Dieta MIND: alimentação que ajuda a prevenir o Alzheimer

· 11 de janeiro de 2018
O Alzheimer é a principal causa de incapacidade em pessoas mais velhas. A dieta MIND é um tipo de alimentação, que segundo a ciência, ajuda a reduzir em grande medida as possibilidades de desenvolvermos esta doença.

O Alzheimer é uma das doenças degenerativas mais duras que uma pessoa pode enfrentar, mas há formas de preveni-lo e um deles é por meio da alimentação, mais especificamente através da dieta MIND.

O que você deve saber sobre a dieta MIND

Vegetais de folhas verdes

Em concreto, este modo de prevenção será realizado através da dieta MIND. Seu nome responde a suas siglas em inglês, Mediterranean-DASH Intervention for Neurodegenerative Delay.

Trata-se de uma dieta que foi criada por cientistas do Centro Médico da Universidade de Rush com o objetivo de prevenir o surgimento do Alzheimer.

Para determinar esta dieta os cientistas recompilaram informação que já tinham sobre outras dietas que pessoas mais idosas que sofriam dessa doença ou que tinham pré-disposição genética a ela mantinham.

Para isso compararam as dietas que os maiores de 65 anos seguiam com as probabilidades que tinham de sofrer Alzheimer.

Os resultados deste estudo foram incríveis. Eles chegaram à conclusão de que as pessoas que seguiam esta dieta de forma rigorosa conseguiam reduzir em até 53% a probabilidade de desenvolver a doença.

Por sua vez, aquelas pessoas que seguiam esta dieta ocasionalmente podiam ver como a probabilidade de sofrer desta doença era reduzida em 35%.

Também foi comprovado que quanto antes estes hábitos alimentares eram implementados, mais benefícios o paciente podia experimentar e menores eram as probabilidades de sofrer a degeneração celular que ocorre quando se sofre de Alzheimer.

Trata-se de uma dieta que não é muito difícil de seguir. É composta por 15 componentes pertencentes a 10 grupos de alimentos.

Entre eles encontramos as oleaginosas, as verduras, os grãos, os óleos naturais presentes nos peixes, as carnes brancas e o vinho.

No lado oposto, vemos que deveria-se reduzir o consumo de fast food, carnes vermelhas, açúcar refinado e manteiga.

Dieta MIND, o que deve ser consumido diariamente?

Frutos secos

No que diz respeito ao consumo de alimentos semanais que se deve realizar, destacaria-se uma porção de fava e leguminosas, duas porções de frutas vermelhas – são recomendáveis, principalmente, os mirtilos – uma porção de carne branca de aves de criação e uma porção de peixe branco e outra de salmão.

Dieta MIND e o consumo semanal de alimentos:

  • Três porções de grãos;
  • Uma porção de salada com verduras de folhas verdes. Com acelgas, espinafre, alface e rúcula;
  • Uma fruta;
  • Um punhado de frutos secos. Mais especificamente de amendoim, nozes, amêndoas e avelãs;
  • Meia taça de vinho tinto.

Consumir com moderação

Os produtos que a dieta MIND aconselha consumir com moderação são a manteiga ou a margarina, não mais do que meia colher por dia.

Também não se deve abusar dos queijos gordurosos, nem da comida do tipo fast food ou dos produtos com açúcares refinados.

A dieta ocidental e o Alzheimer

Homem com Alzheimer

Mas esta não é a única amostra que existe de que a dieta e o Alzheimer estão bastante relacionados. Segundo uma pesquisa publicada pelo Scientific Reports Nature e realizada por pesquisadores da Universidade de Tufts em Boston, a dieta está ligada de forma direta com esta doença.

Durante sua pesquisa, os pesquisadores alimentaram a ratos com uma grande quantidade de produtos de origem animal com alto teor de gorduras e açúcares. Assim, puderam ver que ao expor estes ratos de forma prolongada a este tipo de alimentação, o que aconteceu é que a resposta imunológica de seus cérebros diminuiu.

Esta dieta se baseia em um consumo exagerado de alimentos fritos, açúcares refinados, farinhas brancas e alimentos processados. Tudo isso causa um desequilíbrio em nosso sistema imunológico porque nosso corpo rejeita estes alimentos e inflama esse sistema. E tudo isso dá lugar a doenças de diversas índoles, dentre as quais está o Alzheimer.

Também puderam comprovar que aumentou a atividade da micróglia, ou seja, das células do sistema nervoso que se encontram dentro do sistema imunológico do sistema nervoso central. E são vários os estudos que apontaram que este tipo de inflamação aumenta o risco de desenvolvimento de Alzheimer.

Assim, agora você já sabe, existe um motivo a mais para cuidar da sua dieta e apostar em uma alimentação saudável como a que propõe a dieta MIND.