Conselhos para cuidar do pé diabético

27 de fevereiro de 2020
O pé diabético é uma causa comum de hospitalização. Para evitar complicações maiores, é essencial aprender a cuidar dele corretamente.

Cuidar do pé diabético é de extrema importância, já que esta doença faz com que o paciente seja mais suscetível a certos tipos de lesões, sejam intrínsecas ou extrínsecas. Portanto, trata-se de uma condição de risco.

Essa doença provoca um aumento significativo dos níveis de glicose no sangue (açúcar). Isso ocorre quando há escassez ou ausência da secreção de insulina.

A insulina é um hormônio secretado pelo pâncreas que ajuda a glicose dos alimentos a entrar nas células para fornecer energia. Se não houver insulina suficiente, a glicose permanece no sangue, causando sérios problemas de saúde ao longo do tempo.

O que é o pé diabético?

Como cuidar do pé diabético?

O pé diabético é um distúrbio clínico de origem neuropática (envolvimento dos nervos) e induzido pela hiperglicemia (alto nível de açúcar). Pode ocorrer com ou sem coexistência de isquemia (falta de suprimento sanguíneo), e pode causar lesão ou ulceração do pé.

Atualmente, esta é a principal causa de amputações não traumáticas em diversos países, pois é comum os pacientes sofrerem complicações, como úlceras e neuropatias (perda de sensibilidade). De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a diabetes afetará mais de 330 milhões de pessoas até 2030.

No Brasil, o pé diabético é a principal causa de amputações no país depois dos acidentes.

A detecção precoce dos fatores de risco ajudará a reduzir um alto número de lesões associadas ao pé diabético, permitindo e evitando o número de casos extremos que levam à amputação“, diz Alfredo Martínez, presidente do Colégio de Pediatras da Comunidade Valenciana.

Dicas gerais para cuidar do pé diabético

Cuidado ao cortar as unhas dos pés

  • Nunca ande descalço, pois os danos nos nervos diminuem a sensibilidade. Portanto, você não vai sentir pedras ou pequenos objetos que machuquem seu pé.
  • Lave os pés todos os dias com um sabonete neutro e água morna. Não coloque os pés de molho. Para secá-los, dê batidinhas suaves com uma toalha em vez de esfregá-la vigorosamente. Tenha muito cuidado com a secagem entre os dedos dos pés.
  • Use uma loção para manter a pele dos pés macia e hidratada. Isso evita rachaduras como consequência da pele seca e reduz o risco de infecção. Entretanto, não aplique loções ou cremes entre os dedos.
  • Corte as unhas dos pés retas, sem arredondar, e evite cortar os cantos. Use uma lixa de unhas. Se você detectar uma unha encravada, consulte seu médico.
  • Evite usar soluções antissépticas, medicamentos de venda livre, compressas térmicas ou instrumentos afiados e cortantes nos pés. Não coloque os pés na frente de aquecedores.
  • Não fume. Fumar danifica os vasos sanguíneos e reduz a capacidade do corpo de transportar oxigênio. Em combinação com a diabetes, o tabagismo pode aumentar significativamente o risco de amputação (não apenas dos pés, mas de outras partes do corpo, como as mãos).

Isso pode te interessar: Dispositivos de controle da diabetes

Cuide dos seus sapatos

Calçados adequados

Escolha e use seus sapatos com cuidado, pois um calçado que calce mal pode causar uma úlcera e levar a uma infecção.

  • Quando for comprar sapatos, escolha um momento em que seus pés estiverem bem dilatados. Além disso, o calçado deve ser confortável no momento de experimentar, evitando aqueles que precisam ser “amaciados”. Aliás, esta deveria ser uma regra geral, pois nada justifica sofrer com os pés até que o calçado novo se adapte.
  • Controle o ajuste do seu sapato na largura, comprimento, base do calcanhar, palmilha e sola. Meça seus pés sempre que for comprar sapatos novos.
  • Evite estilos de sapatos muito finos na ponta e saltos altos. Tente comprar sapatos de couro e com forma larga na parte dos dedos.
  • Use sapatos novos apenas por 2 horas ou menos a cada vez. Além disso, não use o mesmo par de sapatos todos os dias.
  • Inspecione a parte interna de cada sapato antes de colocá-lo. Não amarre os sapatos de forma que fiquem muito apertados e nem muito folgados.
  • Evite longas caminhadas sem descanso, organize-se para tirar os sapatos e as meias e controle os sinais de pressão (vermelhidão) ou úlceras.

Leia também: 5 dicas para evitar que os sapatos novos machuquem

Conclusão

Como você pôde ver, é de grande importância que todos os pacientes com níveis altos de açúcar no sangue tomem medidas para cuidar do pé diabético. Além disso, as consultas e exames médicos são imprescindíveis e evitarão complicações.

Se você precisar de mais informações, pode consultar o site da SBD – Sociedade Brasileira de Diabetes.

  • Diabetic foot ulcers: prevention and treatment. A coloplast quick guide. 2012. https://www.coloplast.us/Global/US/Wound%20Care/Diabetic%20Foot%20Ulcers%20Quickguide_M4007N.pdf
  • Inlow, S. et al. Best practices for the prevention, diagnosis, and treatment of diabetic foot ulcers,
    Ostomy/Wound Management 2000, Vol. 46(11): 55-68.
  • International Working Group on the Diabetic Foot, International Consensus on the Diabetic Foot, 2007,
    2011.
  • Bakker, K. et al. The year of the diabetic foot, Diabetes Voice, March 2005, Vol. 50(1): 11-14.