Atetose: conhecendo um distúrbio do movimento

5 de julho de 2019
A atetose é uma manifestação incomum de certas doenças neurológicas, especialmente dos danos anatômicos ou funcionais dos gânglios da base.

A atetose é o conjunto de movimentos involuntários lentos, fluidos e contorcidos. Geralmente afeta as mãos e os pés. Esta patologia é uma manifestação incomum de certas doenças neurológicas, especialmente de danos anatômicos ou funcionais dos gânglios da base.

Quais são os gânglios da base?

Gânglios da base

Os gânglios da base são estruturas formadas por substância cinzenta e estão localizados na porção central do cérebro. Eles são caracterizados por um grande número de conexões com outras estruturas dentro do encéfalo. Estão formados pelo núcleo caudado, putâmen e globo pálido.

Eles participam da execução e manutenção da atividade motora, de modo que as alterações anatômicas ou funcionais, dadas pela deficiência ou excesso de certos neurotransmissores,  manifestam-se de maneira evidente em forma de movimentos anormais.

Distúrbios dos gânglios da base

A maioria dos distúrbios dos gânglios da base está relacionada a alterações funcionais. Isso se deve a um déficit ou excesso de certos neurotransmissores, o que leva à hipo ou hiperatividade elétrica na referida região. Essa hipoatividade ou hiperatividade é evidente na atividade motora da pessoa afetada.

Existem muitos movimentos anormais, como coreia, distonia, tremores ou atetose. A coreia consiste em movimentos involuntários repetitivos, breves e irregulares.

Os movimentos são, em certa medida, rápidos e começam em uma parte do corpo, passando para outra de forma súbita e inesperada, e muitas vezes sem interrupção.

A coreia geralmente afeta o rosto, a boca, o tronco e as extremidades. O hemibalismo é um tipo de coreia que geralmente envolve movimentos espásticos involuntários violentos de um braço ou de uma perna. Os movimentos são mais amplos e mais intensos do que os da coreia.

A atetose, assim como outras manifestações como a coreia, pode ser causada por um grande número de doenças. Além disso, sua presença orienta o diagnóstico de certa forma. A coreia e a atetose podem se apresentar simultaneamente como coreoatetose. Não são distúrbios em si, mas são sintomas produzidos por várias patologias muito diferentes.

Leia também: Você tem risco de desenvolver Parkinson? Conheça 7 sinais que podem ajudá-lo a descobrir

O que é atetose?

A atetose e seus sintomas

Os distúrbios do movimento podem ser divididos em dois tipos, os correspondentes às síndromes hipocinéticas e hipercinéticas, dependendo do tipo de atividade motora envolvida.

As síndromes hipocinéticas incluem a doença de Parkinson , distúrbios neurodegenerativos e parkinsonismo secundário. Estas doenças são caracterizadas por seus próprios sintomas, mas devido a medicamentos ou outras causas orgânicas. Isso inclui drogas, doenças infecciosas, traumas e hidrocefalia.

As síndromes hipercinéticas incluem uma série de sinais muito evidentes de exame físico que incluem tremor, coreia, distonia, tiques e mioclonia. O que diferencia a atetose, também chamada de coreia lenta, de outros distúrbios é que os pacientes são incapazes de manter uma parte do corpo em determinada posição. Manifesta-se com movimentos lentos, constantes e inevitáveis.

Geralmente ocorre nas porções distais dos membros, língua e garganta, embora possa ocorrer em qualquer outra parte do corpo. Os movimentos lentos característicos deste distúrbio permitem diferenciá-lo de outras alterações, como a coreia. Embora existam formas clínicas semelhantes denominadas coreoatetose.

O termo coreoatetose é aplicado a diferentes doenças degenerativas, como a doença de Huntington, muito temida pelo inevitável rumo da doença.

Isso também pode te interessar: Anatomia da demência: a vida de um paciente demente

Outras causas de atetose

Existem outras causas de atetose, por exemplo, infecções do sistema nervoso central, como a encefalite. Elas estão relacionadas com os danos difusos e graves de todo o tecido cerebral. Por essa razão, os distúrbios do movimento e os sinais são bastante comuns.

Por outro lado, distúrbios autoimunes, como o lúpus eritematoso sistêmico, também podem apresentar esse tipo de alteração neurológica, embora não seja a apresentação mais típica da doença.

No entanto, esses pacientes devem receber tratamento a longo prazo com imunossupressores, como esteroides. Como resultado, pode haver uma tendência a infecções do sistema nervoso. Isso pode desencadear distúrbios do movimento, algo semelhante ao que acontece na encefalite.

Então, essas informações foram úteis para você? Sendo assim, continue conosco porque temos mais artigos relacionados à saúde e bem-estar.

  • Delfino, L; Gauna, A. (2010). COREA AGUDA COMO PRESENTACIÓN DE LA ENFERMEDAD DE GRAVES. RAEM.
  • Willshaw Z, M. E., Atria R, A., & Ferrer D, S. (2009). Hipertiroidismo y coreatetosis. Revista Chilena de Pediatría. https://doi.org/10.4067/s0370-41061986000600023
  • Buriticá, O. (2004). Discinesias tardias 10. Asociación Colombiana de Neurología.