Exercícios para a bursite do quadril

Existem exercícios que são convenientes para aliviar a dor causada pela bursite do quadril. O fisioterapeuta poderá indicar quais são os mais adequados para cada caso.
Exercícios para a bursite do quadril

Última atualização: 18 Janeiro, 2021

Há uma série de exercícios que podemos fazer para aliviar a dor e o desconforto da bursite do quadril. Trata-se de uma doença caracterizada pela inflamação da bursa, uma bolsa gelatinosa que visa proteger músculos, tendões e ossos uns dos outros.

Neste caso em particular, o problema está no saco entre o fêmur e os ossos da pelve. Seu funcionamento é o mesmo que o de uma almofada que reduz o atrito.

A bursite do quadril é uma condição que deixa os portadores desconfortáveis e que incomoda, causando uma dor intensa e latejante. São as mulheres que a apresentam com mais frequência, e isso está associado ao envelhecimento e à osteoporose, bem como outras morbidades, como artrite e osteoartrite.

Tipos de bursite

A bursite do quadril não é a única forma de bursite que você pode ter. Essa condição também afeta os joelhos, ombros, pulsos e cotovelos. A de quadril acontece porque o músculo tensor da fáscia lata (localizada na face interna da perna) roça no trocanter (osso saliente da cabeça do fêmur).

Também conhecida como trocanterite ou bursite trocantérica, suas formas clínicas de apresentação são duas. Uma delas é causada por algum trauma que a área sofreu, e a outra é causada pelo uso excessivo ou inadequado dos músculos do quadril.

É importante determinar, através de um bom exame físico feito pelo médico, qual desses tipos de doença está presente. O diagnóstico preciso é relevante para encontrar a solução para essa doença para evitar que ela se torne crônica. Uma vez que a articulação entrou no processo de persistência dos sintomas, torna-se muito difícil voltar a recuperar a funcionalidade original e natural.

Dor no quadril
A bursite do quadril pode ocorrer pelo uso excessivo da articulação ou por traumas na região.

Exercícios para a bursite do quadril

O descanso é a medida inicial para reduzir ou eliminar a dor causada pela bursite do quadril antes de iniciar os exercícios. Se a dor for intensa, significa que a trocanterite está em sua fase aguda e é melhor permitir que o quadril descanse. Para fazer isso, você pode recorrer a uma almofada de descanso, anatômica e com memória.

Uma vez que a fase aguda acabe, é indicada a realização de rotinas de exercício com o objetivo de aliviar completamente a dor causada pela bursite do quadril. Para uma prática segura, recomenda-se:

  • Realizar os movimentos suave e lentamente.
  • Respirar normalmente, inspirando e expirando para não tensionar. É necessário parar se a dor se tornar aguda.
  • Antes de iniciar a rotina de exercícios para a bursite do quadril, um aquecimento deve ser realizado.

Agora, o que se segue a isso é a realização de alongamentos em pé. Uma possibilidade é atravessar uma perna atrás da outra e inclinar o corpo para o lado não afetado. Ou, deite-se de costas descansando no chão ou tapete e estique a banda iliotibial ou os quadris o mais longe possível.

Mais exercícios

Outra possibilidade é esticar, sempre deitado, o rotor do quadril, que é um músculo da área externa que permite mover a coxa para longe do centro do corpo. É importante tomar cuidado para não forçar muito o movimento para não aguçar qualquer lesão que possa estar em segundo plano.

Alguns dos exercícios que fortalecem a área também envolvem levantar as pernas retas, deitar de lado, e fazer abdução de quadril ou levantamento da face interna da coxa. É essencial regular o número de séries para estabelecer pausas entre elas, para que as partes macias da articulação relaxem.

Fisioterapia para o quadril
Você pode, primeiramente, consultar um fisioterapeuta para ter as indicações dos exercícios a serem realizados em sua casa.

Você também pode estar interessado: Alongamento ou fortalecimento muscular?

Medidas complementares aos exercícios para a bursite do quadril

É o fisioterapeuta que deve indicar quais exercícios são mais adequados para cada caso. A fisioterapia manual é combinada com o uso de anti-inflamatórios e até analgésicos. A cirurgia geralmente é a última opção, se o acima descrito não der resultados positivos.

Além disso, os exercícios para a bursite do quadril podem ser complementados com a aplicação de frio local na área para reduzir a dor, especialmente no estágio agudo. Se o seu médico recomendar a medicação injetável, ela é um pouco mais potente e pode ser útil quando o desconforto está prejudicando o seu dia a dia.

Recomenda-se considerar algumas rotinas ou hábitos para evitar o retorno da bursite do quadril. Alguns deles são os seguintes:

  • Evite sobrecarga na área.
  • Controle o excesso de peso do corpo.
  • Sente-se confortavelmente para não colocar muita pressão nos quadris.
  • Use calçados adequados e corrija más posturas.

Um tratamento eficaz, prático e barato

A prática rotineira de exercícios para a bursite do quadril é uma das medidas mais eficazes para controlar a doença. Isso previne a atrofia muscular e a sua progressão para a osteoartrite. É um método muito econômico, que não representa despesas associadas ao paciente, que pode ser feito no conforto do lar e que serve para evitar recaídas a longo prazo.

Pode interessar a você...
O que é bursite trocantérica?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
O que é bursite trocantérica?

A bursite trocantérica é uma inflamação e irritação da bursa do osso lateral do quadril. A bursa é um saco cheio de líquido que atua como uma almofada.



  • Pertegas, M. V., Navarro, R. S., & Sererols, X. C. (2017). Trocanteritis. Dolor: Investigación, clínica & terapéutica, 32(4), 141-151.
  • Rodríguez, M. A. M. (2010). El arte y la ciencia en la anamnesis. Medisur, 8(5), 28-32.
  • Kaplanek, B. A., Levine, B., & Jaffe, W. L. (2014). Pilates y rehabilitación: Para Síndromes y Artroplastias. Paidotribo.
  • González Duque, A., C. de José Reina, and J. Vaquero Martín. “Bursitis trocantérea.” Medifam 13.1 (2003): 43-48.
  • Merino, Maira Johanna Orozco, and Luis Lasca. “Bursitis Iliopectínea.” Revista de la Facultad de Ciencias Médicas de Córdoba 73.4 (2016): 306.
  • García, NM Puente, ML Fernández Gómez, and R. Insausti. “Bursitis trocantéreas.” FMC: Formación Médica Continuada en Atención Primaria 8.5 (2001): 351-355.
  • Morgado, I., et al. “Guía de manejo clínico de la artrosis de cadera y rodilla.” Revista de la Sociedad Española del Dolor 12.5 (2005): 289-302.
  • Jiménez, Christian Edgardo, et al. “Programas de educación en salud y entrenamiento de la fuerza en adultos mayores con artrosis de cadera leve a moderada.” Revista médica de Chile 142.4 (2014): 436-442.
  • González Castilla, Roberto, et al. “Bloqueo 3 en 1 para analgesia en pacientes con fractura de cadera.” Medisan 16.11 (2012): 1698-1706.