment. J Sport Exerc Psychol. 2009 Oct;31(5):602-27. doi: 10.1123/jsep.31.5.602. PMID: 20016111.
  • Amores Hernández, A. (2017). Perfeccionismo, miedo al fracaso y síntomas depresivos.
  • Gómez-Araujo, E., Lafuente, E., Vaillant, Y., & Núñez, L. M. G. (2015). El impacto diferenciado de la autoconfianza, los modelos de referencia y el miedo al fracaso sobre los jóvenes emprendedores. Innovar: Revista de ciencias administrativas y sociales, 157-174.
  • Lahey, J. (2017). regalo del fracaso: Aprender a ceder el control sobre tus hi. HarperCollins Español.