Cancroide: sintomas e tratamento

10 Julho, 2020
O cancroide é uma doença infecciosa causada por bactérias. A principal medida preventiva é o uso de preservativos e a redução do número de parceiros sexuais.
 

O cancroide é uma infecção bacteriana. A bactéria responsável por esta infecção é a Haemophilus ducreyi. Esta infecção é encontrada em muitas partes do mundo, incluindo a África e o sudoeste da Ásia. Nos países desenvolvidos poucas pessoas são diagnosticadas com cancroide.

A maioria das pessoas que recebem esse diagnóstico contraiu a doença fora de seu local de residência, em áreas onde a infecção é mais comum.

O cancroide é uma doença que causa feridas ou úlceras genitais. Pode ser transmitido de duas maneiras:

  • Transmissão sexual: por contato pele com pele com uma ferida aberta.
  • Transmissão por autoinoculação: quando o contato é feito com fluidos, como o pus da úlcera.

Considera-se que uma pessoa apresenta a capacidade de contágio quando úlceras ou feridas estão presentes. Isso significa que, desde que haja úlceras cancroides no corpo, a pessoa pode transmiti-la. No entanto, não há casos de infecção em bebês nascidos de mulheres com essa doença.

O cancroide 

Sintomas e sinais do cancroide

Úlceras genitais
O principal sintoma do cancroide é a presença de úlceras na região genital, que podem ser dolorosas e causar complicações.

O período de incubação da Haemophilus ducreyi é de 3 a 7 dias. Então, começam a aparecer pequenas pápulas dolorosas, que rapidamente se transformam em úlceras superficiais.

 

Essas úlceras são moles, com bordas irregulares e rebaixadas, o que implica que há tecido pendurado sobre elas. Elas têm um limite eritematoso. Além disso, geralmente são de tamanho variável e costumam se fundir para formar apenas uma. Em alguns casos,  podem formar uma fístula.

Ocasionalmente, lesões mais profundas do cancroide causam destruição significativa do tecido. Além disso, os gânglios linfáticos incham e aumentam de tamanho, e podem até se unir para formar um abscesso de pus conhecido como bulbo.

O cancroide pode se espalhar para outras partes do corpo e causar novas lesões. Outros sintomas desta infecção são:

  • Fimose: estreitamento da abertura do prepúcio que impede que a glande seja total ou parcialmente descoberta.
  • Estenose uretral: ocorre quando o canal que leva a urina para fora do corpo, ou seja, a uretra, é estreitado.
  • Fístulas uretrais.

Leia também: Começam os testes da vacina contra o HIV em humanos

Como o cancroide pode ser tratado?

Como tratar o cancroide?
Como sua origem é bacteriana, o uso de antibióticos será o tratamento de escolha aplicado pelo médico.

Se houver suspeita, devido aos sintomas observáveis, de que o paciente esteja sofrendo desta doença, um tratamento apropriado deve ser estabelecido o mais rápido possível.

 

Por ser uma doença causada por bactérias, o tratamento consistirá na administração de antibióticos. Os mais utilizados são a azitromicina (1 grama por via oral), a ceftriaxona (250 mg por via intramuscular) e a ciprofloxacina por 3 dias.

Uma medida básica é tratar os parceiros sexuais dos 10 dias anteriores ao início dos sintomas, mesmo que esses parceiros não apresentem sintomas característicos. Também é extremamente importante que a pessoa afetada não faça sexo sem proteção durante o tratamento.

Além disso, nos casos em que há um grande gânglio flutuante, geralmente é necessário drená-lo, seja por meio de uma incisão ou por aspiração por agulha.

Se o paciente cumprir o tratamento recomendado, sempre sob supervisão médica e nunca por automedicação, os sintomas deverão melhorar nos 3 dias seguintes. Existem casos, como o de pessoas com HIV, que podem levar até duas semanas para ser curados.

Você pode se interessar:  Como escolher o preservativo mais conveniente

Medidas de prevenção 

Preservativo
O melhor método de prevenção contra o cancroide é fazer sexo com proteção.

A medida preventiva básica é não fazer sexo sem proteção com uma pessoa infectada. Além disso, limitar o número de parceiros sexuais reduz o risco de ser infectado. O uso do preservativo reduz consideravelmente a possibilidade de ser infectado pelo cancroide.

 

Se você suspeitar de que está infectado pelo cancroide, deve evitar qualquer contato sexual até consultar um médico, que fará o diagnóstico correspondente para confirmar ou descartar a infecção.

Você também deve comunicar imediatamente os seus parceiros sexuais,  para que eles também possam ser examinados e, se necessário, tratados.

  • Vázquez, K. M., Olivera, R. M. P., & Henningsen, T. U. (2014). Chancroide (enfermedad de Ducrey). Dermatologia Revista Mexicana.
  • Aznar, J., Blanco, M. A., Lepe, J. A., Otero-Guerra, L., & Vázquez, F. (2017). 24. Diagnóstico microbiológico de las infecciones de transmisión sexual y otras infecciones genitales. Procedimientos en microbiología clínica.
  • IMSS. (2009). Enfermedades de Transmisión Sexual en el Adolescente y Adulto que producen Úlceras Genitales: Herpes, Sífilis, Chancroide, Linfogranuloma venéreo y Granuloma inguinal. Guía de Práctica Clínica.