Quais são os benefícios da radiofrequência facial?

28 de abril de 2020
Muito se fala sobre os benefícios da radiofrequência facial. Não é uma técnica totalmente nova, mas seu uso foi aperfeiçoado. Neste artigo, vamos falar sobre os seus efeitos.

Os benefícios da radiofrequência facial são discutidos entre médicos e entre pacientes. Embora também tenha detratores, a verdade é que esta técnica avançou significativamente nos últimos anos.

Embora a cirurgia estética seja uma abordagem diferente, essa metodologia concorre com ela. Como modalidade terapêutica não invasiva, é mais barata e seus resultados tornam-se relativamente evidentes em pouco tempo.

Muitas vezes, recebe o nome de lifting sem cirurgia, embora não seja exatamente isso. Ao contrário da cirurgia, não usa anestesia e não envolve os efeitos adversos esperados de um procedimento importante.

A base é o uso de energia na forma de calor. Os dispositivos de radiofrequência facial emitem ondas que penetram na derme para estimular a produção e a regeneração de colágeno.

Isso é possível porque o calor induz os fibroblastos – um tipo de célula presente na pele – a produzir colágeno novo. Pode ser usado em quase qualquer parte do corpo. Existem técnicas para o pescoço, bumbum e abdômen.

Os benefícios da radiofrequência são visíveis em sua aplicação facial. Obviamente, uma sessão não é suficiente. Pelo menos seis sessões são necessárias para notar os resultados.

Procedimento estético no rosto
Além do aparelho de radiofrequência, um gel condutor é usado no procedimento.

Aparelho de radiofrequência

Os benefícios da radiofrequência facial foram demonstrados com diferentes equipamentos. Podem ser massageadores, toners ou eletroestimuladores. Todos eles agem de acordo com o mesmo princípio físico.

Antes de realizar as sessões, é essencial que a pele tenha sido limpa. Não pode haver restos de maquiagem ou de qualquer outra substância que possa atrapalhar a energia calórica.

Um gel condutor é espalhado na pele a ser tratada, ou seja, uma substância que permite a passagem de energia com bastante fluidez. O profissional posiciona o aparelho de escolha e faz pequenos movimentos.

Em alguns casos, a radiofrequência facial é combinada com o ácido hialurônico, buscando aumentar os benefícios. No entanto, isso não é tão comum.

Existem três sistemas de radiofrequência usados:

  • Monopolar: é uma aplicação que visa o tecido adiposo presente nas camadas profundas da derme.
  • Bipolar: atua sobre as camadas superficiais da pele.
  • Tripolar: a combinação de monopolar e bipolar estimula a produção de colágeno e elastina, além de eliminar a gordura. É recomendado pela sua eficiência.

Descubra: Como aumentar a produção natural de colágeno

Efeitos adversos e contraindicações

Os efeitos adversos da radiofrequência facial estão relacionados ao calor transmitido à pele. Não é uma técnica dolorosa, mas pode inchar a derme e irritá-la. Em casos mais extremos, formam-se contusões que depois desaparecem, embora não seja comum.

Em alguns países, foram relatadas alterações na condutividade do nervo facial e do trigêmeo após as sessões. Isso levou a estabelecer mais seriamente o protocolo de uso e especificar quem não deveria usá-lo.

Assim, chegamos às seguintes contraindicações de radiofrequência facial, acordadas internacionalmente:

  • Gestação e aleitamento: os adipócitos – células adiposas – eliminadas com a técnica viajam pelo sistema linfático, podendo atingir o embrião ou o bebê que amamenta.
  • Pacientes com câncer: em geral, os oncologistas recomendam esperar até cinco anos após a alta.
  • Marcapasso: o calor irradiado pelos dispositivos pode alterar o funcionamento do marcapasso.
  • Doença cardíaca grave: a energia calórica provoca vasodilatação e a gordura eliminada circula no sangue. Ambas as situações são contraproducentes para um paciente cardíaco. Se você deseja se submeter à radiofrequência facial, os benefícios e riscos devem ser avaliados com um cardiologista.
Radiofrequência facial para ter uma pele mais jovem
A regeneração do colágeno é o principal benefício da radiofrequência facial.

Leia também: Como reduzir as rugas da pele

Benefícios da radiofrequência facial

Cada vez mais estudos científicos estão sendo realizados para analisar os benefícios da radiofrequência facial. Até agora, a regeneração do colágeno tem sido demonstrada como seu principal efeito. Com o novo colágeno, a pele recupera firmeza e as rugas são atenuadas.

A estimulação calórica também aumenta a circulação nas áreas de aplicação. Não apenas a circulação sanguínea, mas também linfática, permitindo a drenagem de líquidos e células residuais.

Em termos puramente médicos e matemáticos, existem estudos que demonstraram:

  • Elevação de até 1 milímetro das sobrancelhas após três meses de tratamento;
  • Melhoria dos sulcos nasolabiais e redução das rugas em 50% das pessoas tratadas;
  • Maior contorno da bochecha em 60% dos pacientes.

Em geral, aqueles que realizaram sessões de radiofrequência facial relatam que tiveram benefícios.

De qualquer forma, é importante fazer uma consulta médica antes de iniciar o tratamento. Ao se submeter à técnica, certifique-se de estar fazendo isso com profissionais qualificados.

  • Mayoral F. A. Skin Tightening With a Combined Unipolar and Bipolar Radiofrecuency Device. Journal of Drugs in Dermatology. 2007.
  • Fernández, R. Rodríguez, and M. Mayo Ávila. “La radiofrecuencia contra el envejecimiento de la piel.” Cuestiones de fisioterapia: revista universitaria de información e investigación en Fisioterapia 34 (2007): 70-74.
  • Pumarino Santofimia, R. García, and A. Sanchez Olaso. “Láser, luz pulsada, radiofrecuencia y otras fuentes de energía:¿ complemento ocasional a la Cirugía Plástica?.” Cirugía Plástica Ibero-Latinoamericana 34.1 (2008).