Hipocalemia: o que é e quais são seus sintomas?

A hipocalemia é uma patologia caracterizada pela falta de potássio suficiente no sangue. Manifesta-se com sintomas como fadiga, fraqueza muscular e até arritmias cardíacas.
Hipocalemia: o que é e quais são seus sintomas?

Última atualização: 11 maio, 2022

A hipocalemia é um distúrbio no equilíbrio hidroeletrolítico (de minerais presentes no sangue) que se caracteriza por uma diminuição dos níveis de íons potássio no plasma.

Segundo a Sociedade Espanhola de Nefrologia, tanto a hiper como a hipocalemia causam alterações na polarização das membranas celulares e um de seus efeitos mais graves pode ser o comprometimento do sistema cardiovascular. Por isso, apesar de ser uma patologia comum na prática clínica, conhecer todas as informações é essencial.

A importância do potássio

Dentro do corpo humano, o íon potássio é responsável por manter o equilíbrio normal de água e fluidos entre as células e o entorno. De acordo com a revista OXFORD Advances in Nutrition, este eletrólito também está envolvido na contração muscular e sua regulação no nível nervoso.

Para a Sociedade Espanhola de Nefrologia, a concentração de potássio no sangue depende de sua ingestão, eliminação e distribuição entre as células. Os requisitos mínimos de potássio na dieta são de 1.600 a 2.000 miligramas por dia, mas a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda uma ingestão de 3.500 miligramas por dia. Legumes e frutas, por exemplo, são alimentos ricos nesse elemento químico.

Finalmente, é necessário comentar que 90% do potássio ingerido é excretado pelos rins. Portanto, não é surpreendente que condições como hipocalemia estejam frequentemente ligadas a problemas renais.

Arritmias cardíacas por hipocalemia.
As arritmias são complicações da falta de potássio no plasma.

Quais são as causas da hipocalemia?

Considera-se que um paciente tem hipocalemia quando a concentração desse eletrólito no sangue é inferior a 3,5 mEq/l (miliequivalentes por litro de plasma, ou seja, sua concentração iônica). O quadro clínico pode variar de acordo com o nível.

De acordo com o portal MSDmanuals e outras fontes já citadas, a hipocalemia tem várias causas. Apresentamos algumas delas a seguir:

  • Baixa ingestão: raramente esta é a origem, pois muitos alimentos contêm quantidades suficientes de potássio para não baixar os níveis plasmáticos. Em geral, ocorre em pacientes com anorexia e desnutrição.
  • Aumento da entrada de potássio nas células: se as células absorvem mais potássio do que deveriam, sua concentração no sangue diminui. Patologias como alcalose, envenenamento ou doenças hereditárias (paralisia hipocalêmica periódica ) podem promover esse estado.
  • Perdas renais: problemas das glândulas adrenais, como hiperaldosteronismo, estão ligados a essa patologia. Insuficiência renal aguda, certos medicamentos ou síndromes raras (síndrome de Cushing ) também promovem a perda renal de potássio.
  • Deficiências do aparelho digestivo: devido a vómitos, diarreia, fístulas ou adenomas gástricos.
  • Perda pela pele: devido a exercícios com transpiração excessiva, lesões ou queimaduras.

Como podemos ver, existem múltiplas causas que podem explicar a hipocalemia. Destacam-se as perdas renais, uma vez que estas se devem, em muitos casos, à administração de diuréticos. Antes do tratamento com esses medicamentos, é necessário estar vigilante.

Sintomas de hipocalemia

De acordo com o  Jornal Clínico de Medicina Familiar, a hipocalemia pode se manifestar de várias maneiras. Estes são alguns dos sintomas mais comuns:

  • Neuromusculares: fraqueza, fadiga geral, paralisia, parada respiratória se os músculos respiratórios forem afetados e até atrofia progressiva dos músculos do corpo.
  • Cardíaco: anormalidades no eletrocardiograma normal. Podem ocorrer arritmias fatais.
  • Renal: a hipocalemia pode se manifestar com maior dificuldade por parte do paciente para concentrar a urina. Isso pode ser acompanhado por necessidades urgentes de beber líquidos (polidipsia).
  • Do sistema nervoso central: letargia, irritabilidade, psicose e favorecendo o aparecimento de encefalopatia hepática devido à presença de compostos tóxicos no cérebro.
  • Metabólico: alcalose e intolerância aos carboidratos.

Como vimos, estamos diante de um quadro clínico de considerável gravidade. A longo prazo, a hipocalemia causa danos nos rins, retardo de crescimento e até problemas cardíacos.

Como é feito o diagnóstico?

Tais manifestações clínicas óbvias nos permitem suspeitar de hipocalemia. Um eletrocardiograma será realizado no paciente para observar seu ritmo cardíaco, bem como uma série de perguntas pessoais para esclarecer o motivo subjacente.

Ainda assim, a hipocalemia é confirmada pela medição dos níveis plasmáticos de íons potássio. O trabalho mais difícil é descobrir por que isso aconteceu. Vários testes podem ser realizados no paciente para elucidar o motivo inicial da patologia.

Qual é o seu tratamento?

O tratamento irá variar de acordo com o quadro clínico do paciente:

  • Para hipocalemia leve, basta incluir alimentos ricos em potássio na dieta, como laranja, banana ou tomate.
  • Em casos moderados, deve-se prescrever a ingestão de potássio em cápsulas durante as refeições.
  • Na hipocalemia grave, isso não é suficiente. A administração intravenosa de KCl (cloreto de potássio) pode ser necessária em um ambiente hospitalar de emergência.

Novamente, esses tratamentos estão focados no aumento dos níveis de potássio no sangue. Ainda assim, para resolver a raiz do problema, você deve tratar a doença subjacente que causou a hipocalemia em primeiro lugar.

Alimentos com potássio.
Uma dieta variada e normal contém potássio suficiente para prevenir a hipocalemia.

Uma condição rara

A recomendação mais valiosa nesse caso é que não é necessário se preocupar com patologias como essa. Em uma pessoa saudável, os níveis de potássio se regulam com base em uma dieta variada, portanto, você não deve ficar obcecado com sua ingestão.

De qualquer forma, em pacientes com diarreia e vômito devido a infecções, a hipocalemia é mais uma complicação da doença. Em outros casos, pode vir de patologias mais graves, como doença renal e desequilíbrios hormonais.

This might interest you...
6 alimentos com mais potássio do que a banana
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
6 alimentos com mais potássio do que a banana

Existem alimentos que contêm mais potássio do que a banana, então nem sempre será necessário optar por ela. Conheça aqui os principais!