Curiosidades sobre o beijo que você não conhecia

· 31 de janeiro de 2015
O ser humano utiliza o beijo como meio de avaliar a qualidade genética de seus semelhantes e os possíveis parceiros com os quais se relaciona.

O beijo é um sinal de cumplicidade e amor entre duas pessoas. Dispõe de uma finalidade biológica que nos permite saber quem é a pessoa certa, a que mais nos estimula e a que mais emoção traz. Leia o seguinte artigo e conheça mais curiosidades.

A importância do beijo para encontrar o melhor parceiro

Certamente você já passou por essa experiência: beijar alguém e perceber que o que achava sentir no começo não era tão intenso assim. Biólogos e psicólogos dizem que um beijo é mais do que a união de duas bocas.

Através deste simples mas simbólico gesto, as pessoas realizam inúmeras observações, às vezes de um modo inconsciente. Um pequeno lapso de tempo no qual se ativam inúmeros estímulos, processos biológicos, psicológicos e neuronais, tão interessantes que foram realizados inúmeros estudos sobre o assunto.

Um desses estudos é precisamente o publicado nas revistas “Human Nature” e “Archives of Sexual Behavior”. Trata-se de uma análise profunda realizada por Rafael Wlodarski e sua equipe na Universidade de Oxford (Reino Unido)

Para chegar às suas conclusões, foram realizados diversas entrevistas e testes com 900 pessoas entre 18 e 63 anos.

A importância do beijo para encontrar o melhor parceiro

Conclusões das pesquisas

De acordo com esses autores, o beijo serve como um meio para avaliar a qualidade genética dos possíveis parceiros com quem nos relacionamos. Pode parecer uma insensatez, já que ninguém tem uma máquina interna que faça a análise de compatibilidade.

Mas o que realmente sentimos é que algumas pessoas nos excitam mais que outras ao nos beijar. Escolheremos, então, aquela pessoa que mais nos desperta emoções e sensações.

As mulheres são mais seletivas quando se trata de encontrar um parceiro. E o beijo é muito importante, básico e necessário. Inclusive, tem quase mais importância do que o sexo. É esse gesto que buscamos diariamente para encontrar intimidade na outra pessoa, para fortalecer os laços e nutrir o relacionamento.

Quer saber mais a respeito: Descubra por que beijar é bom para a saúde

Além disso, o beijo unem as pessoas e provocam emoções súbitas. Foram realizados vários testes em que casais que não se conheciam foram convidados a se beijar.

Os experimentos começaram entre os casais com alguma timidez e desconforto, mas uma vez que começavam a se beijar, a intensidade se elevava e a maneira como se olhavam depois era diferente. Beijar é quase sempre um interruptor direto para uma série de emoções.

Outras conclusões

Curiosidades sobre o beijo

Esses não são os únicos dados apresentados pelo estudo acima mencionado. Existem outros aspectos que são interessantes e que talvez você não soubesse. Estes são alguns deles:

  • As mulheres dão mais importância ao beijo que os homens e necessitam mais deste gesto. Eles não dão muita relevância, mas admitem que os casais mais estáveis ​​e felizes se beijam frequentemente.
  • O beijo é o primeiro contato físico com o qual geralmente avaliamos a outra pessoa. São a culminação da atração física.
  • Para as pessoas que ainda não têm um parceiro, o beijo é classificado como algo mais importante do que as relações sexuais posteriores. É a união que deve ser alcançada antes do sexo, como a primeiro etapa para o próximo passo.
  • Para os casais estáveis, o beijo é tão importante quanto o sexo. Entendem, além disso, que é algo necessário no dia a dia, embora às vezes seja negligenciado.

Pode te interessar: 8 coisas que casais duradouros têm em comum

Além disso, os autores explicam que, em relacionamentos já estabelecidos, a frequência de beijos está relacionada com relacionamentos mais satisfatórios, embora não necessariamente com mais sexo. Dessa forma, é curioso comprovar a importância essencial do beijo para o ser humano. O que você acha?

  • Wlodarski, R., & Dunbar, R. I. M. (2013). Examining the possible functions of kissing in romantic relationships. Archives of Sexual Behavior. https://doi.org/10.1007/s10508-013-0190-1