Isto é o que acontece com a pele durante a gravidez

A maioria das alterações que ocorrem na pele durante a gravidez são temporárias. Isso significa que elas estão presentes apenas até o momento do parto. No entanto, é importante aplicar alguns cuidados básicos.
Isto é o que acontece com a pele durante a gravidez

Última atualização: 15 abril, 2022

Há muitas mudanças na pele durante a gravidez, pois nesse estado são produzidas grandes modificações internas e externas. Existem transformações químicas no corpo e a pele deve ceder e esticar para acomodar o feto em crescimento.

A gravidez leva a uma série de alterações no metabolismo, no sistema endócrino, nos vasos sanguíneos e no sistema imunológico. Tudo isso junto tem um impacto na pele durante a gravidez, já que esse órgão é muito suscetível.

No entanto, os efeitos não podem ser generalizados. Embora existam certos padrões comuns a muitas mulheres, também existem outros em que as transformações são quase imperceptíveis.

Principais alterações na pele durante a gravidez

A maioria das mulheres experimenta mudanças na pele, cabelos e unhas durante a gravidez. Elas são particularmente visíveis durante o segundo trimestre e não significam que algo está errado.

Pele brilhante

Esta é uma das alterações mais comuns em mulheres grávidas. Pode aparecer a qualquer momento, mas ocorre com mais frequência durante o segundo trimestre. Desaparece espontaneamente após o parto.

A pele pode parecer mais radiante, mas também pode parecer mais oleosa. Isso é devido a dois fatores. Por um lado, o fluxo sanguíneo aumenta em até 50% e isso aumenta a oxigenação das células da pele.

Por outro lado, as alterações hormonais causam um aumento na produção de gordura das glândulas sebáceas. Ambos os fatores combinados fazem com que a pele fique com aquele aspecto brilhante.

Pele radiante durante a gravidez.
A pele radiante da gravidez responde às alterações hormonais que aumentam a produção de sebo.

Manchas na pele

Alterações nos hormônios também levam ao aumento da produção de melanina, a substância que dá cor à pele. Isso gera manchas marrons que podem ser de dois tipos:

  • Máscara gravídica: É assim chamada porque manchas marrons aparecem nas bochechas, nariz e testa. Geralmente elas desaparecem no final da gravidez, mas o sol pode piorá-las. O nome técnico é cloasma.
  • Linha Nigra: Esta é uma linha escura que liga o umbigo à virilha e geralmente desaparece algumas semanas após o parto.

Estrias gravídicas

As estrias gravídicas são causadas pelo estiramento da pele durante a gravidez. São listras que aparecem devido a mudanças de peso. Os mais comuns são os do abdômen, mas também existem nos seios, quadris e nádegas.

O normal é que sejam vermelhas, mas podem variar para marrom ou até roxo. Essas marcas aparecem e se acentuam à medida que o bebê cresce, enquanto aumentam em algumas áreas do corpo da mãe. Após o parto, elas desaparecem gradualmente.

Acne e erupção cutânea

A acne é mais comum em mulheres que costumavam ter uma erupção no rosto antes da menstruação. É devido ao aumento da produção das glândulas sebáceas. Curiosamente, algumas mulheres que sofrem de acne antes da gravidez tendem a ser menos afetadas por esse problema durante a gravidez.

Algumas erupções cutâneas também aparecem como resultado do calor e do suor que são mais intensos durante a gravidez. Às vezes, a coceira aparece no abdômen durante os últimos meses de gravidez e pode se espalhar para outras áreas do corpo. No entanto, não é perigoso.

Outros problemas de pele durante a gravidez

Outros problemas de pele durante a gravidez podem ser os seguintes:

  • Aranhas vasculares: aparecem em diferentes áreas do corpo, incluindo o rosto. Geralmente desaparecem no final da gravidez.
  • Eritema palmar: é um sintoma derivado da concentração de estrogênios e pode causar coceira. Também pode aparecer nos pés.
  • Acrocordões: Algumas mulheres têm estes papilomas, que podem ser da cor da pele ou ligeiramente mais escuros. Eles também desaparecem no final da gravidez.

Por que essas mudanças ocorrem?

Estrias de gravidez.
As estrias na região do abdômen são devidas ao estiramento da pele que rompe as fibras de colágeno.

Como já mencionado, várias das mudanças na pele durante a gravidez são o efeito da transformação bioquímica e funcional que ocorre no corpo para tornar a gravidez possível. Em termos gerais, as causas são as seguintes:

  • Alterações hormonais: Estrogênio, progesterona e gonadotrofina coriônica humana são produzidos em maiores quantidades. Isso aumenta o brilho da pele e às vezes faz com que pareça mais vermelha.
  • Aumento do fluxo sanguíneo: há maior produção de sangue para garantir o desenvolvimento do bebê. Isso causa vermelhidão e vasinhos.
  • Estimulação das glândulas sebáceas: alterações hormonais e aumento do fluxo sanguíneo contribuem para que o corpo produza mais sebo.
  • Estiramento da pele: leva a pequenas rupturas nas fibras da pele e assim aparecem as estrias.
  • Calor e suor: durante a gravidez, a temperatura corporal aumenta e com ela o suor. Às vezes, isso causa erupções cutâneas.

A pele muda, assim como todo o corpo, durante a gravidez.

Embora quase todas as alterações da pele durante a gravidez se resolvam sozinhas no final do processo, é importante cuidar dela. A melhor maneira de fazer isso é bebendo bastante água e usando um produto para hidratar a derme.

O dermatologista também pode indicar um creme com vitaminas, algas vermelhas ou componentes similares. O uso de protetor solar não deve ser omitido. A atividade física regular, conforme indicado pelo seu médico, também é uma boa maneira de prevenir alguns problemas de pele.

Pode interessar a você...
Qualquer quantidade de álcool durante a gravidez pode prejudicar o bebê, diz estudo
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Qualquer quantidade de álcool durante a gravidez pode prejudicar o bebê, diz estudo

O consumo de álcool durante a gravidez traz sérios perigos, pois pode causar anormalidades no bebê.



  • Hernández, J. Á. G., García, M. H., López, M. Á. T., Norris, D. I. I., & González, D. M. (2012). El uso de productos no específicos es insuficiente para prevenir la aparición de las estrías gravídicas: Evaluación del impacto en la calidad de vida tras la utilización de productos antiestrías durante el embarazo. Piel, 27(9), 484-491.
  • Estrella, V., et al. “Piel y embarazo.” Rev Argent Dermatol 87.4 (2006).
  • Picardo, Mauro, and Manuela Carrera. “New and experimental treatments of cloasma and other hypermelanoses.” Dermatologic clinics 25.3 (2007): 353-362.
  • Ruiz, Angélica Leonor Berrón. “Cambios fisiológicos de la piel durante el embarazo.” Revista del Centro Dermatológico Pascua 16.2 (2007): 64-71.
  • Carreras, M. “Protección solar de la embarazada, del bebé y del niño.” Matronas Prof 6.1 (2005): 19-21.
  • Ruiz, A. L. B. (2007). Cambios fisiológicos de la piel durante el embarazo. Revista del Centro Dermatológico Pascua, 16(2), 64-71.