Como fazer um kit de óleos essenciais

Os óleos essenciais têm múltiplas aplicações e formas de uso, pois podemos nos beneficiar das suas propriedades de forma tópica, por meio da aromaterapia ou mesmo através da ingestão, caso eles sejam próprios para uso oral.
Como fazer um kit de óleos essenciais

Última atualização: 09 Janeiro, 2022

Para começar, alguns de nós ainda se perguntam o que são óleos essenciais. De acordo com diversas fontes online falamos de um óleo essencial ou de um óleo etéreo quando nos referimos a metabólitos secundários de plantas lipofílicas e altamente voláteis que, ao atingir uma massa abaixo do seu peso molecular de 300, podem ser fisicamente separados dos outros componentes da planta ou do tecido membranoso.

Para entender isso um pouco melhor, podemos citar o conceito proposto pela Organização Internacional de Normalização (ISO), que explica que o termo “óleo essencial” é reservado para um “produto obtido a partir de matéria-prima vegetal através da destilação com água ou vapor”.

Aprofundando ainda mais nesse assunto, outro estudo afirma que as essências ou óleos essenciais são uma mistura complexa de substâncias aromáticas responsáveis pelas fragrâncias das flores. Eles apresentam inúmeras ações farmacológicas (por isso constituem a base da aromaterapia), mas também são amplamente utilizados na perfumaria e cosmética, na indústria farmacêutica, de alimentos, bebidas e confeitaria.

No entanto, acredita-se que ter um pequeno kit de óleos essenciais de fácil acesso pode ajudar em algumas situações específicas, já que eles são extraídos de diferentes partes de plantas, sementes, cascas, caules, raízes, flores, etc, e têm propriedades que podem nos beneficiar algumas ocasiões de forma positiva.

Desta forma, podemos encontrar alguns óleos fabricados para ajudar a tratar um pouco a insônia, a circulação e os parasitas, apenas para citar alguns. No entanto, o estudo referido explica que, do ponto de vista toxicológico, os óleos essenciais são potencialmente tóxicos (apesar de serem considerados no meio popular como produtos naturais e pouco perigosos).

A seguir explicaremos como é possível usá-los e quais deles podem ser úteis na nossa caixinha de remédios naturais.

Leia também: 6 erros a evitar ao usar óleos essenciais

O essencial em um kit de óleos essenciais

Nesta seção do artigo explicaremos um pouco mais sobre as propriedades de alguns dos óleos mais usados e que são recomendados para se ter na caixinha de remédios.

Tome nota, isso vai te interessar!

Óleo essencial.

A laranja pode ajudar a combater os micróbios e também tem um percentual de efeitos sedativos. Por outro lado o limão pode funcionar como antisséptico e depurador, e acredita-se que ele ajude a limpar o nosso corpo de toxinas, como mostra este estudo de 2014, por exemplo.

Por outro lado podemos citar o óleo de orégano, que segundo este estudo pode ser aplicado com sucesso, por exemplo, no tratamento do pé de atleta. Um simples banho de pés é eficaz no tratamento da infecção pelo fungo Tinea pedis, de acordo com outra pesquisa realizada pela Universidade de Tóquio (Japão).

Desta forma esses estudos continuam mostrando que, ao falarmos de uma característica importante desse óleo essencial, é preciso mencionar que ele possui monoterpenos oxigenados, principalmente por ser composto por diferentes grupos funcionais como álcoois, aldeídos, cetonas e éteres, para mencionar alguns.

Também podemos citar a lavanda pois este estudo concluiu que, com base na experiência adquirida pela sua longa tradição de uso, esse o óleo essencial pode ser usado para aliviar sintomas leves de estresse mental e exaustão, e pode nos ajudar a dormir.

O óleo de enebro, que com base neste estudo podemos dizer que se trata de uma conífera amplamente distribuída à qual são atribuídas diversas propriedades farmacológicas entre as quais um efeito diurético e a eficácia no tratamento da dispepsia, foi aprovado pela EMA (Agência Europeia de Medicamentos).

Nesta mesma linha de pensamento, este estudo afirma que a eficácia dele como antioxidante foi avaliada por diversos testes e a sua capacidade de intervir em patologias notáveis como Alzheimer e Parkinson foi investigada.

Continuando com outro óleo, diz-se que o óleo de gerânio pode ajudar a nos refrescar e também contribui para a regulação dos níveis de energia. Diz-se também que ele pode ser utilizado como regulador hormonal e regenerador da pele, ideal para ser misturado com os nossos hidratantes. No entanto, neste caso essas informações estão mais relacionadas ao conhecimento da sabedoria popular.

Para encerrar esta seção, gostaríamos de mencionar um ingrediente que muitos de nós gostamos por seu aroma e outros adoram tomá-lo como uma infusão, mas que também pode ser aproveitado na forma de óleo essencial. Estamos falando da camomila, que segundo esse estudo é refrescante e calmante além de apresentar um efeito anestésico leve, altamente recomendado para atingir estados de relaxamento.

Como usá-los?

Pote com óleo essencial de lavanda.

Aplicação tópica

Em relação a este tópico muitas informações podem ser encontradas na internet; no entanto, pode-se citar que o uso mais simples dos óleos essenciais é por meio da aromaterapia. Isso significa que você deve apenas sentir o cheiro deles.

Por outro lado, a aplicação na pele é simples mas é importante ter cuidado, pois essas são substâncias com níveis de concentração muito elevados. Por esse motivo sugere-se sempre diluir os óleos essenciais antes de utilizá-los. Essa diluição poder ser feita em substâncias condutoras como outros óleos vegetais ou argilas.

Somente os óleos essenciais de lavanda e camomila podem ser aplicados diretamente na pele. Quanto ao uso oral, a quantidade dependerá de uma pessoa para outra. Nesse sentido, o ideal é consultar um profissional.

Massagens

óleos essenciais

Uma forma terapêutica e agradável de utilizá-los é fazendo massagens corporais. Podemos misturar algumas gotas de óleo essencial com o creme de massagem ou um pouco de óleo de gergelim. Desta forma aumentaremos os benefícios relaxantes ou estimulantes da massagem.

Para escolher os óleos mais adequados, devemos nos orientar observando se a pessoa tem a pele quente ou fria. Assim, o ideal é escolher óleos que oferecem calor ou esfriam, dependendo do caso.

Aromatizadores e difusores

Existem muitos tipos de difusores aromáticos no mercado que nos permitem manter um cheiro agradável em um cômodo utilizando uma pequena quantidade de óleo essencial.

Existem aqueles que simplesmente têm uma vela por baixo e com o calor o óleo evapora de forma gradativa. Um dos óleos mais utilizados é o de lavanda, por seu aroma e efeitos.

Considerações finais

  • Para fazer o nosso kit de óleos essenciais é importante comprar produtos de qualidade. Se possível eles devem ser ecológicos, para garantir que não estão presentes pesticidas ou outras substâncias tóxicas em sua composição.
  • Se temos a intenção de ingerir um óleo essencial é imprescindível especificar ao vendedor que o uso será por via oral. Lembre-se de que os compostos variam e podem ser tóxicos.
  • Os óleos essenciais devem ser mantidos fora do alcance de crianças e animais de estimação.
  • Recomendamos consultar sempre um terapeuta antes de iniciar qualquer tratamento.
Pode interessar a você...
6 erros a evitar ao usar óleos essenciais
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
6 erros a evitar ao usar óleos essenciais

Os óleos essenciais têm inúmeras aplicações terapêuticas, mas é preciso evitar certos erros quando os usar para garantir os seus benefícios.

Imagens cortesia de cinnamon vogue e Veganbaking.net