Dieta na ginástica rítmica: confira o plano alimentar

9 de março de 2019
Como em outros esportes, aqueles que praticam a ginástica rítmica precisam de uma alimentação muito bem regulada, que lhes permita aproveitar todas as capacidades de seu corpo.

Como em qualquer campo esportivo, os ginastas requerem de um treinamento físico adequado, além de uma dieta na ginástica rítmica além de ser saudável, lhes permita aproveitar ao máximo os treinamentos, prevenir lesões, e ampliar sua carreira esportiva.

Se você se apresenta como ginasta, ou este é um esporte que gostaria de praticar, aproveite essas informações já que apresentamos aqui as bases de uma dieta adequada às exigências da ginástica rítmica.

Requisitos físicos de um ginasta rítmico

Ginástica rítmica

Devido à confluência de diferentes habilidades e destreza na prática da ginástica rítmica, é necessário desenvolver diversas condições físicas, tais como:

  • Força
  • Flexibilidade
  • Coordenação
  • Agilidade
  • Equilíbrio
  • Precisão
  • Resistência cardiovascular

Devido à dinâmica de seu treinamento e desempenho, os ginastas devem fortalecer tanto os braços quanto as pernas, além de ajustar sua gordura corporal.

Gasto energético individual

Seu gasto de energia depende do seu treinamento. Ou seja, quanto tempo você gasta neste, assim como a intensidade do exercício. Por isso, temos que esclarecer que sua dieta deve ser individualizada. Única para você de acordo com suas necessidades.

Portanto, as recomendações que lhe damos são baseadas em princípios gerais, que você deve adaptar de acordo com o que seu corpo requer, por isso você deve contar com o aconselhamento nutricional de um especialista.

Você deveria ler: Os 7 alimentos que atuam como redutores de apetite quando você está com ansiedades

Necessidades energéticas

Primeiro, lembre-se de que os principais combustíveis físicos são os hidratos de carbono ou carboidratos, e por isso seu consumo é inevitável. Nesse sentido, você deve consumi-los em quantidades suficientes, bem distribuídos, e preferencialmente aqueles com um índice glicêmico mais baixo.

Alimentos base da dieta na ginástica rítmica

No entanto, o fato de os carboidratos serem um elemento vital da nutrição, não significa que seja o único grupo nutricional importante. As proteínas e gorduras também são necessárias. A relação entre esses três grupos alimentares deve ser de 40% para carboidratos, 30% para proteínas, e 30% para gorduras.

A dieta usada na ginástica rítmica

Além da necessidade de considerar o que você come, também é importante “quando” você come. O que você consome antes e depois de cada treino influenciará tanto o desempenho esportivo quanto a saúde em geral.

É recomendado que você se alimente duas ou três horas antes de começar seu treinamento, ou participar de uma competição. Você também deve se lembrar de cumprir um regime diário de três refeições principais, e dois ou três lanches entre as refeições.

Você estaria interessado em ler? Os piores alimentos que você pode comer e suas alternativas mais saudáveis

Regra do prato

Uma regra primordial é que você evite carboidratos simples, que são aqueles que vêm de açúcares e farinhas refinadas. Estes ativam a insulina, o armazenamento de gordura, e a inflamação. Com isso você aumenta o risco de sofrer uma lesão.

Por outro lado, você deve prestar muita atenção em como consome gorduras, porque elas podem gerar uma sensação de peso. Isso como resultado faz a digestão andar muito lentamente. Da mesma forma, alimentos com alto teor de fibras podem causar gases, ou desconforto gastrointestinal.

Por fim, tente adquirir o hábito de se hidratar, mesmo que não sinta sede. A este respeito, você deve ter em mente que o ambiente em que você se encontra exigirá mais ou menos água. Na medida em que houver mais calor e umidade, mais água será necessária.

Alimentos base

A dieta usada na ginástica rítmica inclui sementes

Abaixo, mostraremos uma lista dos alimentos que devem ser a base de sua dieta para a ginástica rítmica:

  • Frutas e legumes em abundância.
  • Carboidratos complexos, grãos e cereais integrais.
  • Produtos lácteos, de preferência desnatados.
  • Proteínas magras, tanto de origem animal como vegetal.
  • Gorduras boas, como azeite de oliva, nozes e abacate. Embora sejam “boas”, seu consumo não deve ser excessivo.
  • Evite açúcares e farinhas refinadas.

Como indicamos no início, estas são regras gerais que não substituem o conselho de um nutricionista esportivo. Se você quiser seguir uma dieta competitiva para esta disciplina recorra a um profissional. Ele é pessoa que pode lhe dar as recomendações específicas com base em suas necessidades individuais.

Outras recomendações

Aqueles que treinam pela manhã devem evitar a todo custo iniciar sua rotina em jejum. Quando você se exercita, gasta energia, e essa fonte vem dos carboidratos.

Isso significa que, se você não der ao seu corpo o combustível que permite que ele funcione e começar a treinar, vai gastar algo que você não tem. Como resultado, a fadiga aparecerá.

Por outro lado, durante o exercício há um fenômeno que consiste na destruição de proteínas (conhecido como catabolismo muscular). Por isso é importante interromper essa aniquilação de proteínas, que são obtidas apenas pela ingestão de novas proteínas, que podem ser leite desnatado, ovos, salmão, nozes, etc…

Finalmente, é recomendável que você complete sua dieta com o consumo de suplementos, como o Ômega 3, que ajudarão a evitar lesões, já que regeneram as fibras musculares.