Furosemida: usos e efeitos colaterais

07 Dezembro, 2019
A furosemida exerce seu efeito no nível da alça de Henle, alterando o transporte de substâncias. Quando esse intercâmbio é alterado, aumenta o volume de urina, pois a excreção de água e eletrólitos é estimulada. 
 

A furosemida pertence à família dos diuréticos da alça. É um medicamento com efeito diurético de máxima eficácia.

Os medicamentos dessa família são capazes de modificar o transporte de substâncias no néfron, unidade anatômica e fisiológica dos rins.

A furosemida é um medicamento que pode ser prescrito como monoterapia, ou em combinação com outros medicamentos para o tratamento da pressão alta. No entanto, também tem outras indicações, como o tratamento de edema causado por doenças do fígado ou do coração, por exemplo.

Antes de conhecer outros aspectos deste medicamento é essencial entender melhor como nossos rins funcionam.

O que os rins fazem em nosso organismo? 

Os rins são os principais órgãos do sistema urinário. São responsáveis pela excreção de resíduos através da formação de urina, e manutenção do equilíbrio do ambiente interno do organismo, isto é, a homeostase.

Sua unidade anatômica e fisiológica é o néfron, como vimos. Esta consiste em 4 partes:

  • Túbulo contornado proximal.
  • Alça de Henle.
  • Túbulo contornado distal.
  • Túbulo coletor.

No momento da síntese da urina, que é sua principal função, o sangue atinge o túbulo contornado proximal através do glomérulo. Neste tubo há uma troca de substâncias, algumas são reabsorvidas e outras são secretadas, como a maioria dos medicamentos eliminados na urina.

 

Depois, o sangue e o líquido residual continuam passando pelas outras estruturas do néfron, fazendo trocas de substâncias, até que finalmente a urina seja formada com os resíduos e eletrólitos que vão ser eliminados.

Esta urina finalmente chega aos ureteres e a partir destes passa para a bexiga. Este órgão, quando atinge um certo nível de enchimento, envia um sinal ao cérebro, o que nos leva a urinar.

Conhecendo o conceito básico da hipertensão 

A hipertensão arterial é uma doença caracterizada por um aumento contínuo dos níveis de pressão arterial. Costuma-se dizer que uma pessoa sofre de hipertensão arterial quando a pressão arterial sistólica é igual ou superior a 140 mm Hg, e a pressão arterial diastólica está acima de 90 mm Hg.

No entanto, muitas pessoas não entendem bem o conceito de pressão arterial, por isso é importante explicá-lo. O coração exerce pressão sobre as artérias, para que elas direcionem o sangue na direção dos diferentes órgãos do organismo. Os valores mais altos da pressão arterial correspondem às contrações do coração. Por outro lado, os mais baixos acontecem quando este órgão relaxa.

Atualmente, a hipertensão arterial é considerada um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, que são a principal causa de morte nos países desenvolvidos. Algumas dessas doenças são:

  • Doenças isquêmicas
  • Também, insuficiência cardíaca.
  • Ademais, doenças renais e cerebrais.

Você também pode estar interessado em ler: 7 sintomas que você experimenta quando seus rins começam a falhar

 

Como a furosemida exerce seu efeito no organismo? 

A furosemida exerce seu efeito no nível do alça de Henle, alterando o transporte de substâncias. Quando essa troca é alterada, o volume de urina aumenta, uma vez que a excreção de água e de eletrólitos é estimulada. Tudo isso causa uma diminuição no volume de líquidos extracelulares.

Para alcançar esse resultado, a furosemida é capaz de inibir uma estrutura que atua como transportadora de sódio, potássio, cloreto e, em menor grau, cálcio e magnésio. Dessa forma, evita que esses eletrólitos sejam reabsorvidos, causando a liberação de mais água.

Os efeitos da furosemida são rápidos e de curta duração. Ao remover mais água, reduz o volume desta no organismo, devendo-se a esse fenômeno seus efeitos no tratamento da hipertensão.

Efeitos colaterais da furosemida 

Certamente, o tratamento com furosemida não está isento de efeitos colaterais, como é o caso de todos os medicamentos vendidos. Por exemplo, as reações adversas mais frequentes estão relacionadas aos seus efeitos diuréticos. Assim então, entre essas reações, podemos citar:

  • Hipocalemia: quando as doses são altas, os níveis de potássio no sangue podem ser bastante reduzidos, e as arritmias podem ser desencadeadas.
 
  • Problemas de ouvido
  • Hiponatremia: baixos níveis de sódio.
  • Hiperglicemia: os níveis de glicose se encontram elevados.

Leia também: A água de pepino: uma bebida desintoxicante e diurética que ajuda a emagrecer

Conclusão 

Em conclusão, a furosemida é um medicamento diurético indicado principalmente para o tratamento da hipertensão. Em primeiro lugar, lembre-se de consultar o seu médico se tiver alguma dúvida sobre a furosemida, a fim de evitar complicações. Além disso, você também deve informar se está tomando outro medicamento, pois os efeitos podem ser alterados.

 

 

  • Vademecum. (1964). SEGURIL.
  • Valdivieso D., A. (2018). Diurético del Asa Furosemida y Acido Etacrinico. ARS MEDICA Revista de Ciencias Médicas. https://doi.org/10.11565/arsmed.v0i1.1294
  • Martínez-Rodríguez, R. H., García Lorenzo, J., Bellido Peti, J., Palou Redorta, J., Gómez Ruiz, J. J., & Villavicencio Mavrich, H. (2007). Diuréticos del asa y ototoxicidad. Actas Urologicas Espanolas.