Donepezila: indicações e advertências

9 de agosto de 2019
A Donepezila é relativamente bem tolerada. A maior parte dos efeitos adversos que produz são esperados e transitórios. No entanto, às vezes, também podem aparecer outros efeitos moderados ou severos.

A Donepezila é o segundo medicamento aprovado na Espanha para tratar a demência leve-moderada do Alzheimer. No momento, não tem demonstrado melhorar o comportamento, a capacidade funcional nem a qualidade de vida dos pacientes; tampouco freia a progressão da doença.

No entanto, este fármaco poderia apresentar vantagens frente a outros já comercializados, como a tacrina. Nesse sentido, a Donepezila tem uma posologia mais simples e tem um perfil de segurança melhorado, já que no momento não foram descritos casos de toxicidade hepática.

De todas as formas, há pouca evidência de que esses fármacos servem para tratar este quadro clínico, portanto é necessária a realização de um maior número de ensaios clínicos.

O que é a demência causada pelo Alzheimer?

Homem com Alzheimer

O mal de Alzheimer é a causa mais comum de demência, mas também existem outras. Além disso, esta doença costuma afetar as pessoas idosas.

No entanto, a demência faz referência a um grupo de sintomas que afetam a memória, a capacidade para pensar e as habilidades sociais, de modo que afeta significativamente a vida cotidiana do paciente.

Apesar do Alzheimer ser a causa mais comum da demênciahoje em dia ainda não se conhece a causa dessa terrível doença. Ainda sem conhecer o desencadeante, foram observadas placas e novelos neurofibrilares no cérebro de pessoas com Alzheimer:

  • As placas são uma aglomeração de uma proteína conhecia como “beta amiloide”.
  • Os novelos são um conjunto de uma proteína fibrosa chamada “tau”.

Os fatores genéticos também são importantes, assim como a idade, a síndrome de Down e o deterioramento cognitivo grave.

Por outro lado, com relação aos sintomas, pode-se mencionar, entre muitos outros:

  • Perda de memória.
  • Dificuldade para se comunicar, raciocinar, planejar ou coordenar.
  • Confusão e desorientação.
  • Depressão.
  • Ansiedade.
  • Paranoia.

Como a Donepezila exerce seu efeito no organismo?

Sinapse nas fases do Alzheimer

Como explicamos anteriormente, a demência se associa a uma perda de um tipo de neurônio.

Alguns fármacos, entre eles a Donepezila, conhecidos como inibidores da acetilcolinesterase, conseguem atrasar a degradação de uma substância química conhecida como acetilcolina.

Esta substância é liberada no espaço sináptico que há entre um neurônio e outro para que a neurotransmissão seja desencadeada. Caso não haja acetilcolina suficiente no cérebro, este não funcionará corretamente e o paciente sofrerá os sintomas associados a esta doença.

Dessa forma, a Donepezila consegue atrasar a degradação dessa substância aumentando os níveis de forma temporal.

Não é possível afirmar ainda que a demência possa ser curada. A única coisa que a ciência foi capaz de fazer até o momento é atrasar o deterioramento cognitivo, mas ainda não foi descoberta uma cura nem para demência senil nem para o Alzheimer.

Reações adversas da Donepezila

Este fármaco é relativamente bem tolerado. A maior parte dos efeitos adversos que produz são esperados e transitórios. No entanto, às vezes, também podem aparecer outros efeitos moderados ou severos.

Os efeitos adversos relacionados com as ações colinérgicas do fármaco constituem a causa mais provável da retirada do tratamento nas primeiras 12 semanas. Entre os eventos adversos mais frequentes pode-se encontrar:

  • Náuseas e vômitos.
  • Diarreias.
  • Cefaleias.
  • Insônia e parassonias.

Descubra ademais: Diferença entre demência senil e Alzheimer

Advertências e precauções sobre o uso de Donepezila

Imagem da Donepezila agindo no cérebro

Existem casos de pacientes que devem ter especial precaução com o uso desse fármaco. Entre essas pessoas encontram-se aquelas que tenham hipersensibilidade conhecida ao fármaco, a derivados da piperidina ou aos excipientes da formulação.

As mulheres grávidas ou em período de lactação não devem consumir este fármaco, porque ainda não existem resultados sobre os efeitos na gestação.

Por outro lado, as pessoas com alguma das seguintes doenças devem ter também muito cuidado com o consumo deste medicamento:

  • Relaxamento muscular por succinilcolina.
  • Transtornos do ritmo cardíaco.
  • Problemas gastrointestinais.
  • Transtornos de micção e obstrução urinária.
  • Glaucoma em ângulo fechado.
  • Asma ou DPOC. 

Leia também: 5 dicas para ajudar um paciente com Alzheimer

Conclusão

A Donepezila é um avanço na área da neurociência. Parece provocar uma melhora considerável no tratamento da demência causada pelo Alzheimer. No entanto, ainda fica muita coisa para ser pesquisada para seguir avançando e conseguir a cura definitiva dessa doença.

Recomenda-se que as pessoas que tenham que se submeter a este tratamento estejam acompanhadas para se assegurar que a dose e as pautas estabelecidas pelo médico sejam cumpridas. 

  • Villar Fernández, I. (2007). Utilización de fármacos específicos para la enfermedad de Alzheimer. Neurología: Publicación Oficial de La Sociedad Española de Neurología.
  • Custodio, N., Montesinos, R., Bendezú, L., Cortijo, P., Torres, H., & Escobar, J. (2017). Efectos de inhibidores de colinesterasa en pacientes con enfermedad asociada a cuerpos de Lewy. Anales de La Facultad de Medicina. https://doi.org/10.15381/anales.v69i3.1133
  • Azanza, J. R., S�daba, B., Quetglas, E. G., & Escolar, M. (1998). Donepezilo: una nueva opci�n en el tratamiento de la enfermedad de Alzheimer. Revista de Medicina de La Universidad de Navarra.