Erva mansa: benefícios e contraindicações

A erva mansa tem propriedades antimicrobianas, conforme revelaram alguns estudos. Descubra de que outras maneiras esta planta contribui para a saúde e conheça seus efeitos colaterais.
Erva mansa: benefícios e contraindicações

Última atualização: 10 Agosto, 2021

Nativa da América, especialmente do sudoeste dos Estados Unidos e norte do México, a Anemopsis californica é uma planta perene que pode ter até 80 centímetros de altura. Costuma ser mais conhecida por nomes como erva mansa e cauda de lagarto.

Em geral, ela é apreciada pelo seu potencial curativo, auxilia no tratamento de doenças respiratórias e problemas estomacais. No entanto, seu uso não é recomendado para todos. Descubra tudo que você precisa saber a seguir.

Composição e propriedades da erva mansa

De acordo com uma pesquisa publicada no Journal of the Science of Food and Agriculture e na Phytochemistry, a Anemopsis californica possui 38 compostos químicos, sendo o mais significativo a elemicina. Essa substância se destaca por ser anticolinérgica, ou seja, bloqueia os efeitos da acetilcolina no sistema nervoso.

Outros compostos químicos presentes na erva mansa incluem o seguinte:

  • Alfa-pineno.
  • Beta-phelandrene.
  • Piperitone.
  • Limoneno.
  • Sabineno.
  • Cimeno.
  • Timol
  • Eucaliptol
  • Metil-eugenol.

Da mesma forma, o estudo revelou que o óleo destilado a vapor da erva mansa contém propriedades antimicrobianas, que foram capazes de combater 3 das 11 espécies submetidas à investigação. Esses efeitos estão associados ao alfa-pineno.

Por sua vez, uma pesquisa publicada na Planta Medica também mostrou os efeitos antimicrobianos da erva mansa. No entanto, neste caso, eles foram atribuídos aos compostos sesamina e asarinina. A importância dessas descobertas é que muitas das bactérias que combatem esses compostos estão associadas ao aparecimento de infecções cutâneas, pulmonares e linfáticas.

Erva mansa
Conhecida na América do Norte, esta erva tem muitos usos anedóticos que ainda não foram comprovados pela ciência.

Benefícios da erva mansa

Durante anos, os nativos americanos do sudoeste dos Estados Unidos e do norte do México usaram a erva mansa para fazer preparações tópicas que são aplicadas para combater inflamações e infecções. Vamos ver em detalhes quais outros benefícios são atribuídos a esta planta:

  • Pode reduzir o crescimento de células malignas: um estudo publicado na Oncology Letters avaliou extratos de diferentes partes da Anemopsis californica para determinar se ela pode inibir o crescimento e a migração de células de câncer de cólon e mama. De fato, a pesquisa descobriu que a erva mansa tem propriedades anticancerígenas quando extraída em água e acetato de etila.
  • Pode ajudar a tratar doenças sexualmente transmissíveis: de acordo com pesquisas publicadas na Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine, a cauda de lagarto era um remédio popular para o tratamento de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Os Chumash, um povo ameríndio do centro e do sul da Califórnia, acreditavam que era uma cura para doenças genitais.
  • Outros usos anedóticos: esta erva tem sido usada para curar feridas, aliviar os sintomas de gripes e resfriados, reduzir a dor e a inflamação, bem como problemas pulmonares, circulatórios, digestivos e do trato urinário. Tudo isso de acordo com evidências anedóticas coletadas por diferentes pesquisadores em um estudo.

Contraindicações

Como outras plantas medicinais, a erva mansa deve ser consumida e usada com moderação. Além disso, recomenda-se fazê-lo após uma consulta com especialistas em remédios naturais.

Em geral, as seguintes são as situações em que a ingestão desta planta não é recomendada:

  • Se tiver infecções graves do trato urinário (rins, bexiga, uretra).
  • Você é uma mulher grávida ou amamentando.
  • Você está se preparando para dirigir ou realizar qualquer outra atividade que requeira atenção.
  • Você está tomando medicamentos prescritos.

Da mesma forma, dada a limitada pesquisa sobre esta planta e seus efeitos colaterais, ela não deve ser administrada ou aplicada em crianças. Não há dados suficientes para confirmar a sua segurança.

Infecção urinária
Caso você esteja passando por uma infecção urinária, é preferível não consumir esta erva.

Uma planta com a qual devemos ter cuidado

Apesar do fato de a medicina popular atribuir muitas propriedades a ela, poucos são os benefícios dessa erva que têm respaldo científico. Situação semelhante ocorre com suas doses e efeitos colaterais, para os quais não há evidências suficientes.

Nesse sentido, se você estiver interessado em ingerir ou aplicar a erva topicamente, é melhor consultar primeiro um especialista. O profissional será o mais indicado para orientar quanto aos usos seguros.

Pode interessar a você...
5 plantas medicinais contra a fadiga crônica
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
5 plantas medicinais contra a fadiga crônica

Se você sofre de fadiga crônica, é importante que você deixe de lado os maus hábitos de sua vida e comece a incluir alguns cuidados para restaurar ...



  • Medina, A. L., Lucero, M. E., Holguin, F. O., Estell, R. E., Posakony, J. J., Simon, J., & O’Connell, M. A. (2005). Composition and Antimicrobial Activity of Anemopsis californica leaf oil. Journal of agricultural and food chemistry, 53(22), 8694–8698. https://doi.org/10.1021/jf0511244
  • Medina-Holguín, A. L., Holguín, F. O., Micheletto, S., Goehle, S., Simon, J. A., & O’Connell, M. A. (2008). Chemotypic variation of essential oils in the medicinal plant, Anemopsis californica. Phytochemistry, 69(4), 919–927. https://doi.org/10.1016/j.phytochem.2007.11.006
  • Bussey, R. O., 3rd, Sy-Cordero, A. A., Figueroa, M., Carter, F. S., Falkinham, J. O., 3rd, Oberlies, N. H., & Cech, N. B. (2014). Antimycobacterial furofuran lignans from the roots of Anemopsis californica. Planta medica, 80(6), 498–501. https://doi.org/10.1055/s-0034-1368352
  • Kaminski, C. N., Ferrey, S. L., Lowrey, T., Guerra, L., VAN Slambrouck, S., & Steelant, W. F. (2010). In vitro anticancer activity of Anemopsis californica. Oncology letters, 1(4), 711–715. https://doi.org/10.3892/ol_00000124
  • Adams, J. D., Jr, & Garcia, C. (2006). Women’s health among the Chumash. Evidence-based complementary and alternative medicine : eCAM, 3(1), 125–131. https://doi.org/10.1093/ecam/nek021