Candidíase cutânea: 5 dicas para tratá-la

6 de maio de 2019
A candidíase cutânea é uma infecção que pode causar alterações desagradáveis em várias regiões da pele. Descubra por que ela se desenvolve e como combatê-la naturalmente.

A candidíase cutânea é um tipo de infecção que surge quando o fungo Candida albicans cresce na pele. Este microrganismo geralmente habita a pele sem causar problemas. No entanto, antes de certas alterações, cresce e desencadeia sintomas desconfortáveis.

No início, o desconforto é suportável e geralmente não causa grandes problemas. Apesar disso, é essencial dar-lhe um tratamento, uma vez que a infecção pode se espalhar para outras partes do corpo, tornando-se mais complexa. O que você deve fazer para combatê-la?

Dicas para tratar candidíase cutânea

O fungo Cândida, do qual muitos subtipos são distinguidos, pode ser potencialmente prejudicial ao organismo. Embora seja um dos mais comuns, alguns levam a infecções depois de se multiplicarem de forma excessiva. No caso da pele, leva à candidíase cutânea.

Essa condição pode ter diferentes manifestações clínicas, dependendo de sua evolução e da resposta do sistema imunológico de cada um. No entanto, em um nível geral, tende a desencadear desconfortos como:

  • Erupções ou bolhas
  • Manchas vermelhas ou roxas
  • Manchas brancas e escamosas nas áreas afetadas
  • Descolamento de pele com escamas
  • Rachaduras na pele e sangramento
  • Ardor ou dor
  • Vermelhidão
  • Espinhas cheias de pus (pústulas)

Seu tratamento baseia-se principalmente na administração de antifúngicos tópicos, seja na forma de talco, cremes ou loções. No entanto, às vezes medicamentos orais também são prescritos.

Além disso, para complementar o tratamento, é essencial implementar algumas dicas. Veja.

Descubra ademais: Tratamento da candidíase

1. Para aliviar a candidíase cutânea, evite o uso de roupas úmidas

O suor contribui para a proliferação da candidíase

Trajes de banho e roupas de treino suadas são inimigos de pessoas com candidíase cutânea. Portanto, enquanto a infecção passa, o ideal é evitá-las. Essas roupas criam um ambiente propício ao crescimento de fungos. Portanto, após o uso, os sintomas podem piorar.

2. Use roupas folgadas e de algodão

A roupa pode contribuir muito para o alívio dos sintomas deste tipo de infecções na pele. Embora pareça um detalhe sem importância, usar roupas de algodão e folgadas minimiza o acúmulo de suor e, assim, bloqueia o crescimento de Cândida.

3. Evite sabonetes perfumados

A aplicação de sabonetes e outros produtos perfumados pode causar uma alteração do pH natural da pele, levando ao agravamento dos sintomas da candidíase cutânea. Assim, para evitar surtos de infecção, é melhor usar sabonetes neutros, preferencialmente naturais.

4. Reduzir o consumo de açúcar

O consumo de açúcar pode piorar a candidíase cutânea

O que o consumo de açúcar tem a ver com a candidíase cutânea? Muito! Enquanto a maioria das pessoas ignora, os altos níveis de açúcar no sangue podem aumentar a resistência da Cândida aos antifúngicos. Ao consumir produtos açucarados, os picos de glicose aumentam e a suscetibilidade à infecção aumenta.

Portanto, é essencial limitar todas as fontes de açúcar na dieta e adotar hábitos para estabilizar a glicose. É possível reduzi-la com exercícios físicos regulares e uma dieta saudável, rica em frutas e vegetais.

Leia também: Dieta para candidíase: alimentos permitidos e proibidos

5. Adicione probióticos na dieta

Os probióticos se posicionaram como um dos melhores complementos para enfrentar a Cândida e outros microrganismos. As chamadas “culturas vivas” têm a capacidade de aumentar as defesas, ajudando a evitar que os patógenos cresçam fora de controle.

De fato, há pesquisas que sugerem que elas podem ser tão eficazes ou mais eficazes do que alguns antifúngicos convencionais. O melhor de tudo é que muitos, como o iogurte, são seguros de usar e não têm efeitos colaterais.

Em caso de candidíase cutânea, quando ir ao médico?

Dermatologista diagnosticando candidíase

Se é a primeira vez que você desenvolve candidíase cutânea, é melhor ir ao médico para confirmar o diagnóstico. Às vezes, os sintomas são semelhantes aos de outras patologias que exigem mais atenção. Portanto, alguns testes adicionais podem ser necessários

A maioria dos casos de infecção por Cândida é leve e curada em pouco tempo. No entanto, é sempre conveniente receber um tratamento para acelerar o seu alívio. O médico pode prescrever alguns antifúngicos ou medicamentos para interromper os sintomas.

Também é importante ir ao profissional se não houver melhora em um período de 7 a 14 dias ou se os sintomas piorarem apesar do tratamento. A atenção oportuna é fundamental para evitar o desenvolvimento de problemas mais sérios.

Por fim, você percebe sintomas de candidíase cutânea? Não hesite em implementar todas as recomendações dadas. Se você tem um sistema imunológico enfraquecido, vá ao médico o mais rápido possível.

  • Mandal, S. M., Mahata, D., Migliolo, L., Parekh, A., Addy, P. S., Mandal, M., & Basak, A. (2014). Glucose directly promotes antifungal resistance in the fungal pathogen, Candida spp. Journal of Biological Chemistry. https://doi.org/10.1074/jbc.C114.571778
  • Rodaki, A., Bohovych, I. M., Enjalbert, B., Young, T., Odds, F. C., Gow, N. A. R., & Brown, A. J. P. (2009). Glucose Promotes Stress Resistance in the Fungal Pathogen Candida albicans. Molecular Biology of the Cell. https://doi.org/10.1091/mbc.E09-01-0002
  • Hatakka, K., Ahola, A. J., Yli-Knuuttila, H., Richardson, M., Poussa, T., Meurman, J. H., & Korpela, R. (2007). Probiotics reduce the prevalence of oral Candida in the elderly a randomized controlled trial. Journal of Dental Research. https://doi.org/10.1177/154405910708600204
  • Mendonça, F. H. B. P., dos Santos, S. S. F., de Faria, I. da S., Gonçalves e Silva, C. R., Jorge, A. O. C., & Leão, M. V. P. (2012). Effects of probiotic bacteria on Candida presence and IgA anti-Candida in the oral cavity of elderly. Brazilian Dental Journal. https://doi.org/10.1590/S0103-64402012000500011
  • Kashem, S. W., & Kaplan, D. H. (2016). Skin Immunity to Candida albicans. Trends in Immunology. https://doi.org/10.1016/j.it.2016.04.007