Excesso de cortisol: tudo que você precisa saber

25 Outubro, 2020
O cortisol é um hormônio importante em nosso corpo em situações estressantes. Ele nos dá a energia necessária para enfrentá-las. No entanto, o excesso de cortisol pode prejudicar o organismo.

Você sabe o que é o excesso de cortisol? Nossos ancestrais humanos usaram esse pico de hormônio para escapar do perigo selvagem, mas agora as funções e o papel do estresse mudaram.

O cortisol é um hormônio produzido e secretado por glândulas localizadas acima de cada rim, chamadas de glândulas adrenais ou suprarrenais. Quando o corpo precisa de mais energia para realizar certas tarefas em situações estressantes, o cérebro envia um sinal para essas glândulas, estimulando a liberação de cortisol.

Todos nós temos certos níveis de cortisol no sangue, que dependem das situações que enfrentamos. No entanto, o excesso de cortisol pode gerar problemas de saúde prejudiciais.

O que causa o aumento do cortisol no corpo?

O cortisol é o hormônio do estresse. Quando passamos por uma situação estressante, como um jejum prolongado ou a fuga diante de algum perigo, o nosso organismo secreta esse hormônio.

O cortisol é um hormônio hiperglicêmico, ou seja, ordena que o corpo produza e libere glicose. Uma vez no sangue, o açúcar pode ser usado pelos tecidos para a produção da energia de que precisam em situações de estresse.

O objetivo final do cortisol é dar mais energia ao corpo. Além disso, o cortisol tem um papel no equilíbrio de sais e água no organismo, bem como no controle da pressão arterial.

No cérebro, este hormônio regula o ciclo de sono-vigília, pois em uma situação estressante devemos permanecer alertas para agir rapidamente. Além disso, contribui para os processos de memória e concentração.

O estresse e o excesso de cortisol
O cortisol é o hormônio do estresse, e aumenta a sua concentração quando passamos por situações difíceis.

Você pode estar interessado: Problemas de pele causados por estresse

O que acontece se eu tiver um excesso de cortisol?

Se estivermos fazendo um jejum prolongado ou escapando de um animal que pode nos machucar, este não é um problema tão grave. No entanto, surgiram novos tipos de estresse, mais psicológicos e intensos, como o sofrido no trabalho ou na escola.

O cérebro não diferencia esses tipos de estresse e age da mesma forma para todos, ativando o cortisol. Porém, as ações que o cortisol favorecia antes para obter energia não são tão necessárias nesse tipo de estresse psicológico.

O cortisol adiciona glicose ao nosso sangue e mobiliza excessivamente gorduras e proteínas. Além disso, inibe a produção de insulina, que é o hormônio responsável pela entrada da glicose na célula.

A glicose sanguínea elevada e a resistência à insulina podem causar diabetes e doenças cardiovasculares. Por outro lado, as gorduras se depositam no abdômen, promovendo a obesidade.

Causas do excesso de cortisol, além do estresse

Não é apenas o estresse que produz um excesso de cortisol. Existem doenças que estimulam a glândula adrenal a liberar cortisol em excesso, como por exemplo:

  • Doença de Cushing: o cérebro é o responsável por dizer à glândula adrenal para liberar cortisol, às vezes devido à existência de um tumor cerebral.
  • Hiperfunção da glândula adrenal: a glândula adrenal funciona mais do que deveria, por estimulação externa ou por mecanismos celulares internos.
  • Síntese ectópica de ACTH: ACTH é o sinal para que o nosso cérebro ative a produção e liberação de cortisol nas glândulas suprarrenais. Certos tumores, como alguns cânceres de pulmão, podem sintetizar e secretar a substância.
  • Cushing iatrogênico: o aumento do cortisol pode ser devido ao uso crônico de corticosteroides farmacológicos.
Glândulas suprarrenais
As glândulas adrenais são a principal fonte produtiva de cortisol.

Leia também: O que é a doença de Addison?

O que devo fazer se tiver um excesso de cortisol?

O estresse do dia a dia faz com que tenhamos níveis de cortisol acima do normal, porém, se um nível patológico não for atingido, não há necessidade de tratamento. Nessas situações, é importante reduzir o estresse por meio de exercícios de relaxamento ou da prática de um esporte, para gastar a energia que o cortisol nos fornece.

Por outro lado, se você estiver tomando corticosteroides cronicamente, se for detectada diabetes, tiver osteoporose, ou sofrer de obesidade sem qualquer explicação, o motivo desses transtornos pode ser por excesso de cortisol.

É importante consultar um médico nessas situações, porque às vezes podemos corrigir facilmente esse excesso de cortisol. O profissional também terá o cuidado de rastrear diferentes fontes da substância em tumores ou órgãos que não estejam funcionando como deveriam. Para isso, vai pedir exames complementares.

  • Definición de cortisol – Diccionario de cáncer – National Cancer Institute. (n.d.). Retrieved May 17, 2020, from https://www.cancer.gov/espanol/publicaciones/diccionario/def/cortisol
  • Síndrome de Cushing – Trastornos hormonales y metabólicos – Manual MSD versión para público general. (n.d.). Retrieved May 17, 2020, from https://www.msdmanuals.com/es-es/hogar/trastornos-hormonales-y-metabólicos/trastornos-de-las-glándulas-suprarrenales/síndrome-de-cushing
  • Díaz Gutiérrez, Susana Patricia, et al. “Asociación entre el nivel de cortisol sérico y la mortalidad en pacientes postquirúrgicos con choque hipovolémico hemorrágico.” Medicina Crítica 32.1 (2018): 7-12.
  • Cortés Romero, Celso Enrique, et al. “Stress and cortisol: implications on food intake.” Revista Cubana de Investigaciones Biomédicas 37.3 (2018): 1-15.
  • Martínez, Julio Conchado, et al. “Estrés académico y valores de cortisol en estudiantes de medicina.” Revista Científica y Tecnológica UPSE 5.1 (2018): 77-82.