Como ajudar seu filho a superar a morte do pet

A perda de um animal de estimação é um grande golpe emocional para as crianças. Acompanhe seu filho durante o processo e ajude-o a lidar com a situação.
Como ajudar seu filho a superar a morte do pet

Última atualização: 11 Maio, 2019

O momento em que um pet morre é simplesmente desolador. Além da dor que você pode estar sentindo, prevalece a preocupação com seu filho e seus primeiros encontros com a morte. Por isso, neste artigo, contaremos como você pode ajudar seu filho a superar a morte de seu animal de estimação.

Como superar a morte do pet

Animais de estimação tornam-se parte da família. Eles são companheiros de brincadeiras, aventuras e travessuras para as crianças. Diante de sua morte, as crianças costumam ficar destroçadas, um pouco órfãs e até com medo de perder outra pessoa. Assim, vamos ver abaixo como você pode ajudá-las nesta difícil experiência.

1. Entenda o amor do seu filho pelo pet

Família com o pet

O pet é um membro da família, especialmente para as crianças. O primeiro passo para ajudar seu filho no processo é tentar entender o que ele está vivendo. Talvez você encarasse o pet da casa assim: um animal de estimação. No entanto, para a grande maioria das crianças, um animal de estimação é muito mais: é um melhor amigo e até um irmão.

O luto pela perda de um animal de estimação pode ser tão profundo quanto o luto por um membro da família, porque, não importa a que espécie pertencia, seu filho amava-o como parte da família.

2. Empatia com a situação

Coloque-se no lugar dele. As crianças em muitas coisas agem como adultos. Se o animal morreu após uma longa doença, certamente sua morte é mais fácil de aceitar do que se ele morresse após um acidente.

Preste atenção porque falamos de aceitação, não de dor. A perda dói de qualquer maneira, mas quando uma criança sabe que o animal está doente, a morte é previsível.

Assim, a imprevisibilidade de certas situações, como um acidente fatal, pode mostrar à criança, pela primeira vez em sua vida, que nem tudo pode ser controlado e isso pode gerar muito medo.

Não perca: Benefícios de ter um animal de estimação em casa

3. Supere a morte do seu animal de estimação: evite suavizar a realidade

Em uma tentativa de proteger seus filhos, alguns pais decidem dizer que o animal “fugiu” em vez de explicar que ele sofreu um acidente e morreu. Evite fazer isso. Sabemos que comunicar a morte do pet ao seu filho será muito difícil e também a sua reação, mas o seu filho merece saber a verdade.

4. Brinque com seu filho

Acompanhe seu filho no processo de luto através de brincadeiras. Algumas crianças, por exemplo, brincam que um bicho de pelúcia adoece e morre. Este jogo de papéis pode ser poderoso e curativo, aproveite e faça parte da brincadeira para ajudar seu filho a entender e aceitar a perda.

5. Leia com seu filho para ajudá-lo a superar a morte de seu animal de estimação

Mãe lendo uma história para sua filha para superar a morte de seu animal de estimação

Através de contos infantis, você pode lidar com o assunto de luto e morte com o seu filho. Há muitas histórias infantis que tratam da morte de um parente ou de um pet, como “Dentro de seu coração”, de Sumara Marletta Guimbra. Aproveite o tempo para ler alguma história sobre o luto com o seu pequeno e falar sobre isso.

6. Expresse seus sentimentos para superar a morte do pet

Algumas crianças têm dificuldade em demonstrar a dor que sentem. Por isso, torne-se seu catalisador, permitindo-se mostrar que a perda afetou você. Ensine a seu filho que está tudo bem em ele ficar triste, que é normal e que sentir falta de um ser amado não é uma coisa ruim.

7. Converse com seu filho

A morte geralmente gera perguntas sem fim nas crianças. Prepare-se para respondê-las da maneira mais honesta possível, sempre adaptada à idade de cada criança.

Talvez te interesse ler também: Casinha de cachorro com materiais reciclados

8. Honre a vida do pet

Casal com pet

Não pare de falar sobre o animal de estimação, pelo contrário, falar sobre isso e lembrar os bons momentos é importante para o seu filho. Um pequeno funeral pode ser uma boa maneira de se despedir.

Dizer adeus ao pet para sempre pode ser o que ele precisa para se sentir um pouco melhor, mesmo que a dor não desapareça e continue a sentir sua falta.

Outra opção é preparar juntos um álbum de fotos que permita lembrar do pet. Ou plante uma árvore em sua homenagem. Pense com seu filho o que pode ser útil para se sentir um pouco melhor.

9. Não compre outro pet

Seu filho precisa de tempo para processar a perda e aceitar que o amigo não está mais lá. Por isso, não tente preencher o vazio com um novo animal. Dê ao seu filho e ao seu luto tempo, antes de pensar em adotar um novo animal de estimação.

10. Observe seu filho

Ter momentos de choro e tristeza é normal. No entanto, se você perceber que seu filho tem pesadelos, não consegue adormecer ou se sente muito ansioso, consulte o pediatra.

Além disso, pode ser necessário fazer uma consulta psicológica para ajudá-lo a superar a morte do seu animal de estimação.

A morte de um animal de estimação é geralmente o primeiro encontro de crianças com a morte. Por isso, seja paciente, acompanhe seu filho e mostre a ele o quanto você o ama.

Ajude-o a superar a morte do pet, pouco a pouco, como você faria com qualquer pessoa, porque, para o seu filho, o pet era seu melhor amigo no mundo inteiro.

Pode interessar a você...
Benefícios de ter um animal de estimação em casa
Mejor con SaludLeerlo en Mejor con Salud
Benefícios de ter um animal de estimação em casa

Ter um animal de estimação em casa é essencial para o desenvolvimento das crianças, o vínculo que se cria entre a família e o pet promove o amor e a responsabilidade. Também constroem um fator de segurança e uma grande companhia para todos os integrantes da família.



  • KidsHealth. Cuando fallece una mascota. https://kidshealth.org/es/parents/pet-death-esp.html
  • Fleming-Holland, R. A. (2008). Reflexiones sobre la Muerte: el Duelo Infantil y el Suicidio Juvenil. Psicología Iberoamericana.
  • Ledesma, R. I. G., Cabrera, A. M., & Torres, L. S. (2010). Pérdida y duelo infantil: una visión constructivista narrativa. Alternativas En Psicolog{’i}a. https://doi.org/1405-339