Como evitar a formação de cálculos renais

5 de maio de 2017
Para impedir a formação de cálculos é muito importante manter-se hidratado. Assim, eliminamos as toxinas e evitamos que o cálcio se acumule nos rins.

Os cálculos,  popularmente denominados “pedras nos rins”, são materiais sólidos que se formam e acumulam nestes órgãos e cuja expulsão pode ser muito dolorosa e inclusive demorar anos.

Algumas pessoas são mais propensas a ter cálculos renais. Por isso neste artigo, contaremos como evitar que estes se formem.

Para começar, o que são cálculos renais?

Um cálculo é um fragmento microscópico ou muito pequeno de material sólido que se forma no rim. Isso porque a urina apresenta níveis altos de certas substâncias.

Uma pedra não só pode permanecer no rim, como também pode descer pelas vias urinárias.

O cálculo pode sair voluntariamente ao urinar ou necessitar de ajuda externa. Na maioria dos casos é dolorido, principalmente quando seu tamanho é considerável e machuca quando é arrastado pela urina.

Cálculos nos rins

As pedras nos rins se formam pelo excesso de três componentes presentes na urina: cálcio, fósforo e oxalato. Alguns alimentos os contêm mais do que outros e ingeri-los com frequência pode provocar a aparição dos cálculos.

Veja também: Existem alimentos que podem causar pedras nos rins?

Existem pacientes que são mais propensos a sofrer pedras renais. Este é o caso de pessoas que:

  • Têm uma alteração patológica que muda a porcentagem das três substâncias na urina causadoras dos cálculos.
  • Contam com antecedentes familiares de pedras nos rins.
  • Sofrem infecções nas vias urinárias de modo recorrente.
  • Sofrem bloqueios nas vias urinárias.
  • Têm problemas digestivos.
  • Não bebem a quantidade de líquido suficiente (os conhecidos 2 litros diários, pelo menos).
  • Consomem certos medicamentos.
O cálcio e os cálculos renais

O tipo mais comum de pedra é o provocado por um aumento na quantidade de cálcio. Quando este mineral não é usado pelos ossos e músculos, então, é eliminado pela urina e, por isso, passa pelos rins.

Outros tipos de cálculos menos comuns são:

  • os de ácido úrico (para aqueles que consomem muitos mariscos, peixe e carne),
  • os de estruvita (após uma infecção urinária),
  • e finalmente, os de cistina (por um transtorno genético que é transmitido de pais para filhos).

Como prevenir a aparição de cálculos nos rins?

Como primeira medida é importante conhecer a razão pela qual as pedras apareceram, caso você já tenha sofrido com elas. Assim que forem expulsas, leve-as para serem examinadas no laboratório para determinar qual o tipo.

Também é provável que o médico indique coletar a urina 24 horas depois de ter eliminado a pedra para analisar quais componentes estão em nível excessivo.

Dor por causa de cálculos nos rins

Tanto às pessoas que sofreram cálculos renais como àquelas que são propensas à sua formação, é recomendado seguir uma vida saudável e adquirir os seguintes hábitos:

Manter-se hidratado

Se você não consumir muita água diariamente, deve começar a fazê-lo.

O líquido serve para varrer todas as toxinas do organismo, portanto, evita que o cálcio se acumule nos rins ou vias urinárias.

Você pode começar com um litro de água por dia e depois ir aumentando a dose até chegar aos 3 litros, aproximadamente.

Não gosta de beber água? Pode fazer infusões de ervas e sucos naturais. Não contam as bebidas alcoólicas, o café e os refrigerantes.

Praticar exercícios

A pessoa torna-se mais propensa a sofrer com os cálculos renais quando o sedentarismo faz parte de sua vida.

A falta de atividade física durante um longo período não só engorda e aumenta o colesterol, como também provoca uma maior liberação de cálcio do organismo.

Vários estudos indicam que praticar exercícios reduz em 30% a chance de se ter pedras nos rins.

Fazer exercícios para evitar cálculos renais

Você pode sair para caminhar no parque, praticar ioga, ou mesmo cuidar das plantas no jardim. Assim, qualquer atividade que ajude a levantar-se do sofá será bem-vinda.

Consumir mais magnésio

A falta deste mineral está relacionada com a formação dos cálculos renais. O magnésio é vital para assimilação e absorção do cálcio.

Se você come muitos lácteos, por exemplo, tente adicionar à sua dieta aqueles alimentos que trazem um fornecimento de magnésio também.

Quais são as maiores fontes?

  • Os vegetais de folha verde, como a acelga e o espinafre
  • Os feijões
  • Os frutos secos como, por exemplo, as amêndoas
  • As sementes (principalmente as de abóbora, de gergelim e de girassol)
  • O abacate

Recomendamos a leitura: 10 benefícios que desconhecia do espinafre

Manter o peso ideal

A obesidade é um fator de risco não só para a formação de pedras renais, como também para muitas doenças. Por isso, recomenda-se prestar atenção ao peso adequado e fazer o possível (dieta e exercícios) para reduzi-lo.

Mulher controlando o peso para evitar a formação de cálculos renais

Não se recomenda comer muita carne vermelha e proteína de origem animal. Estes alimentos estão repletos de purinas, que provocam cálculos de ácido úrico.

Limitar o consumo de sódio

Mesmo sem você se dar conta, o sal está presente em muitos dos alimentos que consumimos hoje em dia. É bom evitar alimentos processados e não adicionar mais sal às comidas.

Os valores válidos de ingestão de sódio por dia são de 2300 mg para os adultos jovens e de 1500 mg para os adultos mais velhos. Escolha aqueles alimentos que indiquem “baixo em sódio” ou, diretamente, sem sal.

Opte pelo sal marinho ou o sal rosa ao invés do refinado ou de mesa.

Comer mais cítricos

Os cítricos evitam formação de cálculos renais

O ácido cítrico contido em frutas como a laranja e o limão é uma espécie de protetor das funções renais. Evita que as pedras se formem ou aumentem de tamanho. 

Beba sucos ou limonadas em jejum e aumente o consumo de qualquer cítrico ao natural.

E lembre que se tiver dúvidas, sempre deve consultar o médico.

As sugestões foram úteis pra você? Sendo assim, continue na nossa página com mais dicas para o seu bem estar.

Grases Freixedas, F., Conte Visús, A., Costa-Bauzá, A., & Ramis Barceló, M. (2001). Tipos de cálculos renales. Relación con la bioquímica urinaria. Archivos Espanoles de Urologia. https://doi.org/10.1016/j.elecom.2003.08.017